Vício em redes sociais

Categoria dos serviços do psicólogo: crescimento pessoal, crescimento profissional
Vício em Redes Sociais

Como você usa as suas redes sociais? Aproveita o intervalo do almoço para checar as novas postagens ou precisa atualizar a timeline várias vezes durante o dia? Ao sair com os amigos, consegue se desconectar da internet e aproveitar o momento ou não deixa o smartphone de lado nem por um minuto?

Se você ainda não se fez estas perguntas, agora é um bom momento. Algumas vezes o uso de sites como Facebook e Twitter é tão intenso que começa a atrapalhar o dia a dia da pessoa, compromentendo a produtividade no trabalho e o convívio social, por exemplo. Nesse caso, são grandes as possibilidades de a pessoa estar viciada no uso de mídias sociais.

Saiba mais sobre o vício em redes sociais

Este é um assunto sério, cada vez mais comentado por psicólogos e profissionais que cuidam da saúde mental. Assim como o vício em drogas e em bebidas alcoólicas, a necessidade de estar conectado nas mídias sociais durante a maior parte do dia também pode causar danos emocionais e requer tratamento.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para questões relacionadas a crescimento pessoal ou profissional, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Este é um vício que reflete inclusive na saúde física: tremedeira, taquicardia, danos na postura e distúrbios alimentares podem ser algumas das consequências. Mas como saber se você, ou um amigo, estão viciados? Alguns dos sinais aparentes deste vício podem incluir:

  • Falta de interesse em atividades fora da vida online
  • Uso prolongado de computadores e smartphones
  • Sensação de angústia sempre que a pessoa precisa ficar desconectada
  • Impressão de que determinada experiência não está completa até que seja postada na rede

Além disso, é comum que pessoas viciadas deixem de fazer tarefas para passar mais tempo nas mídias e apresentem sintomas de abstinência quando afastadas da rede.

O equilíbrio

Vale destacar que, ao contrário de outros vícios, nesse caso, o paciente não precisa ser completamente afastado das mídias sociais. A internet e as redes de relacionamento apresentam um lado muito positivo: aproximam amigos e familiares que moram em regiões afastadas, mantêm as pessoas informadas sobre o que está acontecendo no mundo e facilitam a comunicação.

O paciente viciado em redes sociais não deve se privar destes benefícios, mas precisa encontrar um equilíbrio entre a vida online e offline. O segredo é aprender a usar a internet moderadamente, redescobrir o prazer de estar fisicamente com amigos e começar a aproveitar os momentos desconectados.

O apoio de um psicólogo na busca pelo equilíbrio

Para encontrar este equilíbrio, sessões com um bom psicólogo costumam apresentar ótimos resultados. Na conversa com o profissional, o paciente tem a oportunidade de entender o porquê do seu vício. Existem inúmeras possibilidades: vontade de fugir da vida real, dificuldade em estabelecer relacionamentos fora da internet ou a constante busca por um ideal de perfeição que só possível em postagens de redes sociais são alguns exemplos. Depois de descoberto o motivo é muito mais fácil tratar o problema. O psicólogo também tem papel fundamental nesta etapa do processo.

É importante aprender a desconectar para garantir uma vida emocionalmente saudável, recheada de momentos felizes – mesmo que nem todos sejam postados no Instagram ou no Facebook.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/101416)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.