5 dicas para melhorar a autoimagem e diminuir transtornos

Categoria dos serviços do psicólogo: psicoterapia
Melhorar a autoimagem e diminuir transtornos - Psicologia

Transtornos podem prejudicar nosso emocional, conheça as dicas para melhorar a autoimagem

Sabemos que os transtornos emocionais impactam diretamente em nossa aparência. Inclusive, isso altera até mesmo nossos comportamentos. Uma das principais formas de isso se manifestar é por meio de transtornos alimentares que podem até mesmo pôr em risco a vida. Conheça 5 dicas para melhorar a autoimagem através da diminuição desses transtornos alimentares.

O que são transtornos alimentares

Um transtorno alimentar é caracterizado por tipos de anomalias dos hábitos alimentares que podem se manifestar por meio de ingestão insuficiente ou excessiva de alimentos, afetando a sua saúde física e emocional.

Na pessoa afetada pelo transtorno alimentar há uma excessiva preocupação com a sua imagem corporal, seja pelo peso, ou simples aparência estética.

Uma pesquisa realizada pela Associação Americana de Psiquiatria verificou que há cerca de 70 milhões de pessoas sofrem de algum tipo de transtorno alimentar no mundo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), este problema de saúde vem afetando cada vez mais as pessoas.

Dicas para melhorar a autoimagem

Prevenir é sempre o melhor caminho, já que o transtorno alimentar gera graves problemas para quem o tem. Seja para a prevenção ou ainda tratamento, uma das formas mais importantes para isso é melhorar a autoimagem do paciente.

Você é capaz de se auto julgar e aos demais sem saber porque uma pessoa age de determinada forma. Você é o resultado de inúmeros e variados fatores, que influenciam o seu comportamento, nas suas escolhas. Disto resulta a imagem mental de si mesmo. Se o resultado for negativo, é possível que a sua autoimagem seja ruim. A nossa felicidade está diretamente ligada às expectativas que criamos.

Gostaria de saber como fazer isso? Confira estas dicas para melhorar a autoimagem, a seguir.

1. Melhore as relações familiares

Para os psicólogos, a primeira parte da prevenção do transtorno alimentar deve ocorrer no âmbito familiar. A família deve propiciar ensino adequado aos filhos desde a infância, destacando a importância de seguir os hábitos mais saudáveis.

Além disso, a família deve apoiar seu filho e evitar comentários que acabem gerando pressão sobre a imagem corporal deles.

2. Preste atenção em como você fala de si mesmo

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo para realizar psicoterapia, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Quando você se julga e também os demais, sem saber porque uma pessoa age de determinada forma, percebe que isso é o resultado de vários fatores, que influenciam o seu comportamento e suas escolhas.

Desse julgamento, você cria uma imagem mental de si mesmo. A sua felicidade está diretamente ligada às expectativas que você cria.

O seu juízo sobre o seu aspecto físico, por exemplo, acaba criando, ao mesmo tempo, uma “imagem referência” e uma prisão.

3. Cuide do que você fala de si mesmo

A autoestima tem muito a ver com o auto conceito, a forma que cada um se percebe a si mesmo. Pensamentos como “não posso” ou “é impossível” devem ser mudados para algo mais positivo: “poderia tentar” ou “eu farei”. Isso prepara a mente para atitudes mais assertivas.

O mesmo acontece com a opinião sobre os próprios defeitos, que aparecem como sentenças de autoavaliação negativa. Os efeitos de uma baixa autoestima podem ser muito negativos chegando até mesmo a desencadear transtornos alimentares.

4. Como você se vê

Observe como você fala com seu corpo. Na maior parte das vezes, você não se dá conta de como você vê e trata ele. Em outros momentos, também não percebe como você cria uma imagem e reproduz, seja verbalmente ou mentalmente, adjetivos como: “meu cabelo é isso, minha pele é aquilo, meu nariz é isso etc.”

A partir do momento em que cria uma imagem de si, com regularidade, começa-se a internalizá-las como verdades. Tente identificar esses comportamentos sobre sua imagem corporal.

5. Atividades físicas

Seguindo estas dicas para melhorar a autoimagem, a adoção e manutenção dos hábitos saudáveis também tem a ver com a prática de atividades físicas periódicas. Com a atividade física, o número de horas de sono serão reguladas, e isso por si só já melhora a qualidade de vida, equilibra as emoções e a mente.

Se a imagem que possui de si mesmo é negativa, isso será refletido na vida. Mudar alguns hábitos de sua vida, buscar ajuda de um psicólogo ajudará modificar uma autoimagem negativa. Também promoverá uma autoimagem positiva e capaz de conquistar o propósito de vida.

Se você gostou deste texto sobre dicas para melhorar a autoimagem, então você descobrirá mais informações sobre transtornos psicoemocionais e suas formas de tratamentos!

Quem leu esse texto também se interessou por:

Autor: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)
*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.