Você ama o que faz?

Categoria dos serviços do psicólogo: psicoterapia
Você ama o que faz

No trabalho, em casa, na rua… Algumas das tarefas do nosso dia a dia são até agradáveis e conseguimos cumpri-las com facilidade. No entanto, sempre há aquelas que não gostamos de fazer e que podem nos causar ansiedade, nervosismo ou estresse. Se identificou com essa situação? Na sua vida, há mais coisas que você ama ou que você não gosta?

São os nossos comportamentos, hábitos e maneira de enxergar a vida que nos tornam mais, ou menos, felizes. Quando temos uma rotina repleta de coisas do nosso interesse e amamos o que fazemos, somos mais realizados. Só que, infelizmente, não é possível fazer apenas o que gostamos: também precisamos aprender a lidar com os momentos menos agradáveis.

A boa notícia é que, com algumas mudanças na maneira de fazer e encarar as tarefas do cotidiano é possível terminar o dia com sensação de alívio e satisfação. Confira nossas dicas para gostar mais da sua rotina:

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo para realizar psicoterapia, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

7 dicas para amar a sua vida

1 – Um momento de prazer

Com a correria do dia a dia e as cobranças profissionais, cada vez temos menos tempo para nos dedicarmos a nós mesmos. Por isso, para ser mais feliz e de bem com a vida, procure estabelecer consigo um acordo de fazer uma coisa que gosta por dia. Aqui vale: uma atividade física, assistir a um filme, ler um livro, cozinhar um prato que goste. Todos os dias precisam ter pelo menos um momento de prazer. Discipline-se para se dar esse momento!

2 – Não guarde mágoas

Desculpar e perdoar não são tarefas fáceis, nem quando se trata do outro, e muito menos de nós mesmos. No entanto, guardar mágoas não é saudável para a nossa integridade física e mental. Perdoe aquele chefe que foi grosseiro com você, o colega de trabalho que tentou te passar a pena, ou o familiar que te disse algo desagradável. Também se perdoe pelas suas imperfeições e erros. Você só tem a ganhar!

3 – Corte laços negativos

Ninguém merece ter que se relacionar com pessoas de quem não gostamos, não é mesmo? Por isso, evite sempre que possível. Afaste-se de colegas ou amigos que te passam uma sensação negativa ou não compartilham dos mesmos valores que você. Em situações em que não é possível se afastar completamente, procure ter o mínimo contato possível.

Ninguém merece ter que se relacionar com pessoas de quem não gostamos, não é mesmo? Por isso, evite sempre que possível. Afaste-se de colegas ou amigos que te passam uma sensação negativa ou não compartilham dos mesmos valores que você. Em situações em que não é possível se afastar completamente, procure ter o mínimo contato possível.

Você é feliz com a sua escolha profissional? Se sim, já é um bom caminho andado. Mas se você não é feliz com a sua profissão ou com o seu local de trabalho, não se acomode, mude! Sempre é tempo de iniciar uma nova formação ou procurar um novo emprego. Para te ajudar a conhecer suas próprias vontades e ter coragem para mudar, é válida a ajuda de um psicólogo.

5 – Ame o outro

Pode até parecer brega ou clichê, mas amor só traz mais amor! Por isso, seja solidário com o próximo, participe de iniciativas de doação ou um programa de voluntariado. Fazer o bem para o outro e colaborar para a melhora de vida de terceiros reflete automaticamente na nossa qualidade de vida e satisfação pessoal.

6 – Cuide dos seus relacionamentos

Como vai a sua relação com as pessoas mais importantes da sua vida? Com seu esposo, namorado, pais e irmãos? Ter um bom convívio com as pessoas que nos cercam é garantia de mais felicidade. Cuide dos seus relacionamentos, não brigue por besteiras, cultive os laços afetivos, seja atencioso e aproveite o amor e o carinho dessas pessoas especiais.

7 – Cuide da sua mente

Sente-se cansado, com dificuldades para dormir, para se concentrar e insatisfeito com tudo? Pode ser sinal de que você precisa da ajuda de um psicólogo. Ele é o profissional que poderá avaliar se você está passando por uma doença mais séria, como depressão, ansiedade, síndrome do pânico, ou se a sua insatisfação está dentro do normal. Busque esse auxílio!

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.