Meu parceiro não quer fazer terapia. Como convencê-lo?

Categoria dos serviços do psicólogo: terapia de casal, relacionamentos, casamento
Meu parceiro não quer fazer terapia. Como convencê-lo com consultório do psicólogo em São Paulo

Embora seja uma ótima alternativa para relacionamentos em crise, a terapia de casal ainda é vista como um tabu, com bastante relutância por algumas pessoas.

Muitas vezes, o cônjuge sugere esta alternativa como uma maneira de corrigir os desvios na relação, mas é podado por um parceiro resistente.

O que fazer diante desta situação? Como convencer este parceiro de que um psicólogo pode ajudar a evitar que a crise se transforme em divórcio?

Como convencer o parceiro:

1. Entendimento:

Primeiro você precisa entender bem o que é a terapia de casal, qual o objetivo dessa abordagem e o que ela pode resgatar de positivo para o relacionamento. Só então você poderá explicar ao parceiro os benefícios que ela irá trazer a ambos. Desta maneira, você estará minimizando possíveis preconceitos a respeito do assunto.

2. Lembranças:

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo para terapia de casal, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Procurem recordar de fatos e momentos bons que vocês tiveram juntos e que já não desfrutam mais, mesmo que sejam coisas simples.

Isto vai fazer com que vocês cheguem à conclusão de que precisam dialogar a respeito da relação e trabalhar para que as coisas voltem a ser como antes.

3. Julgamento:

Não jogue a culpa de todas dificuldades sobre o parceiro. Mostre a ele os erros e falhas dos dois, explique que ambos necessitam de ajuda e, desta maneira, ele não se sentirá julgado e culpado.

4. Psicólogo:

Escolham juntos o terapeuta. Não tome esta decisão sozinho e tente envolver sempre o parceiro. Assim, ele não se sentirá obrigado a aceitar a sua determinação. Faça uma pesquisa entre profissionais, métodos e valores e procure escolher juntos o psicólogo que mais se adapte à realidade de vocês.

5. Exemplos:

Cite o exemplo de casais do convívio de vocês que já tenham passado por terapia e que tiveram seus problemas resolvidos. Se possível convide-os para uma conversa para que possam contar a experiência vivida e os resultados positivos.

6. Importância:

Mostre ao parceiro que você julga a terapia de casal realmente importante, que deseja muito resgatar o sentimento perdido ou deixado de lado com o decorrer do tempo. Demonstre que o ama e o quanto deseja melhorar a relação.

7. Prevenção:

Procure fazer com que o seu parceiro perceba que a terapia de casal é importante para evitar que o casamento caia num caminho sem volta. Não é necessário deixar que a relação se desgaste demais para procurar ajuda. A terapia pode ser realizada já nos primeiros sinais de problemas na relação.

Como acontece a terapia de casal?

Na terapia de casal, o psicólogo trabalha como uma espécie de mediador. Ele não vai defender nenhuma das partes, mas vai procurar entender cada um enquanto indivíduo e o casal como um todo. Ele ajuda a identificar os desvios que precisam ser corrigidos e as situações que devem ser expostas e discutidas.

É necessário que o casal sinta empatia pelo psicólogo para que haja envolvimento no tratamento. Se apenas um dos dois se sentir à vontade, o processo não fluirá como deve ser. Caso o psicólogo perceba que existe problema de empatia ou confiança de uma das partes envolvidas, pode sugerir algumas seções individuais para verificar o que está ocorrendo.

A privacidade sempre é mantida e respeitada na terapia de casal, ou seja, o que é falado em consultório individualmente não é comentado pelo psicólogo, a não ser que seja autorizado.

Se mesmo com todas as explicações e tentativas de convencimento, você não tiver sucesso, procure sozinho por um psicólogo para que ele possa verificar se está no caminho certo e sugerir ações mais assertivas.

Quem leu esse texto também se interessou por:

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.