Newsletter Gratuita
Assine Aqui

O amor acaba?

Categoria dos serviços do psicólogo: terapia de casal, relacionamentos, casamento
O amor pode acabar? Veja o que dizem os psicólogos

“Que não seja imortal posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure”.

Se até Vinícius de Moraes, poeta apaixonado, deixou claro em seu Soneto da Fidelidade que os amores não duram para sempre, por que ainda temos tanta dificuldade em aceitar e compreender quando um amor acaba?

A decepção e frustração de um fim de relacionamento podem afetar de forma intensa o modo de viver de uma pessoa e, em alguns casos, a melhor opção é procurar um psicólogo.

O amor é um sentimento que envolve carinho, admiração, vontade de satisfazer e de estar perto.

Valor Consulta Psicóloga Bárbara






Não quero informar nome ou e-mail





Os amores podem ser duradouros e permanecerem por muitos anos, mas há também situações em que o sentimento se transforma, por diversos motivos, e não é mais suficiente para a manutenção de um relacionamento.

Vale ressaltar que isso não significa que o sentimento era falso.

Alguns sinais indicam quando o relacionamento não vai bem e o amor já não é mais o mesmo.

Claro que cada casal possui suas características próprias e, por isso, a crise no relacionamento pode aparecer de maneiras bem distintas.

Os sinais mais comuns de uma crise no relacionamento são:

1 – Desinteresse

Já não há a mesma vontade de estar perto, ter a companhia constante um do outro e criar programas para se fazer em casal, como jantares e viagens.

2 – Brigas bobas

Tudo se torna motivo de discussão e o casal nunca consegue concordar em nada.

3 – Traição

Um dos parceiros se sente atraído por outra pessoa e deixa-se levar, acontecendo a traição.

4 – Desrespeito

Durante as brigas, xingamentos e trocas de ofensas são frequentes.

5 – Falta de sexo

O casal não tem mais ímpeto para as relações sexuais.

Será que o amor acabou?

Os sinais citados acima podem indicar, sim, que o amor acabou, ou podem ser causados pela correria do dia a dia, a pressão no ambiente de trabalho e o estresse.

Infelizmente, é bem comum que situações e externas ao relacionamento acabem atrapalhando a vida conjugal.

Outro fator que acaba causando problemas no relacionamento é a chegada dos filhos. Mesmo sendo um momento de muita alegria para o casal, a vida muda completamente e as suas rotinas precisam ser readaptadas.

Com isso, é bem comum que esposas e maridos se sintam perdidos e não saibam mais dizer se o amor ainda existe, ou se eles permanecem juntos por conta de um amor maior, que é o filho.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Se o casal está em dúvida, a melhor ideia é procurar a ajuda de um psicólogo. Em terapia individual ou em terapia de casal, é possível compreender a origem dos problemas, das insatisfações e das seguranças.

Assim, com a ajuda do psicólogo, o casal pode concluir se quer superar suas divergências e seguir em frente com o relacionamento ou se é melhor a separação.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Como melhorar a comunicação no relacionamento

    Como melhorar a comunicação no relacionamento
    Os psicólogos afirmam que melhorar a comunicação no relacionamento é tarefa tão importante quanto manter os laços afetivos
  • Insegurança no Relacionamento

    Insegurança no Relacionamento
    Todos nós nos sentimos inseguros por diversas situações, podendo ser no relacionamento, na profissão escolhida, em um emprego novo. Veja como se ajudar.
  • Amor Patológico

    Amor Patológico
    (11) 3213-7287.Zona Sul-Brooklin-Berrini. O amor patológico caracteriza-se principalmente por ser um amor conturbado por muito ciúme. Saiba o que fazer

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autor: Thaiana F. Brotto

CRP 06/106524 – São Paulo

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC