Como lidar com a negação do vício em drogas

Categoria dos serviços do psicólogo: ajuda emocional
Como lidar com a negação do vício em drogas

A negação do vício em drogas é um problema que os psicólogos indicam formas de lidar

Aquela velha história de que o vício em drogas só acontece na casa do vizinho já não pode ser mais reproduzida. Mas você sabia que qualquer pessoa, de qualquer idade, gênero, classe social e escolaridade podem incorrer em abuso de substâncias, desenvolver a dependência química e a compulsão? Para os psicólogos, tanto o álcool quanto as drogas são alguns dos problemas que mais afetam a sociedade brasileira hoje.

Qualquer pessoa pode desenvolver o vício, inclusive você. Isso por que existem vários fatores de riscos e com certeza, caráter é o menos importante. Algumas pessoas, por exemplo, possuem pré-disposição genética, o que a torna mais vulnerável ao abuso.

Há também pessoas que possuem determinados transtornos que as predispõem ao uso de drogas. A droga se torna “um refúgio” para os sintomas do transtorno. Fatores como meio social e hábitos também são comuns para a aquisição do vício.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para buscar ajuda emocional, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

E por que é tão difícil sair das drogas? A dependência química é uma doença, mas diferentemente das doenças comuns (câncer, gripe etc.), a pessoa tenta negar o problema, o que agrava o quadro. Problemas como preconceito social entre outros são uns dos fatores mais pungentes para que haja negação do vício em drogas.

Dito isso, leia esse artigo. Nele você entenderá o porquê e como lidar com a negação do vício em drogas.

O que caracteriza o vício?

A palavra “vício” vem do latim e quer dizer “falha”. Significa que tal hábito que se torna, de alguma forma, repetitivo, acaba por ser consequente um comportamento compulsivo de uso em que a pessoa é incapaz de controlar.

>>> Leia também: 7 fatos sobre a dependência química .

Há vários motivos que levam a compulsão, e um deles é o prazer. Para a psicologia, que trata de inúmeros casos de dependência química, a princípio a droga é capaz de proporcionar certo tipo de prazer. E que em geral, a pessoa que possui compulsão por drogas, a usa como uma fuga para as suas dores e angústias emocionais e psicológicas.

Confira agora quais são as características mais importantes para identificar a dependência química.

Ansiedade

Pessoas que já apresentam um quadro clínico de transtorno de ansiedade generalizada podem recorrer às substâncias químicas pensando que aliviarão seus sintomas da ansiedade. O vício de drogas, neste caso, poderá acelerar o processo do desenvolvimento do transtorno de ansiedade.

Resistência

Quanto mais a pessoa usa, maior será a sua resistência. No entanto, os efeitos colaterais também aumentarão. A sensação de estar usando e sentir-se mais resistente amplia a necessidade do aumento das dosagens.

Abstinência

Um comportamento típico de quem possui o vício é quando ocorre as crises de abstinência. A abstinência se dá visivelmente pelo comportamento da diminuição ou exclusão do uso de substâncias.

Compulsividade

Caracterizado pela falta de autocontrole e pela repetição do uso, mesmo que tenha uma frequência menor.

O que é a negação do vício em drogas?

Conhecida pelos psicoterapeutas como a “doença da negação”, o vício em drogas não escolhe um perfil estereotipado, como antigamente se acreditava. As drogas estão inseridas em qualquer classe, gênero e grupo social.

Mesmo assim, a cultura da negação do vício em drogas, tanto por parte das famílias quanto do usuário permanece comum. De certa forma e infelizmente, a maioria das pessoas ainda costumam enxergar o dependente químico como alguém relacionado à criminalidade.

Para o caso da negação do vício em drogas, ambas, família e usuário, devem estar conscientes dos riscos do não-tratamento. O isolamento é algo a ser evidentemente evitado.

A ajuda de um profissional da psicologia é parte fundamental para o processo de tratamento. O uso muitas vezes é relacionado ou ainda gera transtornos.

Os procedimentos terapêuticos irão tratar todos efeitos que são gerados pelo abuso de drogas tais como: o processo de culpa, depressão, anti-sociabilidade, auto-censura, ansiedade etc.

O que fazer para lidar com a negação do vício em drogas

Encarar a dependência química como doença que pode ser tratada é um passo importante. O tratamento especializado para isso está na área da psicoterapia. Para isso, como vimos, é importante que a negação seja primeiramente entendida.

Os pais e amigos muitas vezes procuram os psicólogos tarde, pois acreditam até o último momento que há, de alguma forma, uma saída sem tratamento.

A ajuda profissional, se encontrada previamente, poderá amenizar os quadros mais severos. Por razões sociais os problemas de negação do vício em drogas sempre são deixados de lado.

O tempo não cura sozinho. A dependência química é uma doença que avança conforme a negação, o que poderá extenuar com o tempo. Portanto, para conseguir avançar o tratamento e poder retomar o controle da vida, o dependente químico deve seguir os seguintes passos:

1. Reconhecer o problema do vício.

2. Aceitar a ajuda terapêutica.

3. Condicionar a vida (trabalho, estudos, relações sociais) com a busca pelo bem-estar físico e psicológico.

Pior do que a dependência química é a dependência emocional, pois ela imediatamente relaciona-se com uma nova fase, onde há dúvidas, comportamentos compulsivos, ameaças etc.

Para vencer este estágio, o tratamento deverá já ter sido iniciado. A síndrome da abstinência pode durar de acordo com o quadro específico da pessoa, podendo ser dias ou até meses.

Os casos mais graves, por uma questão de sintomas clínicos precisam de elementos terapêuticos mais duradouros, às vezes com medicação (em razão da dependência química cerebral).

Em uma sociedade com diversos problemas atuais, os usuários de drogas são marginalizados. A negação do vício em drogas torna-se, portanto, em um grande problema consequente disso.

Caso você queira entender melhor o vício e a dependência física, confira nossos textos sobre psicoterapia e a importância da ajuda profissional.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.