Terapia para crianças: como funciona?

Terapia para crianças - como funciona

Muitos tipos de tratamentos psicológicos estão disponíveis para crianças e adolescentes, com as mais diversas funções: desde tratar problemas e traumas até terapias de acompanhamento que ajudam a criança a desenvolver o conhecimento cognitivo de forma saudável. Assim como os adultos, toda criança também pode se beneficiar do apoio de um psicólogo para fortalecer alguns aspectos importantes do seu viver. Mas como funciona a terapia para crianças?

Quando a terapia é indicada para crianças?

Os pais se importam com o bem-estar mental de seus filhos e, muitas vezes, consideram pedir orientação de psicólogos para diversas questões. No entanto, a falta de conhecimento sobre como funciona a terapia para crianças ainda gera muitas dúvidas.

O funcionamento da terapia para crianças, no entanto, depende muito do que leva a criança para a terapia. Em alguns casos, a busca pode ser motivada por uma perda que pode gerar trauma, por dificuldades por que a família passa (como divórcio dos pais, por exemplo), por grandes mudanças na vida (como de cidade).

O psicólogo, nestes casos, trabalha para ajudar a criança a entender o que está acontecendo na sua vida de uma forma saudável. Problemas relacionados à ansiedade, adversidades na escola ou dificuldades de envolvimento social também são exemplos de questões que são tratadas dentro do consultório.

Como funciona a terapia para crianças?

A terapia para crianças precisa ser feita com um terapeuta em quem os pais confiem e com quem a criança se sinta confortável. Durante as sessões, o psicólogo capacitado vai escolher a melhor abordagem com base no problema específico que se pretende trabalhar.

Cada tipo de problema pede uma abordagem diferente e o terapeuta é capaz de definir qual. A terapia cognitiva comportamental, por exemplo, é eficiente para reestruturar pensamentos negativos em formas mais positivas e efetivas de pensar. Ela pode incluir, entre outras, técnicas que ensinam a regular o estresse, relaxamento e práticas de como lidar com problemas específicos.

Em muitos casos, as sessões podem ser divididas em momentos apenas com os pais, apenas com a criança e, então, com toda a família. Mais uma vez, tudo vai depender do foco do problema.

Como os pais podem participar?

A participação dos pais no processo terapêutico não se restringe à presença nas sessões. O tratamento psicológico pode e deve continuar em casa por meio da comunicação aberta, que faz com que a criança se sinta mais à vontade ao conversar não apenas sobre o problema que enfrenta – se é que há um – mas sobre tudo que se passa na sua vida.

Esta é uma forma muito saudável de estimular o diálogo e de aprender a resolver as adversidades do dia a dia em família, dentro de casa. Se os pais têm dificuldades em fazer com que a criança coopere, converse e se comunique, um psicólogo também pode indicar técnicas de abordagem para os pais simultaneamente às sessões com a criança.

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.