Saúde mental na maternidade: tudo o que você precisa saber

Categoria dos serviços do psicólogo: ajuda emocional
Saúde mental na maternidade: tudo o que você precisa saber

Precisamos urgente falar sobre saúde mental na maternidade. Nesse artigo você vai entender mais sobre o assunto e qual a extensão do problema.

Precisamos conversar sobre a saúde mental na maternidade. Quando falamos de desordens mentais e psicológicas associados à maternidade, é comum já pensarmos em depressão pós-parto ou ainda atribuí-los aos hormônios. Isso dá uma ideia de “natural” ou de uma fase passageira.

Trata-se de um assunto importantíssimo que afeta milhões de pessoas no mundo inteiro. Vamos conhecer um pouco mais sobre a saúde mental na maternidade? Leia o artigo!

Os números assustadores da saúde mental na maternidade

E mais, costumamos pensar nisso como uma exceção, algo raro de acontecer. A maternidade vive sob uma aura de sagrado. O que acaba prejudicando discussões sérias sobre o assunto, principalmente relacionadas à saúde mental na maternidade. E isso, infelizmente acaba prejudicando milhões de mães e, por consequência, crianças também.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para buscar ajuda emocional, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

xxxx >>> Leia também: Depressão pós-parto

Para início de conversa, você sabia que, no mundo inteiro, cerca de 10% das mulheres grávidas e 13% das mulheres que acabaram de dar à luz sofrem de um distúrbio mental, principalmente a xxxx depressão? Isso é um número bastante expressivo, não é mesmo?

Nos países em desenvolvimento (como o Brasil, por exemplo), isso é ainda maior: ,15,6% durante a gravidez e 19,8% após o parto sofrem de distúrbios mentais. Em casos críticos, o sofrimento das mães pode ser tão grave que elas podem até cometer xxxx suicídio.

Além disso, as mães afetadas não apresentar disfunções, que não apenas geram sofrimento para ela própria como ainda afetam o crescimento e o desenvolvimento das crianças.

A boa notícia é que os transtornos mentais maternos são tratáveis. Já a má notícia é que ninguém quer falar disso. Hoje há muitas intervenções terapêuticas eficazes que irão beneficiar a saúde mental na maternidade dessas mulheres. Mas para que isso seja feito, é preciso que o problema seja reconhecido e elas obtenham o apoio que precisam ao procurar ajuda.

É principais transtornos associados à maternidade

Saúde mental na maternidade vai muito além da depressão pós-parto ou hormônios. Uma análise recente mostrou que cerca de 20% das mães em países em desenvolvimento (que inclui o Brasil) experimentam a depressão pós-parto.

Além disso, você sabia que a morte por automutilação e suicídio é alta em mulheres grávidas? Segundo a revista Pan Americana de Salud Pública, entre 2,7% a 10,9% das mulheres grávidas apresentam ideação suicida? Disso seguem diversos problemas como lesões autoinfligidas (maior causa de morte que o próprio suicídio) até a execução do ato.

Mas os problemas não param por aí. A psicose também é outro problema comum da saúde mental na maternidade. Ele pode levar ao suicídio e, em alguns casos, até mesmo prejudicar o recém-nascido.

Também não podemos esquecer do alto número de incidência da depressão, que tem prevalência em cerca de 20% das mulheres grávidas. A depressão causa enorme sofrimento e incapacidade e reduz a resposta às necessidades da criança. Tratar a depressão das mães leva a um melhor crescimento e desenvolvimento do recém-nascido e reduz a probabilidade de diarréia e desnutrição entre elas.

Quem está em risco de sofrer de distúrbios durante a maternidade?

Praticamente todas as mulheres podem desenvolver transtornos mentais durante a gravidez e no primeiro ano após o parto. No entanto alguns fatores socioeconômicos aumentam o risco:

  • • pobreza;
  • • exposição à violência doméstica, sexual e baseada no gênero;
  • • situações de emergência e conflito (no caso do Brasil podemos citar a violência das cidades);
  • • desastres naturais;
  • • baixo apoio familiar e social (preconceito principalmente com mães solo).

Saúde mental na maternidade após o nascimento do bebê

Após o nascimento, a mãe com depressão sofre muito e pode falhar em comer adequadamente, tomar banho ou cuidar de si mesma entre vários outros problemas. Isso pode aumentar os riscos de problemas de saúde tanto para o bebê quanto para a mãe.

O aumento do risco de suicídio e a potencialização das doenças que acompanharam a mãe durante a gravidez (psicose, depressão etc.) podem trazer graves consequências, chegando até mesmo ao infanticídio.

Crianças muito jovens podem ser afetadas e são altamente sensíveis ao meio ambiente e à qualidade dos cuidados. Seguramente, elas serão afetadas negativamente por mães com transtornos mentais. A doença mental prolongada ou grave dificulta o apego mãe-bebê, a amamentação e o cuidado infantil. E pode gerar problemas familiares que irão afetar o bebê quando chegar à sua fase adulta.

Diante de todos esses números e informações, é importante estar ciente que a gravidez é um período que traz não apenas mudanças físicas como também psicológicas. Nem tudo pode ser atribuído aos hormônios, é importante estar ciente de quando o problema é mais grave. E buscar o quanto antes apoio terapêutico a fim de ter uma gravidez saudável e feliz.

Gostou desse artigo? Então pode se interessar por esse também: Como vai sua saúde mental?

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.