Como ser produtivo mesmo tendo hábitos de procrastinação

Categoria dos serviços do psicólogo: crescimento pessoal, crescimento profissional
Como ser produtivo mesmo tendo hábitos de procrastinação

Perder o ritmo e a prioridade das tarefas diárias pode se tornar um hábito conhecido como procrastinação. Veja dicas de como lidar com esse problema.

Muitas vezes nos ocupamos daquilo que seria “mais simples” ou “mais fácil” de realizar naquele momento, ao invés das reais obrigações. Você sabia que é possível ser uma pessoa procrastinadora sem perder a produtividade? Os psicólogos podem te ajudar com isso, ensinando pequenos truques de como conseguir manter a rotina em dia.

Isso por que procrastinar é algo muito comum em nosso meio social. E as vezes é quase impossível de lutar contra. Por isso, a dica é: aprenda a usar a procrastinação a seu favor. Com pequenas mudanças de atitude, você consegue atingir seus objetivos e ainda tem um dia mais tranquilo. Leia o artigo e veja como.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para questões relacionadas a crescimento pessoal ou profissional, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Saiba tudo sobre procrastinação: o hábito de deixar tudo para depois

O hábito de procrastinar faz com que “driblemos” tarefas muito importantes e acabemos fazendo outras tarefas simples e corriqueiras. E as vezes nem percebemos que isso acontece. Processos cerebrais que não são controlados pela vontade impõem o seu próprio ritmo. O trabalho de controlar e conduzir a nossa mente para um foco é uma tarefa que parece difícil, mas existem algumas ferramentas interessantes para o manejo destas funções mentais.

A psicologia entende que, quando a mente possui foco, todos os nossos planejamentos fluem melhor graças ao autocontrole. Com a procrastinação, terminar uma tarefa pode levar dias ou até meses e, mesmo que nossa mente nos avise (ou indique a culpa), temos grande dificuldade de cumpri-las.

Qualquer um pode ter esse problema. Até mesmo as pessoas que conseguem ser produtivas ou manter o foco sofrem com a procrastinação. Mas como elas conseguem lidar com este desafio?

>>> Leia também: Por que ser uma pessoa organizada é importante? .

Geralmente, as pessoas que conseguem lidar com a procrastinação conseguem dividir e gerenciar o seu tempo. Elas criam estratégias, não hostilizam o ócio, e sim o adequam.

A procrastinação pode ser também resultado de nossa cultura. Ao mesmo tempo em que ela a nos condicionar a buscar distrações e diversão, ela também nos remete a sermos competitivos, workaholics e eficientes. Dessa maneira, mente é jogada de um lado para o outro em uma relação de compromisso/impossibilidade, responsabilidade/negligência etc. .

Se você deseja sair dessa dualidade de realização/sofrimento aprenda a usar a procrastinação a seu favor. Para isso, siga as seguintes dicas.

Dica 1: Observe a ação da sua mente

Esse é o primeiro e fundamental passo para não ser escravo da procrastinação: conheça seus desejos e vontades. Aprenda sobre si mesmo e reconheça o que te atraí e distraí. Observe inclusive os pensamentos vagos e transitórios. Se precisar anote. É apenas com autoconhecimento que você poderá se entender e praticar a mudança.

Dica 2: Crie listas de tarefas

Faça uma lista de tarefas a serem cumpridas durante o dia. Caso seja uma empreitada grande, divida-a em pequenas metas. Isso ajuda a manter a sua mente focada e a dar a sensação de avanço.

Dica 3: Crie ócios criativos

Ser produtivo, às vezes, funciona bem com “distrações” funcionais. Crie e desenvolva projetos e aspirações que possa realizar sem se tornarem obrigações formais. O ócio criativo visa reunir atividades como trabalho, lazer e estudo, quando se é feito para o prazer, estimulando a criatividade.

Dica 4: Respeite os horários

O sono e a mente tranquila são parte de uma vida saudável. Organize os horários de descanso e as brechas para o ócio. Tornar-se produtivo requer uma mente equilibrada sem pressão ou alimentada com atividades interessantes.

Dica 5: Combine tarefas importantes com algumas supérfluas

O equilíbrio funciona bem. Trabalhar em tarefas desagradáveis condicionam a mente a criar compensações fúteis. Muitas vezes, damos importância demais a tarefas que realmente não são tão importantes, e eis a chave da questão: mudanças podem acontecer em coisas que menos damos valor.

Dica 6: Trabalhe com prazos falsos

A ideia de existir na sua lista um prazo para cada item, reforça o senso de responsabilidade, ao invés de simplesmente lê-los. Estabeleça essa relação consigo mesmo, seja sincero. Existem métodos de trabalho que são parecidos com rituais. Crie pequenos rituais que se repetem diariamente, indicando ao nosso cérebro a hora de dar a partida.

Dica 7: Deixe de ser escravo de sua agenda

O extremo perfeccionismo leva também à ansiedade. Crie uma relação de gerência e controle sobre suas tarefas, principalmente sobre sua agenda. A cultura da velocidade às vezes não é bem-vinda. Ter uma super agenda lotada não significa estar sendo produtivo. Observe bem o que você faz e como se organiza.

Assim, com estas dicas, poderemos “conviver” com a procrastinação sem jogá-la para debaixo do tapete. A rápida gratificação mental e emocional é prazerosa, mas pode acarretar incapacidade de administrar o seu tempo. Em alguns casos, o medo e a fobia se associam aos hábitos de fuga. A ansiedade de querer fazer tudo também não é saudável. Por esta razão, deixamos de curtir as pequenas coisas e os processos em andamento, pois estamos sempre presos à ideia do futuro, o amanhã ideal.

Renove hábitos e adicione-os no seu dia-a-dia. A autodisciplina imposta ajuda, porém, terapias para proporcionar mudanças comportamentais, são boas dicas. Isso dependerá do grau de sua procrastinação. Produtividade não é o contrário de procrastinação, portanto otimize esses impulsos e comece a garantir melhores resultados.

Confira mais sobre este tema e sobre questões da vida profissional em nosso site!

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.