Como manter o seu relacionamento saudável

Categoria dos serviços do psicólogo: terapia de casal, relacionamentos, casamento
Como manter o seu relacionamento saudável

O sonho de ter um casamento de “propaganda de margarina” povoa a mente da maioria dos casais, mas a realidade infelizmente nem sempre é como sonhamos. Manter um relacionamento conjugal é um exercício diário e nem sempre é fácil. Prova disso são os inúmeros casamentos que terminam em divórcio. Dentre as muitas tentativas que podemos fazer para manter o casamento, está a terapia de casal, na qual um psicólogo pode conduz os dois a alcançarem um relacionamento com mais cumplicidade.

Duas dicas essenciais para manter um bom relacionamento:

1. Comunicação:

Para preservar uma relação saudável, a comunicação é fundamental. É preciso tirar um tempo no dia para conversar com o parceiro sobre assuntos relevantes que envolvem o casal e também sobre temas pessoais.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo para terapia de casal, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

A comunicação e o diálogo mantêm o casal conectado. Até os assuntos mais difíceis precisam ser abordados. Nenhum dos dois deve guardar problemas para si. Isso somente gera ressentimentos e problemas futuros.

Os temas devem ser discutidos com gentileza. A forma como a comunicação ocorre influencia diretamente no relacionamento. Diálogos negativos, com raiva ou desprezo certamente quebram a confiança e levam o outro a deixar de se comunicar, o que é um dos muitos motivos de separação.

Brigas são normais entre casais. Porém, é de extrema importância evitar o comportamento destrutivo, aquele que envolve gritos, críticas severas ou simplesmente o ato de se retirar da discussão e ficar calado. Esse tipo de comportamento é nocivo ao relacionamento.

Tentar descobrir o que o parceiro está sentindo, ouvir o que ele tem a dizer e tentar manter o bom humor são estratégias de casais que sabem se comunicar. Não pense que os anos de convívio levam o cônjuge a ler o que está em sua mente dispensando, assim, o diálogo.

2. Conexão:

As atribuições do dia a dia, o trabalho, os cuidados com a casa e com os filhos, os estudos… tudo isso pode nos afastar de um contato maior com o cônjuge. Porém, o esforço vale a pena. É importante criar mecanismos para manter o interesse na relação, programar datas regulares para algum tipo de evento a dois, sair para jantar, assistir a um filme, dançar, enfim, promover algo que marque um momento só do casal e que ocorra pelo menos uma vez ao mês.

Por sua parcela de importância no relacionamento, alguns casais chegam, inclusive, a programar o sexo no calendário. Pode parecer um pouco mecânico, mas força o casal a tirar um tempo para a intimidade e para atender as necessidades físicas e emocionais de ambos.

Quando a ajuda psicológica se faz necessária:

Todo relacionamento tem instabilidades, mas alguns momentos são mais críticos e as tentativas pessoais para manter a saúde do casamento podem não surtir resultado. Finanças e diferenças de opinião na criação dos filhos são exemplos de temas que podem gerar discussões frequentes.

Quando as discussões ao redor de um mesmo tema se tornam frequentes, o melhor é procurar a ajuda de um psicólogo. Ele ajuda muito a melhorar a comunicação entre o casal e a superar o conflito de maneira mais harmoniosa.

Terapia de casal como recurso

Não é necessário esperar até que os sinais graves apareçam no relacionamento para procurar a terapia de casal. Ela serve para fortalecer a união. A terapia ensinará ao casal como desenvolver a audição afetiva, trabalhar os conflitos e melhorar a comunicação através de diálogos saudáveis, reduzindo, assim, as chances de uma separação.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.