Newsletter Gratuita
Assine Aqui

É discussão ou abuso verbal?

Categoria dos serviços do psicólogo: terapia de casal, relacionamentos, casamento
É discussão ou abuso verbal?

Entenda a diferença entre abuso verbal e discussão.

Toda agressão é indesejada. Seja ela física ou psicológica. E os psicólogos afirmam, a violência psicológica machuca tanto quanto uma agressão física. Por isso é muito importante identifica quando a discussão ultrapassa o limite do saudável torna-se abuso verbal.

Muitas pessoas confundem o verdadeiro significado de o que é discussão e do que é abuso verbal. E neste texto vamos aprender a identificar as diferenças.

Cada pessoa possui a sua própria forma de pensar e de agir. Mas na falta de comunicação e entendimento, isso pode ser penoso.

Quando a conversa vira discussão

Valor Consulta Psicóloga Bárbara






Não quero informar nome ou e-mail





Quando uma simples conversa torna-se em uma discussão acalorada, as emoções ali presentes são movidas por sentimentos intensos de desacordo e raiva. Porém, quando estes comportamentos passam a ser cotidianos em uma relação, pode acabar transformando-se num ciclo interminável de sofrimento.

Aquilo que parecia ser apenas uma conversa pode criar volume e pequenas brigas começam a ser recorrentes. Muitas o desacordo em ideias falta de comunicação, entre outros atritos geram um grande desgaste na relação.

>>> Leia também: Como lidar com prolemas no relacionamento

Com o acúmulo, pequenas brigas já se tornam grandes discussões, na maioria das vezes, desnecessárias. Assim, já difíceis de lidar e controlar, o passo para um abuso verbal é curto. E, em pouco tempo, o abuso pode ser ainda maior.

Quando a discussão vira abuso verbal

Como vimos, das pequenas brigas para uma discussão violenta, é como uma linha comportamental que assume progressivamente um aumento que pode ser rápido ou lento. No entanto, pessoas ou casais que não exercitam a comunicação entre si, ou com outras pessoas, tendem, inevitavelmente, a tornar frequentes as brigas.

A tolerância, neste momento, já não é mais percebida e vem à tona alguns sinais que descreveremos como típicos de abuso verbal. São eles:

  • questionamento da capacidade intelectual da parceira(o);
  • escárnio da constituição física e moral;
  • táticas autoritárias de intimidação para convencer ou dominar pela força;
  • gritos e falas mais contundentes;
  • insultos;
  • julgamentos morais;
  • ameaças;
  • autoritarismo e servilismo;
  • críticas destrutivas;
  • secundarização e omissão;
  • manipulação;
  • vingança;
  • intolerância.

É muito importante entender que o abuso verbal não é simplesmente troca de ofensas. Ele é muito mais perigoso e pode causar estragos extremos. O abuso pode inclusive se esconder em palavras gentis. Ao sugerir, por exemplo, que mulheres são mais frágeis e delicadas, pode ser um abuso oculto, que visa minimizar a parceira.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Um tipo específico de abuso verbal é o Gaslighting, ou seja, uma forma de abuso psicológico em que a maioria das informações são distorcidas da realidade. Essa prática é muito comum e poucas pessoas conseguem percebê-la.

Isso ocorre com certa frequência quando o agressor passa a omitir ou distorcer o enredo da discussão. De forma seletiva, o abusador manipula e cria as situações que serão favoráveis a ele próprio. O Gaslighting deriva de um termo da peça Gas Light (1938) em que é apresentada esta situação de manipulação por um casal.

O Gaslighting ocorre comumente quando o agressor se utiliza de técnicas como negar os fatos, fazendo com que a vítima passe a duvidar de si mesma e, em últimos casos, tenha culpa de si ou pena do agressor. Ou seja, as palavras tem poder de influenciar positivamente ou negativamente uma outra pessoa.

Consequências do abuso verbal

Como Escolher seu Psicólogo

Nesse guia completo você vai conhecer tudo sobre psicólogos e psicoterapia. A escolha do psicólogo certo para você envolve diversos fatores. Descubra aqui.

COMO ESCOLHER O SEU PSICÓLOGO

Existem abusos que são diretos e violentos, outros que são indiretos e ocultos. Nestes últimos, a vítima poderá levar um tempo para reconhecer conscientemente que determinada situação foi um caso de abuso. Tenha em mente que todo abuso verbal causa sofrimento e danos intensos à vítima, podendo levá-la a depressão severa, transtornos psicológicos intensos, e até mesmo óbito.

Há vítimas que levam anos em estado de silêncio sem revelarem suas experiências com ninguém. Algumas delas ainda não compreenderam a natureza de seu problema, outras preferem silenciar-se. O fato é que o abuso verbal tem crescido muito nas relações sociais e isso constitui um alerta para os psicólogos.

Seja pelo insulto direto, ou por insinuações repetidas, o abuso verbal está entre as maiores causas de separações e problemas consequentes desses tipos de comportamento.

O que fazer no caso de ser vítima de abuso verbal?

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

As vítimas e o casal, principalmente, sempre deverão reconhecer este problema e buscar ajuda de profissionais na área da psicoterapia é uma forma de tentar impedir que desarranjos comportamentais possam continuar existindo.

Sujeitar-se ao abuso verbal pode ser muito perigoso para ambos, o agressor e a vítima. Com a ajuda de um psicólogo, o processo de buscar as melhores saídas para um entendimento de si e do outro serão sempre satisfatórias.

Se você acredita ou conhece alguma vítima de abuso verbal, é muito importante saber identificar estes sinais.

E se você gostou desse artigo pode se interessar por este Relacionamento abusivo.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Como cuidar do seu relacionamento

    Como cuidar do seu relacionamento
    Cuidar do seu relacionamento nem sempre é fácil, portanto saiba o que deve ser feito e entenda quando a Terapia de Casal e um psicólogo podem lhe ajudar.
  • Casamento versus Trabalho

    Casamento versus Trabalho
    Não conseguir separar problemas do trabalho com o que ocorre no casamento, e vice-versa, é algo que traz sofrimento para muitas pessoas.
  • Será que você é viciado em amor?

    Viciado em amor
    Até que ponto lidamos com o amor de forma saudável ou é mais um caso de viciado em amor, consultório da psicóloga em São Paulo

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autor: Thaiana F. Brotto

CRP 06/106524 – São Paulo

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC