Terapia Infantil: a partir de quantos anos posso levar o meu filho ao psicólogo?

Levar meu filho ao Psicólogo

Será que o caso do meu filho ou minha filha pode ser resolvido por um psicólogo? Qual a idade e a hora certas de se recorrer a um tratamento psicológico? Que ajuda posso obter em termos de tratamento de certas questões emocionais? Todas estas perguntas e muitas outras sobre a terapia infantil quase sempre passam pela cabeça dos pais. Vamos responder a algumas delas a partir de agora. Acompanhe!

Um psicólogo realmente é o profissional indicado para, através de testes, conversas e outras formas de intervenção, fazer um diagnóstico e indicar qual a melhor opção de tratamento em crianças que apresentem algum comportamento “diferente” da expectativa dos pais ou professores.

É ele que indicará sessões de terapia infantil e/ou pedirá exames físicos, como de audição e de visão, por exemplo. Tudo para ter uma boa base para formar o diagnóstico. Mas agora você pode estar se perguntando: a partir de quantos anos posso levar o meu filho ao psicólogo? O ideal é que isso seja feito, em caso de necessidade, a partir dos primeiros anos de vida.

Razões variadas

Nesse nosso mundo, atualmente tão agitado e com as pessoas cada vez mais ocupadas – e, principalmente, preocupadas – às vezes acontece de os pais não poderem acompanhar os filhos como gostariam, seja observando-os na escola ou no dia a dia, em casa.

Por este motivo e também devido à algumas situações genéticas ou privações na gestação, no momento do nascimento e nos primeiros dias e meses de vida, os pais podem ser chamados à escola e informados sobre a falta de concentração da criança ou então sobre casos de hiperatividade (crianças muito ativas, agressivas, impulsivas e com dificuldade de se concentrar). Ou mesmo em casa, os pais ou responsáveis podem notar certa dificuldade de interação ou falta de interesse em coisas que deveriam ser importantes.

Independentemente das causas, hoje em dia a terapia infantil pode atuar de forma bastante eficiente no aspecto comportamental das crianças. Afinal, as crianças, assim como os adolescentes, jovens e adultos, também passam por questionamentos e angústias que, sozinhas, não têm a capacidade de discernir.

Como atua o psicólogo?

Através de métodos e recursos especiais, uma vez detectado qual problema a criança está enfrentado, o psicólogo desenvolverá as devidas técnicas que ajudarão os pequenos a enfrentar e administrar as situações do dia a dia e suas próprias emoções com muito mais facilidade.

Geralmente, a partir dos três anos de idade e até os oito anos, se forem observados alguns desvios comportamentais nas crianças, deve-se procurar a ajuda psicológica. Quanto antes identificados os problemas, mais rápido será o seu encaminhamento e consequente solução.

Há várias situações comportamentais de crianças que indicam algum distúrbio emocional. Abaixo, destacamos alguns desses principais sinais que demonstram a necessidade de consultar um psicólogo para obter ajuda:

  • Perda do prazer com alguma brincadeira que costumava ter anteriormente;
  • Tristeza ou choro frequentes, sem motivos aparentes;
  • Procura por isolamento constante;
  • Falta de concentração na escola ou para atividades em casa;
  • Atraso de desenvolvimento na fala, na linguagem ou no andar, por exemplo;
  • Insônia ou sono muito frequente;
  • Aumento ou diminuição exagerada da fome ou da sede;
  • Vontade de voltar a hábitos já superados como usar chupeta ou fazer xixi na cama;
  • Dores frequentes de barriga ou na cabeça, embora exames não apresentem nada errado;
  • Agressividade desmedida;
  • Apatia.

O pediatra ou professor podem indicar

Além dos pais e responsáveis, esses sinais e outros que não relacionamos aqui podem ser detectados pelo pediatra ou por professores. Eles, certamente, orientarão em que direção seguir. Isso porque esses profissionais conhecem os pais e a criança e podem, inclusive, conversar com os pequenos de forma a extrair algo que possa ajudar no diagnóstico.

A partir daí, eles poderão, conforme o caso, encaminhar os pais e a criança a um psicólogo que achará a melhor solução. Em geral, a primeira sessão com o psicólogo é realizada somente com os pais, que terão a possibilidade de se abrir à vontade para expor o que os preocupa.

A partir desta conversa inicial, o psicólogo receberá a criança. Depois de algumas sessões, o psicólogo estará apto a transmitir aos pais o que a criança está enfrentando e qual o melhor tratamento.

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.