Pessoas Influenciáveis

Categoria dos serviços do psicólogo: terapia cognitivo comportamental, tcc
Pessoas Influenciáveis

Você faz parte do grupo das pessoas influenciáveis?

Um sujeito influenciável, em um conceito de fácil entendimento, é aquele que possui certo grau de obediência perante regras estabelecidas por outro indivíduo, assim como por uma religião, política ou até mesmo a sociedade.

Isso quer dizer que pessoas influenciáveis não possuem capacidade de manifestar suas próprias vontades, pois estão focadas em satisfazer e seguir o comportamento de outros.

Se você acredita estar no grupo de pessoas que sofrem influência dos demais, saiba que é importante descobrir o porquê! E mais importante: como deixar de ser um sujeito influenciável e como ter suas opiniões e ideias sem interferência de outras pessoas.

Por que você é influenciável?

A questão pode ser difícil de ser respondida e, muitas vezes, as pessoas influenciáveis procuram ajuda de um psicólogo. Sabe-se que a psicologia tem um papel fundamental em orientar e auxiliar indivíduos que possuem qualquer transtorno que afete a saúde física e mental.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para atendimento de terapia cognitivo comportamental, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Claro que não só depender da orientação de um psicólogo é a ideia geral. Contudo, a reflexão interior e os questionamentos são essenciais para entender seu comportamento como indivíduo.

Pode-se afirmar que existem três fatores principais que afetam as pessoas influenciáveis e que as mantêm nessa “dependência”:

  • Relação íntima com certas pessoas: a família, parentes e amigos mais próximos são aqueles que mais exercem influência sobre você, suas escolhas e maneira de se comportar. Os exemplos são diversos: na escolha da profissão, do time de futebol favorito ou preferência religiosa.
  • Relação com a sociedade:: em um grupo maior de membros, há aquelas que inspiram valores e comportamentos, como é o caso da influência política. Tem-se a mídia atualmente como um dos maiores influenciadores em massa.
  • Fatores psicológicos:: é aqui que a psicologia entra, pois nossa motivação, personalidade, crenças, atitudes, percepções e aprendizagem são fortemente influenciadas.

Há muita discussão se as pessoas influenciáveis possuem problemas de segurança, isto é, se há medo e insegurança no momento de manter sua opinião, de não ser aceito, de não agradar as pessoas que estão a sua volta.

Por isso, ser influenciável é uma questão de segurança? A fragilidade que envolve a segurança pode ser considerada um dos fatores que fazem com que a pessoa se torne influenciável.

Como deixar de ser influenciável?

Refletir sobre o que as influências fazem com sua vida é o ponto inicial. Nem toda influência é ruim, pelo contrário: algumas nos favorecem e nos fazem pessoas melhores.

Mas o jogo pode ser perigoso quando envolve valores e comportamentos questionáveis, aqueles que não só podem prejudicar a vida do influenciável, mas também das pessoas ao seu redor (família e relacionamentos, por exemplo).

O que mais pode fazer diferença na vida de pessoas influenciáveis é o desenvolvimento da autoconfiança! Esse sentimento parte do princípio de que nós devemos criar nosso poder pessoal e garantir a determinação em sempre realizar nossos propósitos.

Ser autoconfiante é firmar um compromisso com si mesmo: é mostrar que você é capaz, que pode confiar em si e que não precisa de decisões de outras pessoas para manter-se.

A autoconfiança permitirá que a felicidade e o bem-estar sejam cultivados. Ela ainda fará com que as pessoas não interfiram (ou deixem de interferir) em suas decisões, opiniões e valores: a autonomia é a sensação que você transmitirá para os demais!

Mesmo com nosso próprio senso crítico, decisões e responsabilidades pelas nossas escolhas, é interessante estar aberto a novos conselhos e opiniões. Mas cabe a cada um de nós filtrar as informações que recebemos e analisar se elas nos complementam.

Para aqueles que acham interessante buscar ajuda, um psicólogo é o profissional mais adequado, já que este intenciona levar as pessoas influenciáveis ao autoconhecimento, para que o ego seja fortalecido e que se criem percepções capazes de proporcionar a autonomia necessária para viver com suas escolhas, opiniões, comportamentos, personalidade e valores.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Corpo Perfeito e Psicologia

    Corpo Perfeito e Psicologia
    A busca do corpo perfeito é, muitas vezes, seguida de frustração. Essa dinâmica pode levar algumas pessoas à depressão. Texto elaborado por psicólogo da clínica de psicologia 
  • Passividade ou assertividade

    Passividade ou assertividade
    A passividade e a assertividade são temas que, geralmente, causam desentendimento. A passividade é considerada uma virtude, mas até que ponto seria adequada
  • O equilíbrio da assertividade

    O equilíbrio da assertividade - Psicologia
    O que é o equilíbrio da assertividade ? Ser assertivo, ou seja, ser firme nas suas opiniões e as defender com muita propriedade não significa ser rude.

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.