TDAH em Adultos

TDAH em adultos

Dicas para lidar com os problemas mais comuns

O TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade é uma doença popularmente conhecida por afetar crianças e ser descoberta durante o período escolar. O que muitas pessoas não sabem é que ela pode persistir na vida adulta.

Dentre as crianças que possuem TDAH a taxa de prevalência na idade adulta varia entre 1% a 5%. A seguir segue uma lista dos sintomas mais comuns apresentados por adultos.

  • Dificuldade de seguir rotinas
  • Procrastinação
  • Tédio para realizar as atividades, intolerância com tarefas repetitivas e monótonas
  • Dificuldade de planejamento e execução do que é proposto
  • Instabilidade profissional
  • Falta de foco e dificuldade de manter a atenção e concentração
  • Dificuldade nos relacionamentos amorosos, maior índice de divórcios e separações
  • Dificuldade nos relacionamentos sociais, instabilidade
  • Frequente alteração de humor
  • Ansiedade
  • Atrasos e esquecimentos frequentes de compromissos, reuniões
  • Impulsividade
  • Baixa tolerância a frustração
  • Dificuldade de controlar a irritação
  • Baixa capacidade de organização

Embora esses comportamentos tragam problemas para o adulto com TDAH, é importante entender que existem estratégias para lidar com essas dificuldades e que se bem utilizadas, tanto no trabalho como na vida pessoal elas podem amenizar esses problemas, possibilitando a pessoa ser bem sucedida em sua vida.

Seguem algumas dicas para lidar com o TDAH:

1. Para lidar com as alterações de humor, estresse e irritação procure dormir bem e o suficiente, pois uma noite mal dormida diminui a capacidade de manter o foco. Alimente-se bem e de forma saudável porque isso diminui a distração, a hiperatividade e o estresse. E por fim, pratique exercícios físicos, pois eles aliviam o estresse, melhoram o humor e ajudam a gastar o excesso de energia que é comum em pessoas com TDAH.

2. Procure se organizar! A desorganização facilita a distração e a falta de atenção. Quando não nos organizamos, perdemos tempo, nos sentimos frustrados e sobrecarregados. Para se organizar crie hábitos como listar e anotar as coisas que pretende fazer diariamente, priorize as coisas que forem mais importantes, coloque prazos em suas tarefas e atividades, crie um espaço com poucas distrações para estudar ou trabalhar em casa, defina lugares para as coisas (principalmente aquelas que se perdem frequentemente).

3. Não adie o que precisa ser feito. A procrastinação acentua o esquecimento, para evitar que isso ocorra procure não adiar as tarefas ou atividades, faça o que tem que ser feito, mesmo que a tarefa não seja empolgante.

4. Gerencie seu tempo! Perder compromissos importantes, chegar atrasado a reuniões, não cumprir prazos são exemplos de problemas que afetam negativamente a pessoa com TDAH. Como sua percepção do tempo é diferenciada, é necessário dar atenção para que esses problemas não se tornem crônicos, atrapalhando assim suas relações profissionais e pessoais. Dentre suas atividades diárias defina o que é mais importante e realize essas tarefas primeiro, use um relógio para acompanhar o tempo que leva fazendo as atividades, anote o horário que começa e defina a quantidade de tempo que pretende usar para realização de cada uma. Outras estratégias são: usar alarmes para sair de casa, sair mais cedo para os compromissos para evitar atrasos e não aceitar mais tarefas ou compromissos do que é capaz de cumprir, procure sempre consultar sua agenda para verificar se é possível aceitar atividades extras, de forma que isso não o prejudique.

Essas dicas são apenas algumas estratégias para ajudar os adultos com TDAH a lidar com os problemas que frequentemente enfrentam em suas vidas. Porém é importante ressaltar que o TDAH é uma doença possui que tratamento. Procurar ajuda médica e psicológica é a maneira correta de lidar com o TDAH.

A Terapia Cognitivo-Comportamental é uma abordagem de psicoterapia indicada para esses casos porque desenvolve as habilidades de resolução de problemas, o controle das emoções e flexibiliza as percepções e pensamentos negativos, ajudando os pacientes a lidar com suas dificuldades e a se sentirem mais confiantes.

Autora: Andrea Ferreira (Psicóloga CRP 06/113065)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.