Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Ansiedade pode ser a causa de alguns problemas sexuais

Categoria dos serviços do psicólogo: ansiedade
Ansiedade pode ser a causa de alguns problemas sexuais

A ansiedade é uma doença moderna que pode impactar todas as áreas da nossa vida. Dentre elas, os relacionamentos e a vida sexual são enormemente influenciadas por quadros de ansiedade, aflição e angústia generalizada, informam os psicólogos.

Para entender melhor quais são as principais disfunções e problemas sexuais que podem ter origem na ansiedade, preparamos esse artigo para explicar qual a relação entre eles e o que você pode fazer para aliviar esses sintomas. Confira:

Entenda a relação entre ansiedade e a nossa vida sexual

Valor Consulta Psicóloga Marcela






Não quero informar nome ou e-mail





A vida sexual é um dos mais importantes setores de nossa vida. É por meio do sexo que nós nos relacionamentos amorosamente com outras pessoas, recebemos e damos prazer e criamos vínculos.

No entanto, para conseguirmos ter uma vida sexual saudável e satisfatória, é necessário que o nosso cérebro consiga captar corretamente os sinais relacionados ao envolvimento erótico. E a ansiedade é capaz de alterar essa captação, gerando problemas sexuais.

Disfunções sexuais decorrentes de quadros de ansiedade

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Existem dois tipos de disfunções sexuais que ocorrem como consequência da ansiedade: as disfunções comportamentais e as disfunções fisiológicas. Entre as comportamentais podemos citar pessoas que se tornam mais agressivas na cama, as ficam muito tensas e as que usam o sexo como válvula de escape, de forma compulsória.

Entre as fisiológicas, as mais comuns são a frigidez psicológica e dores durante o ato sexual para as mulheres e a ejaculação precoce e a disfunção erétil para os homens. Em ambos os gêneros a ansiedade pode também provocar disfunções do orgasmo.

Diagnóstico e tratamento de problemas sexuais

O primeiro passo para considerar um problema sexual como de origem psicológica é descartar quaisquer outras síndromes e distúrbios de caráter físico. Para isso, é necessário procurar um médico especializado em andrologia e/ou um ginecologista para afastar suspeitas relacionadas à saúde. Exames de sangue para dosagem de hormônios também são importantes para um check up completo.

Uma vez que não foi encontrado nenhum problema médico, a orientação é que o paciente busque ajuda de um psicólogo. A psicoterapia é a melhor ferramenta para diagnosticar e tratar quadros de ansiedade.

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS


Segundo uma pesquisa* feita com um grupo de mulheres com queixa de falta de desejo, 44% das pacientes apresentaram melhoras imediatas na satisfação sexual após apenas 10 sessões de terapia cognitivo-comportamentais, além de melhoras nos sintomas de depressão e ansiedade.

Precisamos lembra também que problemas sexuais podem estar relacionados a outras questões, como problemas conjugais, autoestima e ansiedade relacionada ao desempenho sexual e, por isso, é de extrema importância a consulta com um profissional qualificado que possa identificar os pontos a serem trabalhados.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • A Ansiedade e o Pensamento

    Ansiedade e Pensamento
    A ansiedade é um comportamento que pode ser considerado normal, pois ajuda antecipar algo que possa estar acontecendo e não sabe-se o desfecho ou quem sabe até mesmo imaginar uma probabilidade para apoiar mais na segurança de um resultado
  • Estresse no trânsito

    Estresse no trânsito e psicologia
    Com a rotina do dia-a-dia, nada mais normal do que vivenciarmos situações desconfortáveis no trânsito. Saiba como lidar com o estresse no trânsito
  • Ansiedade no Ambiente de Trabalho

    Ansiedade no Ambiente de Trabalho
    Ansiedade no Ambiente de Trabalho é mais comum do que se imagina. Entenda como identificar e veja o o que pode ser feito. Texto da psicóloga Andrea Ferreira

*Fonte: http://files.bvs.br/upload/S/1413-9979/2013/v18n2/a3614.pdf

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autor: Thaiana F. Brotto

CRP 06/106524 – São Paulo

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC