Identificando suas emoções

Categoria dos serviços do psicólogo: ajuda emocional
Identificando suas emoções

As emoções, muitas vezes, são desencadeadas tão rapidamente em nosso cérebro que acabamos não entendendo o que acontece e porque reagimos de determinada maneira. Uma reação rápida e impulsiva diante de uma emoção pode tanto salvar, quanto arruinar uma situação. Daí a importância do autoconhecimento, de saber como agir identificando suas emoções. Se esse controle emocional ficar difícil de ser alcançado, a ajuda de um psicólogo certamente será de grande valor.

Quando conhecermos nossas emoções, podemos desenvolver o controle sobre elas e, assim, também ajustar nosso comportamento diante de situações que nos alteram emocionalmente. Saber lidar com as emoções ajuda, inclusive, a manter o sistema imunológico mais saudável, não permitindo que sejamos tão facilmente afetados por doenças, além de proporcionar relacionamentos também mais saudáveis e equilibrados.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para buscar ajuda emocional, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Identificando suas emoções

Podemos apontar quatro emoções básicas: felicidade, tristeza, ansiedade e raiva. Para identificar suas emoções, antes de qualquer coisa você precisa conhecer aquilo que está sentindo. Para isso, o primeiro passo é se perguntar, com sinceridade, o que está realmente se passando contigo.

  • Ansiedade – Caracterizada por sentimentos de medo em relação ao futuro, o que traz, inclusive, reações físicas como batimentos cardíacos acelerados e contração da face.
  • Tristeza – Cansaço, sensação de peso nos ombros, vontade de chorar e dificuldade de concentração são sentimentos que denotam a tristeza.
  • Raiva – Pensamentos de que foi atacado de alguma maneira, também com reações físicas como aceleração do coração e aumento da pressão, relacionam-se à emoção de raiva.
  • Felicidade – Calma, alegria, euforia e confiança são sentimentos ligados à felicidade.

Quando soubermos a resposta para nossos sentimentos, poderemos identificar e separar as emoções para enfrentar as situações que surgem diariamente.

Autoconhecimento para controlar as emoções

Saber reconhecer uma emoção negativa e controlá-la para que não se torne nociva é sinal de que você se conhece bem e tem maturidade para administrar suas emoções. Não devemos nos afastar dos sentimentos negativos, mas enfrenta-los e entender porque estamos nos sentindo desta forma, neutralizando esses sentimentos com emoções positivas.

Algumas vezes, uma mudança momentânea de ambiente ajuda a manter a calma, controlar a emoção e planejar uma forma de sair da situação de conflito. Conhecer nosso corpo e identificar as reações que temos pode nos preparar para agir corretamente diante da emoção.

Ao perceber que estamos próximos a uma reação inesperada, podemos nos antecipar, mudar o rumo e controlar a emoção.

Falar sobre os sentimentos também é importante. Muitas vezes, somos mal interpretados em nossas reações porque não sabemos verbalizar o que estamos sentindo, dando a entender que vivemos uma emoção diferente da que realmente estamos passando, criando muitas vezes situações de conflito.

Questionar as pessoas com quem nos relacionamos mais proximamente a respeito de como elas observam nossas reações emocionais também é uma maneira de nos conhecermos melhor e até de descobrir se estamos demonstrando algo diferente do que gostaríamos.

Identificando as emoções com a ajuda psicológica

Às vezes, não conseguimos nos conhecer ao ponto de controlarmos as emoções. Quando essas emoções passam a ter o controle sobre nós é o momento de procurar a ajuda de um psicólogo. Através da terapia, o psicólogo poderá trazer à tona os sentimentos que não conseguimos externar e, assim, identificar as causas e as razões de nossas reações diante de determinadas situações. E, acredite: controlar as nossas emoções nos torna pessoas mais maduras e menos impulsivas.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.