Como lidar com conflitos no trabalho

Categoria dos serviços do psicólogo: crescimento pessoal, crescimento profissional
Como lidar com conflitos no trabalho

Ao longo da carreira, é inevitável deparar-se com alguns conflitos no ambiente de trabalho. Eles acontecem porque as pessoas são diferentes uma das outras, com diversas opiniões e maneiras de lidar com as situações.

Diante disso, é preciso saber como agir para superar esse conflito e não deixar que ele atrapalhe a produtividade e o sucesso na profissão.

Existem profissionais que negam a existência de conflitos, outros desistem do seu ponto de vista para não ter que entrar em discussões, e há aqueles que querem realmente resolver o problema.

É assim que você deve agir, pois de nada adianta ignorar o conflito ou sempre abrir mão da sua opinião.

Como os conflitos no trabalho acontecem?

Os conflitos costumam começar de maneira leve, quase que imperceptível. Pequenos sinais como perda de interessa em atividades ou troca de indiretas entre os funcionários indicam que algo não vai bem.

Os conflitos acontecem após momentos de frustração, quando alguns funcionários se sentem excluídos de um projeto, desvalorizados ou prejudicados.

Se você estiver procurando psicólogos em São Paulo, para questões relacionadas a crescimento pessoal ou profissional, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Para que os conflitos nem comecem, o ideal é ter um alinhamento de expectativas. Isso pode ser feito entre o chefe e a equipe ou entre os próprios colegas de trabalho.

Antes de iniciar um novo projeto, é preciso estabelecer quem vai fazer o quê, qual será o prazo e como as atividades serão feitas. Todos precisam estar de acordo e cientes de cada responsabilidade para não se decepcionarem depois.

Como lidar com uma situação de conflito?

Se a situação de conflito já está acontecendo, é preciso saber lidar com ela. A melhor coisa é manter a calma e encerrar as discussões muito exageradas. Com a cabeça quente, no momento do nervoso, muitas coisas acabam sendo ditas sem querer.

Geralmente, sabemos quando estamos perdendo a calma. É nessa hora que a melhor coisa é recuar, sair do ambiente e deixar para conversar depois. Mais tarde, é possível analisar o contexto do conflito, compreender qual o motivo do desentendimento e averiguar se é uma questão pessoal ou de injustiças.

Deposite os esforços em resolver o problema. Muitos profissionais perdem tempo pensando em quem começou a briga ou quem perdeu o controle primeiro, e isso não adianta em nada. Os envolvidos no conflito precisam conversar, tentar mostrar os seus pontos de vista e assim, colocando-se um no lugar do outro, chegar a uma decisão. O gestor pode ajudar a promover uma discussão sadia e educada.

Ajuda de um psicólogo

Quando os conflitos no trabalho começar a ser uma situação muito frequente, é sinal de que algo não anda bem. Nesses casos, é uma boa ideia conversar com um psicólogo. Pode ser que isso esteja acontecendo por insegurança, ansiedade, medo ou falta de autoconhecimento.

Um psicólogo pode ajudar a analisar as situações, oferecer maior entendimento dos conflitos e ensinar algumas técnicas para manter a calma e controlar os sentimentos nos momentos de discussão ou brigas.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Sinceridade demais pode atrapalhar

    Sinceridade demais pode atrapalhar
    Sinceridade demais pode atrapalhar os relacionamentos conjugais, sociais e no trabalho, pois sinceridade demais geralmente é utilizada com falta de cuidado.
  • Equilibrando pratos: como alcançar o equilíbrio

    Psicologia equilibrando pratos
    Para alcançar uma vida mais equilibrada, você precisa passar por um processo de autoconhecimento para saber quais são as prioridades reais de sua vida.
  • Organizando prioridades

    Organizando prioridades - Psicologia
    Saber organizar prioridades ajuda a manter o equilíbrio nas mais diversas áreas da vida, pois ajuda a identificar o que realmente importa.

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.