Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como Lidar com Pessoas Difíceis

Categoria dos serviços do psicólogo: crescimento pessoal, crescimento profissional

Quatro dicas infalíveis para lidar com pessoas difíceis

Como Lidar com Pessoas Difíceis

As pessoas difíceis podem estar em qualquer lugar: na sua família, no trabalho, entre os vizinhos, e nos cursos e atividades cotidianas que você faz.

Uma das característica delas é tornar qualquer pequena coisa, por mais simples que seja, em algo difícil. Às vezes, elas complicam a vida não apenas de uma pessoa, mas de todos aqueles que estão ao seu redor.

Outra característica comum de pessoas difíceis é que elas estão reclamando a todo o tempo: resmungam sobre sua vida, suas frustrações e seus erros, e quase sempre transferem a culpa para outras pessoas.

Ou seja, dificilmente assumem a responsabilidade der seus próprios atos.

Embora seja difícil conviver com essas pessoas, enumeramos quatro dicas para tornar a sua relação com as pessoas difíceis menos traumática e constrangedora:

1. Conheça os seus limites

Conviver com pessoas difíceis exige não apenas identificar quais são e onde estão essas pessoas, mas também saber até que ponto você pode suportá-las. A ajuda de um psicólogo pode ser bastante útil para o seu autoconhecimento.

Ao ter consciência dos limites de sua paciência, tente direcionar as situações nesse sentido e, só então, encaminhe suas palavras e ações.

Esta estratégia, embora reduza as dificuldades para o limite do tolerável, torna possível você não romper suas relações com pessoas difíceis — pois é, nem sempre isso é possível.

2. Saiba se retirar

Valor Consulta Psicóloga Bárbara






Não quero informar nome ou e-mail





Pessoas difíceis criam situações difíceis. Muitas vezes, não há qualquer possibilidade de se seguir adiante.

Em situações assim, as pessoas costumam se tornar ofensivas e agressivas, tornando a relação com elas inclusive perigosa.

É importante não aceitar esse tipo de relação, pois tudo pode sair do controle. Deve-se, nestes casos, rechaçar a situação e retirar-se do convívio com a pessoa.

É importante que a retirada seja feita de modo a não agravar a situação: com delicadeza e elegância. Algumas expressões, inclusive, podem ser usadas, como “sinto muito que você sinta isso e se comporte assim”, ou mesmo “entendo a sua opinião”, e encerre o assunto.

Se você tem dificuldade em se posicionar perante outras pessoas, procure um psicólogo para ele lhe ajudar a identificar as causas e a superar esse bloqueio.

3. Resista às tentações

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Pessoas difíceis costumam provocar as outras e criar situações desagradáveis a todos ao redor, mesmo àqueles que não diretamente inseridos na conversa. Resistir à tentação, neste caso, é evitar ao máximo de se envolver em discussões com estas pessoas.

Embora seja muito difícil, é preciso ter consciência sobre a forma como se fala: se você ficar se justificando, argumentado, se defendendo ou explicando o seu ponto de vista, pare imediatamente! Esta atitude é justamente aquela que a pessoa difícil quer que você assuma.

Se você tem notado que outras pessoas reclamam muito de suas atitudes e você não entende o porquê, talvez um psicólogo possa lhe ajudar, por meio da terapia.

4. Seja compreensivo

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Sim, parece absurdo, mas é necessário: seja compreensivo, e busque entender, na medida do possível, que talvez a pessoa difícil possa estar passando por algum momento difícil na vida.

As atitudes e as posturas dessas pessoas podem ser, justamente, reflexo desses problemas.

É importante respeitar e buscar compreender essas situações, o que não quer dizer que você deva concordar com o comportamento delas. Tente, no entanto, não piorar a situação. Isso já vai ajudar bastante.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Psicologia do Esporte

    Psicologia do Esporte
    Como a psicologia do esporte ajuda os atletas. A psicologia esportiva compõe uma das áreas das Ciências do Esporte e pode ser chamada também de Psicologia do Esporte e do Exercício.
  • Amor próprio

    Amor próprio
    Praticar o amor próprio e desenvolver este cuidado por si mesmo pode ser, para algumas pessoas, uma tarefa difícil e um exercício que exige prática diária.
  • Incertezas sobre o futuro profissional

    Incertezas sobre o futuro profissional - Psicologia

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autor: Thaiana F. Brotto

CRP 06/106524 – São Paulo

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC