Sonhos parte 2 – Distúrbios do sono

Distúrbios do sono

Sonhos são, em geral, histórias e imagens criadas pela mente enquanto dormimos. Esta segunda parte vai abordar distúrbios do sono. Se você ainda não leu Sonhos – parte 1, vale a pena conferir.

O que são pesadelos?

O pesadelo nada mais é do que um sonho angustiante que geralmente força o despertar – às vezes parcialmente. O indivíduo pode sentir uma série de sensações perturbadoras como ódio, culpa, tristeza ou depressão, porém os sentimentos mais comuns em um pesadelo são medo e ansiedade.

Pesadelos são comuns tanto em adultos quanto em crianças. Eles podem ser causados por:

  • Estresse
  • Medo
  • Traumas
  • Problemas emocionais
  • Medicamentos ou abuso de substâncias
  • Doença

A Teoria da Simulação de Ameaça indica que o sonho é, em essência, um mecanismo de defesa biológico e primitivo, evolucionariamente selecionado por sua capacidade de simular repetidamente eventos ameaçadores. Por exemplo, uma criança que vive em um ambiente que ameacem física e psicologicamente seu bem estar possuem uma produção de pesadelos altamente ativa, em relação a uma criança cujo ambiente familiar é seguro e livre de abusos.

Foi descoberto que formas de medo, preocupações e pesadelos mudam de acordo com a idade. Enquanto o medo de criaturas imaginárias diminua com a idade, as preocupações com a performance profissional aumentam.

Apesar de tudo, acredita-se que os pesadelos fazem bem ao estado mental e emocional das pessoas. A descarga de sentimentos negativos, preocupações e ansiedades que ocorrem durante o pesadelo ajudam o indivíduo a lidar de melhor forma com os problemas da realidade. Neste caso, os sonhos ruins são como uma lixeira no qual o cérebro despeja o peso emocional acumulado durante o dia.

Condições

Certas condições aparentemente aumentam a frequência de pesadelos:

  • Enxaqueca: sonhos recorrentes que caracterizam imagens visuais complexas, muitas vezes aterrorizantes, pode ser um sintoma de enxaqueca. Mesmo em momentos sem pesadelos “típicos”, o sonho dos pacientes de enxaqueca tende a possuir sempre uma conotação negativa, como medo e angústia.
  • Apneia do sono: pacientes com apneia do sono possuem mais sonhos emocionalmente negativos
  • Depressão: pesadelos recorrentes estão associados a tendências suicidas em pacientes com depressão generalizada.

O que são sonhos recorrentes?

Um sonho recorrente é quando um mesmo sonho que ocorre com frequência enquanto dormimos.

Um estudo do Departamento de Psicologia da Universidade de Montreal (Canadá) realizado com 212 pessoasque possuíam sonhos recorrentes aponta que:

  • 66% dos relatos de sonhos recorrentes apresentavam uma ou mais ameaças perigosas. Ao enfrentá-las, o sonhador tendia a tomar medidas defensivas ou evasivas consideradas possíveis e razoáveis.
  • Menos de 15% dos sonhos recorrentes representavam situações realistas e prováveis que eram críticas para a sobrevivência física ou sucesso reprodutivo. Durante esses sonhos, o sonhador raramente conseguira fugir da ameaça, apesar dos esforços urgentes e adequados.

Pesquisas indicam que sonhos recorrentes em adultos estão associados a um bem-estar psicológico fraco e deficiente.

O que é sonambulismo?

O ciclo do sono, como vimos no primeiro post sobre sonhos, envolve estágios distintos, do sono leve ao profundo. O sonambulismo é um distúrbio do sono caracterizado por andar ou realizar atividades enquanto adormecido, que geralmente ocorre em fases não-REM, no início da noite.

Durante o episódio, o indivíduo pode sentar-se e aparentar estar totalmente acordado, andar pela casa, ou ainda realizar atividades complexas como remover objetos do lugar, ir ao banheiro, vestir-se, varrer o chão entre outros. Algumas pessoas chegam até a sair com o carro da garagem durante o sono.

Episódios de sonambulismo podem durar de segundos até horas. Apesar da crença comum, não é perigoso acordar um sonâmbulo, porém é comum que a pessoa se sinta confusa e desorientada no primeiro momento.

O que é terror noturno?

Ao contrário de pesadelos que ocorrem durante o sono REM, os terrores noturnos ocorrem durante o sono não-REM, geralmente no primeiro ciclo da fase mais profunda do sono (nas primeiras 2 horas de sono). O terror noturno pode durar de cinco a 20 minutos. A pessoa que sofre um episódio de terror noturno ainda está dormindo, mas pode aparentar e se comportar como se estivesse acordado. Por exemplo, ela podem se sentar na cama e gritar, com os olhos abertos. Quando ela realmente acorda, geralmente não se recorda do episódio (embora algumas pessoas se recordem). Terrores noturnos ocorrem com mais frequência em crianças, mas os adultos também podem vivenciá-los.

Portanto, o terror noturno não é o mesmo que pesadelo – o comportamento do indivíduo que experimenta terrores noturnos pode apresentar:

  • Gritar
  • Se debater
  • Pânico
  • Pular da cama
  • Incapacidade de reconhecer pais ou parceiros que tentam confortá-los

Um episódio de terror noturno pode ser desencadeado por qualquer um dos seguintes fatores:

  • Aumento do período de sono habitual
  • Cansaço
  • Febre alta
  • Alguns tipos de medicamento
  • Ansiedade
  • Eventos externos: quando somos acordados do sono profundo de forma abrupta, como um barulho estridente por exemplo.

Estudos individuais e em família com terror noturno e sonambulismo sugerem envolvimento genético de parassônias (uma categoria de distúrbios de sono que envolve movimentos anormais, comportamentos, emoções, percepções e sonhos que ocorrem durante todas as fases do sono). Terrores noturnos também têm sido associados às amígdalas grandes e adenoides.

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.