Será que você é viciado em amor?

Será que você é viciado em amor?

Até que ponto lidamos com ele de forma saudável? Leia o texto e saiba mais.

Nós podemos desenvolver compulsão em qualquer comportamento. Assim como há pessoas viciados em jogos ou compras, por exemplo, há quem seja viciado em amor. Esse tipo de relacionamento não é saudável e pode ter mais sofrimento, ser mais difícil de sustentar e ter um custo muito alto para ambos os parceiros. E ainda corre o risco de desencadear ainda mais problemas psicológicos.

No entanto, não é fácil identificar quando nosso apego é saudável ou quando somos viciados em amor. Esse texto irá ajudá-lo a refletir sobre as suas atitudes. Confira!

Amo de verdade ou sou viciado em amor?

Como você pode dizer se o relacionamento que você tem com o outro é amor autêntico ou você é apenas viciado em amor?

Tanto o amor autêntico quanto o vício amoroso podem ser excitantes e transformadores. A fase inicial de um relacionamento tende a ser romântica e muito agradável, seja para relacionamentos saudáveis ou não. Ela costuma ser estimulante e, às vezes, trazer mudanças de humor, cognitivas e neurobiológicas semelhantes às induzidas por drogas.

>>> Veja também: Amor patológico.

Um vício sempre cria consequências prejudiciais, muitas vezes ignoradas. Somente quando o vício se tornar incontrolável, as pessoas farão algo a respeito. Viciados em amor passam muito tempo e fazem muito esforço em relação ao outro. Eles valorizam essa pessoa acima de si, e seu foco no outro é muitas vezes obsessivo.

Esse comportamento resulta em negligência de si mesmo, costumam abandonar aspectos importantes de suas vidas e comprometem o próprio bem-estar físico e psicológico.

Aliás, é importante ressaltar que um viciado em amor não se restringe apenas a relacionamentos românticos. Essa compulsão pode ser projetada aos filhos, figuras religiosas, famosos, amigos etc.

Como distinguir um relacionamento saudável de um baseado em vício em amor

Mas se você souber o que procurar, há sinais que ajudam a distinguir o amor autêntico do vício e compulsão. Para ajudá-los, disponibilizamos uma tabela com diferenças entre o vício e o amor autêntico.

Antes de iniciar a leitura, lembre-se, essa tabela é para ajudá-los a refletir sobre o comportamento de vocês. Apenas um psicólogo pode dar um diagnóstico e orientar o tratamento. Outro ponto importante, nem todas essas características estão presentes em todos os relacionamentos.

Características de um viciado em amor

Características de um relacionamento saudável

O relacionamento é baseado na necessidade de estar com a pessoa.

O relacionamento é baseado no desejo de estar com a pessoa.

Sente-se incompleto sem um parceiro.

Sente-se completo e inteiro com ou sem um parceiro.

Seu relacionamento é baseado em quem você quer que a outra pessoa seja.

Seu relacionamento é baseado em quem a outra pessoa é.

A química é a principal prioridade no começo.

Química é uma entre várias prioridades.

Sua vida gira em torno do relacionamento.

O relacionamento impulsiona seus objetivos de vida. Mas ele não é seu principal objetivo.

Você se apaixona pelo amor. Pelo ideal romântico.

Você se apaixona por uma pessoa.

Um viciado em amor procura resgatar ou ser resgatado.

Procura uma relação entre indivíduos iguais e capazes de enfrentar os desafios da vida.

Não consegue estabelecer limites saudáveis.

Tem bem claro os limites entre o que é saudável e o que não é.

Tem uma ou mais pessoas na manga caso a relação atual termine.

Se concentra no relacionamento sem precisar de um substituto disponível caso ele venha a terminar.

Encontra parceiros emocionalmente indisponíveis ou abusivos.

Encontra parceiros emocionalmente disponíveis e que o tratam bem.

Idealiza a outra pessoa, mas depois a desvaloriza quando as idealizações se desgastam.

Você tem uma visão equilibrada dos pontos fortes e fracos do seu parceiro.

Você subestima suas necessidades por medo de afastar seu parceiro.

Você atende às suas necessidades e também às do seu parceiro, sabendo que ambos devem ser atendidos para um relacionamento saudável.

Ignora, nega ou tolera comportamento disfuncional, diminuição da autoestima e comportamento de autossabotagem para evitar perder o relacionamento.

Sabe que relacionamentos saudáveis podem ser difíceis ou dolorosos e envolvem comprometimento, mas não incluem comportamentos de autossabotagem ou de risco.

Negligencia as responsabilidades da vida para buscar sonhos de um relacionamento idealizado.

Integra seu relacionamento com outras responsabilidades em um equilíbrio saudável.

Tolera disfunção excessiva, caos ou dor nos relacionamentos por medo de ficar sozinho

Não tolera disfunção excessiva, caos ou dor

Você ignora sinais de alerta por medo de ficar desapontado ou sozinho.

Encara os sinais de alerta para determinar se o relacionamento pode ser mais saudável ou deve acabar.

Sente muitos ciúmes, possessividade sobre seu parceiro? O relacionamento ganha a importância de vida ou morte na sua vida?

Pode sentir ciúme às vezes, mas isso não se torna questão de sobrevivência.

Raramente está sem um relacionamento.

É capaz de ficar um bom tempo solteiro se nenhum parceiro apropriado estiver disponível.

Essa tabela você pode ajudar a fazê-lo refletir tanto sobre o seu relacionamento atual quanto antigos. Isso ainda vai ajudar a descobrir se você tem algum tipo de padrão de comportamento.

Caso você perceba que pende mais para o lado de um viciado em amor procure um psicólogo. Ele vai te ajudar a descobrir mais sobre si mesmo e orientar você a conseguir lidar com esse comportamento negativo. E assim você pode conquistar relacionamentos saudáveis que agreguem a sua vida.

Gostou do artigo? Então pode se interessar por esse também: Feliz solteiro: será que é possível?

Autor: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)
*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.