Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Bem-estar emocional e exercícios físicos

A prática de exercícios físicos e o bem-estar emocional

A relação entre o esporte e a psicologia é um assunto muito discutido entre atletas e pessoas envolvidas profissionalmente com esporte.

Afinal, muito se fala sobre o quanto o apoio psicológico é importante para o bom desempenho de atletas profissionais, independentemente da atividade a que se dedicam.

Entretanto, mesmo conscientes da relação entre o esporte e a psicologia, nem todo mundo compreende o quanto a prática de exercícios físicos pode influenciar o bem-estar emocional e até ser uma parte importante do tratamento de problemas psicológicos, destacam os psicólogos.

Fala-se muito sobre os benefícios físicos da prática de atividades físicas, mas pouco sobre o quanto elas afetam nossa saúde emocional.

Você sabia que a atividade física combate a depressão?

Fazer atividade física combate a depressão e favorece a saúde e o bem-estar de quem pratica.

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Thais






Não quero informar nome ou e-mail





Se você padece de depressão é possível que a última coisa que você queira fazer é exercício. No entanto, no momento em que você passa a se sentir motivado, o exercício faz uma grande diferença.

Neste ponto, os psicólogos vão oferecer conselhos concretos e estudados que farão entender como a atividade física combate a depressão.

Nas mídias, em geral, é sabido e repetido que exercitar-se ajuda a prevenir e melhorar diversos problemas de saúde, como a pressão arterial, diabetes e insônia.

Estudos demonstram que a prática do exercício físico, traz efeitos psicológicos muito benéficos para ampliar o estado de ânimo e amenizar a depressão.

Os sintomas da depressão

A depressão é um distúrbio mental que ocorre de um conflito interno desencadeado por diversos fatores. O diagnóstico de depressão é realizado por diferentes formas.

Os sintomas comuns de depressão costumam ser perda de energia, apetite, níveis altos ​​de ansiedade e estresse. Pessoas com depressão tendem a responder melhor ao tratamento combinado com exercícios físicos.

Quem sofre de depressão exibe sintomas como:

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

  • Perda ou aumento exagerado de peso;
  • Insônia;
  • Tristeza;
  • Baixa autoestima;
  • Fadiga;
  • Desesperança;
  • Culpa;
  • Pensamentos de morte ou suicídio;
  • Irritabilidade.

Além disso, a prática da atividade física aumenta os níveis de endorfina criando estímulo que alteram a química do cérebro, aumentando a capacidade de relaxar.

Como a atividade física influencia no bem-estar emocional

Recentemente, muitas descobertas têm sido feitas em torno dos efeitos das atividades físicas na nossa saúde mental. E em meio a elas, chegou-se a um consenso geral que diz respeito aos efeitos da endorfina no nosso organismo.

A endorfina, um tipo de hormônio natural produzido pelo nosso corpo, é liberada durante e após a prática de atividade física e proporciona sensação de bem-estar, alegria e conforto.

A consequência direta dos efeitos da endorfina no nosso organismo é a diminuição do estresse, do mau humor, da ansiedade e o alívio de tensões.

Tudo isso afeta diretamente a maneira como nos sentimos no dia a dia e faz com que o chamado “hormônio da alegria” seja tido como um aliado no tratamento de questões psicológicas desconfortáveis, como estresse e ansiedade.

Alguns estudos ressaltam também a relação entre prática de exercícios físicos para melhora do humor e alívio da depressão.

De acordo com os pesquisadores, pessoas sedentárias possuem uma chance maior de desenvolver depressão do que aqueles que praticam atividades físicas regularmente, e a combinação de terapia com exercícios físicos pode ser uma forma de acelerar o tratamento da depressão já existente.

Praticar exercícios de forma regular pode aliviar a depressão da seguinte forma:

  • Liberando endorfinas que irão gerar bem-estar, na produção de substâncias químicas naturais do cérebro.
  • Livra a mente de preocupações para que a pessoa consiga sair do círculo vicioso de pensamentos negativos que acabam alimentando ainda mais a depressão.
  • Ganho de confiança. Quando as metas que são estabelecidas nos exercícios físicos são cumpridas isso estimula a autoconfiança.
  • Autoestima elevada. Ficar em forma também pode tornar a pessoa a se sentir melhor, tanto em relação ao seu aspecto físico quanto emocional.
  • Incrementar a sua interação social. As atividades físicas dão a possibilidade de conhecer outras pessoas e de socializar com elas.

Assim, praticar atividade física para combater a depressão é uma estratégia saudável. Estudos confirmam que qualquer atividade física pode ajudar muito a alterar os padrões de humor e ânimo.

Existem atividades físicas como corrida, bicicleta, esportes, yoga, etc., que beneficiam o coração, a respiração e a mente. Para poder usufruir dos benefícios da atividade física para a saúde mental é preciso dar continuidade a ela.

Você sabia que a atividade física combate a depressão

Como iniciar uma rotina de atividades físicas

Começar uma rotina de exercícios e mantê-la pode ser difícil. Por isso trouxemos algumas dicas que irão ajudá-lo a conseguir criar o hábito de se exercitar.

  • Identifique a atividade que você mais gosta.
  • Faça os exercícios aeróbicos de baixa intensidade, algumas vezes por semana, com aquecimento e alongamento prévio.
  • Alimente-se bem para evitar fadiga muscular antes e depois de iniciar o exercício. Beba muita água.
  • Busque o apoio de um profissional de saúde mental, converse com seu médico sobre programas de exercícios e planejamento para tratamentos.
  • Crie metas e objetivos que você possa cumprir. Analise de forma concreta sobre o que pode ou não fazer. Ao traçarmos metas irreais podemos sentir frustração e isso aumenta as chances de desistência.

Prefira, quando possível, realizar exercícios ao ar livre, pois dá sensação de aumento de energia. Esse aumento se dá pela diminuição da fadiga, do estresse, confusão mental, ansiedade e depressão.

A atividade física combate a depressão quando se aliada à psicoterapia. O papel do psicólogo é muito importante no momento de fazer a reabilitação do paciente.

Caso perceba sintomas sempre consulte um psicólogo. Vale lembrar que a atividade física combate a depressão, sim, e é uma excelente forma de aliviar os sintomas, mas não é substituta da psicoterapia.

Como exercícios físicos podem afetar o processo terapêutico?

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

A prática de exercícios pode ajudar a impulsionar o processo terapêutico por meio de diversos benefícios.

No entanto, ainda que os efeitos calmantes e estimuladores do bom humor sejam imediatos após a prática, é através de uma rotina de exercícios que os efeitos se tornam duradouros.

Veja algumas das formas de como a atividade física pode melhorar a saúde mental e acelerar o processo terapêutico:

  • Redução do estresse e da ansiedade: praticar exercícios é uma forma excelente de combater o estresse, tirar a mente dos problemas e aliviar tensões da rotina desgastante do dia a dia.
  • Aumento da autoestima: a prática constante de exercícios físicos motiva a superação de obstáculos e, como consequência, aumenta a confiança. O mesmo acontece com a melhora da forma física, o que faz com que o praticante se sinta melhor em relação a sua aparência.
  • Melhora a memória e o raciocínio: praticar exercícios é essencial para manter a memória afiada e melhorar a capacidade de raciocínio e tomada de decisões.

De uma forma geral, praticar atividades físicas é uma forma eficiente de sentir-se melhor consigo mesmo, ainda que durante períodos de crise e instabilidade emocional.

No entanto, vale lembrar que, em muitos casos, elas são uma ferramenta extra que ajuda no processo de tratamento psicológico e que sozinhas não resolvem todos os problemas.

É essencial que a saúde física e mental sejam abordadas com a mesma importância e que nos preocupemos a mantê-las bem. Afinal, se nosso corpo não estiver saudável, nosso psicológico também não estará – e vice-versa.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Brotto

Thaiana Brotto é psicólogo e CEO do consultório Psicólogo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Registrada no Conselho Regional de Psicologia pelo número CRP 106524/06.

4 comentários em “Bem-estar emocional e exercícios físicos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *