Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Saúde mental masculina

Saúde mental masculina

A saúde mental masculina costuma ser um tema negligenciado. A maioria dos homens ainda encontra inúmeras barreiras internas quando o assunto é cuidar de si mesmo e falar sobre sentimentos.

Dependendo da forma como eles foram ensinados a encarar a vida, a resposta inicial é fugir de quaisquer ocasiões que sugiram vulnerabilidade emocional e conexão. Dessa forma, a conversa acerca da saúde da mente dos homens cai no esquecimento.

Como a população masculina tem vivências diferentes da feminina, as suas necessidades emocionais são um tanto diferentes. Distinções biológicas também influenciam a forma como os homens e as mulheres experienciam a vida e sintomas de condições psicológicas.

Sendo assim, é preciso multiplicar e disseminar as conversas sobre os cuidados com a saúde mental dos homens para o bem deles.

Por que falar sobre saúde mental masculina?

Muitos homens ainda não têm o costume de cuidar tanto da saúde física quanto da saúde mental. Por conta disso, eles tendem a sofrer silenciosamente com sintomas de doenças ou receber diagnósticos tardios de patologias cujo tratamento é mais eficiente nos estágios iniciais.

Essa relutância da população masculina pode ser explicada pela educação passada de geração para geração. Homens são ensinados a não demonstrarem sinais de fraqueza.

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Rosana






Não quero informar nome ou e-mail





Quando crenças como “homens não choram” ou “homens são fortes independente da situação” são vividas à risca, os homens sentem que não podem buscar ajuda para resolver os seus problemas de saúde. Afinal, fazer isso é um sinal de fraqueza! Então, muitos somente vão ao médico em momentos de extrema necessidade.

O mesmo acontece com a saúde mental. Muitos homens resistem à ideia de fazer terapia por ou enxergarem o acompanhamento psicológico como “coisa de mulher”, ou não acreditarem “nessas coisas”. Por conseguinte, tendem a sofrer com sintomas de depressão, ansiedade e outras condições sem saber.

Além disso, homens tendem a reprimir mais emoções e sentimentos que as mulheres. Não é à toa que muitos não sabem administrar como se sentem em diversas ocasiões e acabam reagindo intensamente. A repressão emocional é muito prejudicial para a saúde da mente.

Embora muitas transformações sociais tenham acontecido nos últimos anos, modificando percepções tradicionais sobre o papel do homem na sociedade, ainda encontramos crenças e convicções que atrapalham os cuidados masculinos com a saúde mental e física.

Como cuidar da saúde mental masculina?

É muito importante que os homens desenvolvam o hábito de cuidarem de si mesmos, ou seja, do autocuidado. Ele se torna a base da pirâmide que comporta os demais elementos de suas vidas – trabalho, estudo, família, relacionamentos, filhos, objetivos de vida, saúde, condição financeira, entre outros.

Se você não está bem, as demais áreas de sua vida também sofrem porque você deixa de ter ânimo e energia para gerenciá-las. A vontade de se isolar dos demais, de faltar ao trabalho e até de desaparecer por um tempo surge facilmente neste momento de fragilidade emocional.

Embora esses anseios sejam tentadores, eles não resolvem problemas nem conflitos internos. O ideal é procurar um psicólogo para buscar, em conjunto, maneiras de extinguir o cansaço mental e o estresse.

Para prevenir esse cenário desagradável, os homens podem adotar hábitos que promovem a manutenção da sua saúde mental. Entre eles estão:

1.    Praticar exercícios físicos

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

A prática de exercícios físicos é uma obrigatoriedade para homens e mulheres de todas as idades. Além de ajudarem na circulação do sangue e fortalecerem a musculatura, eles liberam hormônios essenciais para o bem-estar emocional.

Mesmo levando uma vida tranquila, pessoas sedentárias tendem a se sentir mal com mais frequência sem saber o porquê exatamente por essa razão.

Os homens devem buscar atividades, esportes e exercícios que lhe deem prazer no momento da execução para cuidar da saúde do corpo e, consequentemente, da mente. 

2.    Fazer visitas periódicas ao médico

Ir ao médico é um compromisso adiável para grande parte dos homens. Eles evitam ao máximo ir ao consultório de um especialista, especialmente quando é necessário fazer um exame considerado embaraçoso.

O Novembro Azul, movimento dedicado à conscientização do câncer de próstata, foi criado justamente para encorajar homens a fazerem o exame todos os anos a partir de determinada idade. Um diagnóstico precoce garante mais sucesso no tratamento.

Sendo assim, não perca os seus encontros com os médicos. Mesmo quem não recebeu o diagnóstico de uma patologia deve ir ao médico para solicitar um check-up completo, especialmente após a idade avançada. Essas consultas periódicas são indispensáveis para a prevenção de doenças graves.

Já para quem está em tratamento as consultas são ainda mais importantes. Há diversos casos de homens que se recusam a dar continuidade a um tratamento importante por estarem com o ego ferido.

3.    Expressar sentimentos de forma produtiva

A maioria dos homens não é muito fã de dialogar sobre sentimentos. Tudo bem. Você não precisa necessariamente falar para se expressar. É possível extravasar sentimentos desgastantes por meio de atividades produtivas.

Elas podem ser um esporte coletivo ou individual, uma atividade criativa (pintura, música, carpintaria, escrita), uma volta no quarteirão ou um hobby bacana (leitura, montar quebra-cabeças, pescar, colecionar objetos).

O objetivo é transferir as emoções e os sentimentos conflitantes para essas atividades, criando algo do zero ou liberando-as através da movimentação do corpo. Quando nem o diálogo nem a expressão sadia é feita, a tendência é ficar mal-humorado e criar conflitos desnecessários com pessoas amadas.

4.    Falar sobre o que sente

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Ainda que existam outras formas de expressar os seus sentimentos, falar sobre o que lhe incomoda é uma das mais eficazes. Escolha alguém de confiança para desabafar quando estiver se sentindo irritado, cansado ou melancólico.

Falar sobre como você se sente não é um sinal de fraqueza nem de vulnerabilidade. Caso você tenha ouvido isso do seu avô, do seu pai ou de outra figura paterna importante em sua vida, compreenda que essa forma de pensar foi passada a eles por gerações anteriores.

Eles simplesmente aprenderam a reprimir emoções por não terem recebido instruções que sugerissem o contrário. Você pode se distanciar desse modo de pensar se ele estiver lhe causando mal. Se você deseja se expressar de uma forma considerada não convencional para as suas figuras paternas, faça isso mesmo com a possibilidade de repreensões. 

Falar sobre sentimentos não é somente uma forma muito natural de autoexpressão como também de tentar solucionar problemas. Um conselho de amigo pode lhe tirar de uma enrascada.

5.    Fazer terapia

Segundo o relatório da Pesquisa Nacional de Saúde de 2019, cerca de 69% dos homens brasileiros procuraram a terapia em 2018 enquanto 82% das mulheres fizeram o mesmo. Embora a porcentagem dos homens pareça expressiva, a diferença de preocupação com a saúde mental entre os gêneros ainda é alta.

Os homens normalmente se recusam a fazer psicoterapia ou não são totalmente honestos durante o processo por nutrirem crenças de que homens são naturalmente fortes e resistentes. Logo, não precisam “disso”.

A terapia é uma necessidade de todas as pessoas independente do gênero, da origem e da idade. Em qualquer momento da vida, você pode agendar uma consulta com um psicólogo e contar a ele as suas preocupações.

Além de ajudar a resolver questões emocionais e problemas do dia a dia, a terapia promove o autoconhecimento, a autoconfiança e a autoestima alta. Esses fatores contribuem para uma vivência proveitosa e para a redução de conflitos interpessoais. Em outras palavras, os efeitos da terapia são sentidos a longo prazo.

Sendo assim, ela é uma ferramenta que deve ser utilizada pelos homens para o encontro efetivo com o bem-estar.

6.    Aprender a administrar o estresse

O estresse faz parte da rotina de praticamente todas as pessoas. Não importa onde vivem e que tipo de trabalho fazem, em algum momento elas se sentem sobrecarregadas e estressadas.

Os homens costumam sofrer com o estresse no ambiente profissional e com preocupações relacionadas a vida financeira.

Como em muitos lares o homem ainda é o único provedor, a responsabilidade de suprir as necessidades da família é dele. O dinheiro precisa entrar para que os familiares possam comprar comida, vestimentas e itens de higiene pessoal, além de terem acesso a oportunidades.

Já no trabalho, o excesso de responsabilidade e os expedientes longos são as maiores causas desse mal-estar. 

Para evitar a sobrecarga e um posterior colapso mental, os homens precisam aprender a administrar o estresse. Eles podem fazer isso ao adotar “remédios caseiros”, como meditação, caminhada e técnicas de relaxamento. Além disso, a terapia pode fornecer o conhecimento que lhes falta sobre gerenciamento de emoções.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Brotto

Thaiana Brotto é psicólogo e CEO do consultório Psicólogo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Registrada no Conselho Regional de Psicologia pelo número CRP 106524/06.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *