Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como evitar conflitos nas festas de fim de ano

Como evitar conflitos nas festas de fim de ano

As festas de fim de ano são esperadas por toda a família ao longo dos meses mais ativos. São momentos de confraternização e de descanso, voltados para risadas e compartilhamento de novidades com parentes distantes. Mas a alegria conjunta também pode dar espaço para ocasionais discussões.

Em tempos de polarização, as brigas em família estão mais recorrentes. Opiniões contrárias causam atrito, mesmo quando partilhadas somente por curiosidade. Para que todo mundo tenha um Natal e Ano-novo relaxante e divertido, é preciso esquecer os temas polêmicos e as “implicâncias”.

Conflitos comuns durante as festas de fim de ano

Ao longo do ano, as pessoas controlam ressentimentos e opiniões antipáticas de outros familiares. A distância amortece os sentimentos ruins, mas, no Natal e no Ano-novo, eles podem aflorar. Um comentário desagradável (que você sabia que aconteceria cedo ou tarde) ou uma opinião polêmica – são suficientes para tirar a paz das reuniões familiares.

Política, por exemplo, é sempre um assunto polêmico que entra em pauta. Em anos de eleição, então, cada um quer dar a sua opinião, mas não quer ouvir a do outro. Discutir temas complexos pode ser interessante, porém, não adianta fazê-lo com o intuito de “derrotar” o ponto de vista dos demais.

Os casais também podem brigar por assuntos deixados de lado durante o ano. Quando o relacionamento está saturado, é comum os cônjuges lavarem a roupa suja em público ou através de confidências com parentes e afins. Assim, alguns familiares podem tomar partido durante as festas de fim de ano e criar um clima chato.

O uso excessivo de aparelhos celulares, a falta de paciência, as pendências emocionais ignoradas ao longo do ano, o divórcio recente, a bebedeira exagerada, os gostos desiguais… São muitas as oportunidades para os conflitos surgirem.

O mesmo é válido para quem vai passar o Natal ou Ano-novo entre amigos. Beber em excesso, discutir assuntos polêmicos e brigar por acontecimentos do passado ou interesses românticos podem estragar os feriados.

Como evitar conflitos nas festas de fim de ano?

As celebrações de Natal e Ano-Novo idealmente seriam marcadas por momentos de alegria, histórias engraçadas e agradecimentos, mesmo quando coisas ruins nos acometem. Atingir esse cenário na realidade não é nada simples.

E, na verdade, você não precisa prezar pela perfeição. Almejar momentos bons ao lado das pessoas queridas já é o suficiente. As dicas abaixo vão ajudá-lo a alcançar esse objetivo neste e nos próximos anos!

1.     Cuide de problemas familiares com antecedência

Você guarda mágoas? Às vezes, deixamos problemas chatos de lado para focar em coisas mais agradáveis. O ponto negativo de não expressar o nosso desconforto em relação a uma situação ou atitude de terceiros é que o incômodo não desaparece.

Todas as famílias, casais e grupos de amigos são imperfeitos. É normal alguns estranhamentos acontecerem de vez em quando. No entanto, a omissão dos seus verdadeiros sentimentos pode contribuir para que pequenos conflitos se tornem grandes e, sobretudo, corriqueiros.

Então, sempre que um acontecimento desagradável o incomodar, converse com a pessoa envolvida na questão. Utilize técnicas de comunicação não violenta e seja brando, evitando fazer acusações ou culpar o próximo. Se necessário, procure ajuda psicológica.

Não deixe ressentimentos se amontoarem em seu interior, pois eles podem incentivar o surgimento da depressão, da ansiedade, do pânico, entre outros.

2.     Evite discussões polêmicas

Assuntos polêmicos devem ser engavetados.

É possível tocar em temas como futebol ou religião em outros ambientes, quando as pessoas estão realmente preparadas para isso. Uma conversa amena sobre polêmicas exige muita coleta de dados, paciência e empatia. Durante festividades de fim de ano, os convidados querem se divertir e geralmente não estão dispostos à isso.

Portanto, não entre em discussões que não enriquecerão o ambiente ou o seu conhecimento. Se a pessoa com quem você conversa não estiver interessada em ouvir a sua opinião e falar em um tom contido, mude de assunto para manter a ordem na festa. 

3.     Não despeje a carga em uma única pessoa

Preparar uma casa para receber uma reunião de Natal ou de Ano-novo é muito trabalhoso. É preciso pensar na decoração, na ceia, no entretenimento (música, por exemplo) e na limpeza depois da confraternização. Deixar que poucas pessoas façam todo o serviço não é legal e ainda cria oportunidades para reclamações da família sobrecarregada.

A solução é compartilhar tudo! Um grupo pode ficar encarregado dos alimentos enquanto outro cuidará da decoração. É cordial deixar o dono da casa escolher a seleção de músicas, filmes ou programas de TV para a noite.

Caso alguém tenha um interesse diferente, é possível chegar a um acordo. No entanto, os gostos e tradições da família que recepcionará a festa devem ser respeitados. Por fim, um grupo fica responsável pela limpeza.

Dessa forma, ninguém ficará sobrecarregado e será possível que todos desfrutem de momentos gostosos ao longo da noite.

4.     Determine um orçamento

Vai ter amigo secreto? Vai ter troca de presentes? Quanto será o orçamento para isso? E o preço do churrasco ou da ceia? Para que todo mundo possa participar sem problemas, determine um limite de valores para cada atividade planejada.

Algumas pessoas podem estar passando por dificuldades e se sentirem constrangidas por não poderem contribuir muito, então delimitar um orçamento é uma forma de assegurá-las de que não precisam se preocupar.

Você pode até definir um valor simbólico para os presentes de Natal, se necessário, ou combinar uma forma diferente de presentear os familiares e amigos. Fazer presentes caseiros, como vídeos ou utilizando um talento pessoal, pode ser uma alternativa para incluir quem não pode gastar muito.

5.     Lidere o caminho!

Se você está esperando passar por momentos chatos porque alguns parentes são inconvenientes, foque essa energia em outro lugar.

As pessoas costumam ficar emburradas quando sabem que terão que passar por momentos tediosos ou pouco agradáveis. Elas tendem a pensar muito no assunto, esperando reencontrar aquele parente desagradável e passar pela “tortura” de perguntas dos tios e tias. Em vez de se lamentar antes da hora, decida espantar o pessimismo com o bom humor e a proatividade.

Por exemplo, entre no espírito natalino e ajude quem precisar durante a festa. Sirva os convidados, recolha os copos descartáveis e pequenos lixos, arrume a mesa, se ofereça para fazer uma sobremesa, distraia as crianças ou converse com os adolescentes emburrados para enturmá-los. Você se sentirá mais útil dessa forma e incentivará outras pessoas a ajudarem também!

6.     Aprenda a deixar as coisas pra lá

Quando compramos brigas sem fundamento (que não sejam voltadas para a nossa autodefesa), elevamos a nossa carga de estresse desnecessariamente. Em outras palavras, nem toda briga merece ser comprada.

Se o seu orgulho o força a entrar em conflitos irrelevantes, reveja a sua necessidade de ter razão ou de “ganhar” um argumento. Quando chegar a hora de todos irem para a casa, aquele momento vai, de fato, importar? Possivelmente não.

Mesmo se ouvir algo que lhe irrite ou lhe entristeça, deixe pra lá! Você pode tentar compreender a mentalidade de quem falou, mas dificilmente mudará a sua opinião ou forma de pensar. Às vezes, optar pelo silêncio é o melhor a fazer para a sua saúde mental.

7.     Agradeça pelos momentos bons

O ano chegou ao fim!

Você provavelmente se estressou, mas também se divertiu e compartilhou muitas experiências boas com seus entes queridos. Agradeça por elas e peça silenciosamente por oportunidades semelhantes no futuro.

Valorize o que você já tem e, se desejar um cenário diferente para o próximo ano, faça planos para passar mais tempo com seus familiares, amigos ou cônjuge. Agradecer vai distraí-lo das implicâncias e brigas familiares, além de melhorar o seu humor.

8.     Lembre-se que as festas de fim de ano podem ser difíceis

Embora as festas de fim de ano sejam divertidas para muitos, elas podem ser estressantes para alguns. O Natal e o Ano-novo são épocas cujas expectativas costumam ser excessivas. A reflexão é útil para o nosso crescimento, mas pode trazer incômodos à tona quando excessiva.

Para quem perdeu uma pessoa querida, terminou um relacionamento, passou por uma crise financeira ou foi demitido, esse período de ponderação não é muito prazeroso. Além disso, muitas pessoas sofrem silenciosamente com a depressão e a ansiedade. Por isso, encontram dificuldade para se sentirem felizes em meio às festividades.

O parente inconveniente pode estar tendo problemas de difícil solução. Sendo assim, seja compreensivo com os demais. Caso você esteja se sentindo muito estressado ou triste, não hesite em pedir ajuda.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *