Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como não prejudicar sua saúde mental: 8 sinais de fatores prejudiciais

Como não prejudicar sua saúde mental: 8 sinais de fatores prejudiciais

Você sabe dizer quando a sua saúde mental está ruim?

A maioria das pessoas hoje, no Brasil e ao redor do mundo, vive um estilo de vida acelerado. Pensam somente em trabalhar, cumprir deadlines, alcançar metas e trilhar um caminho engessado para a autorrealização.

Também precisam pensar em sua própria sobrevivência em um mercado de trabalho extremamente competitivo e saturado. Assim, o medo de não conseguir pagar contas e realizar sonhos ao mesmo tempo já começa cedo, nos últimos anos da adolescência.

As redes sociais, embora também sejam fonte de diversão e informação, bombardeiam mentes cansadas com múltiplos estímulos. Dessa maneira, mesmo nos momentos de descanso, as pessoas não conseguem deixar a mente e o corpo relaxarem em paz.

A consequência desse modo de vida agitado e recheado de preocupações e estímulos é um aumento significativo da ansiedade, depressão e outras condições psicológicas. Normalmente, as pessoas só percebem que a sua saúde mental está ruim quando começam a sofrer sintomas intensos dessas enfermidades.

Entretanto, é possível fazer uma análise do estado da sua saúde mental antes deste cenário extremo se desenrolar. Basta ficar de olho na qualidade dos seus hábitos, sentimentos e emoções.

Abaixo, listamos oito sinais para ajudá-lo a identificar possíveis fatores que estão degradando a sua saúde mental.

1.    Você passa muito tempo sentado

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Rosana






Não quero informar nome ou e-mail





O sedentarismo, além de prejudicar a saúde do corpo, também afeta a saúde da mente. Hoje, a maioria das pessoas passa oito horas sentada em frente a um computador no trabalho e fica cansada demais para praticar exercícios após o expediente. Porém, mexer o corpo é necessário para prevenir doenças físicas e afastar a depressão.

Os exercícios físicos promovem a liberação de hormônios essenciais para o nosso bem-estar emocional. Quando você se sentir triste, cansado ou irritado, experimente sair para caminhar ou correr por alguns minutos. Quando você retornar à sua casa, perceberá uma grande diferença em seu estado emocional. 

A prática corriqueira de exercícios localizados ou esportes também influencia drasticamente na qualidade do humor no dia a dia.

2.    Você não faz o que você realmente quer

Algumas pessoas cresceram acreditando que não podem fazer o que realmente querem. Essa crença possui inúmeras origens, como uma criação rígida, excesso de timidez, ansiedade e fobia social.

Já outras pensam que ajudar os entes queridos a realizarem os seus desejos é mais importante. Elas dizem “não” para si mesmas com frequência, principalmente quando a felicidade de terceiros está em jogo.

Em ambas as ocasiões, acontece a anulação das vontades. À medida que você deixa de fazer, falar, pensar, comer e vestir o que você quer, independente da razão para isso, você se afasta da sua verdadeira essência. Essa dissonância resulta em muito sofrimento emocional.

A felicidade está nos detalhes, por isso, você precisa aprender a se agradar também.

3.    Você passa horas nas redes sociais

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

As redes sociais são fontes intermináveis de entretenimento, de socialização e de informação. Nelas, encontramos de tudo! Logo, elas despertam uma quantidade semelhante de emoções positivas e negativas. Esta montanha-russa emocional gradualmente sobrecarrega o corpo e a mente.

Quanto mais tempo você passar nas redes sociais, mais tempo estará exposto para ambos os elementos bons e ruins. Infelizmente, os últimos tendem a roubar todo o nosso foco. Comentários negativos, brigas virtuais, discussões políticas, notícias ruins… Todos esses estímulos acabam com a saúde mental.

Quanto tempo você passa nas redes sociais? Por mais que você também se divirta com elas, procure analisar criticamente a qualidade do seu tempo em contato com elas e faça as reduções necessárias.

4.    Você deixa as obrigações para depois

A procrastinação se tornou um assunto bastante popular nos últimos anos. Este hábito de deixar tudo para depois causa frustração e ansiedade, além de aumentar a probabilidade de crises e erros cometidos no trabalho.

A pessoa que deixa as obrigações para depois precisa resolver muitas coisas de uma vez só. Por fazer tudo às pressas, comete erros bobos e se frustra por não ter sido mais cautelosa. Mesmo assim, ela não consegue deixar de procrastinar.

Isso acontece porque a procrastinação tem uma causa emocional. Não é preguiça nem má vontade. Normalmente, deixar as obrigações para depois é uma característica de pessoas insatisfeitas com as suas vidas ou confusas com o caminho que escolheram percorrer. Assim, não há apego emocional no que se faz.

5.    Você não se coloca como prioridade

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Você sabia que deve se colocar como prioridade em tudo? Pode soar como egoísmo, mas é a pura verdade. Pessoas que se colocam em primeiro lugar em suas vidas são mais felizes e realizadas. Por pensarem sempre em seu bem-estar, escolhem boas amizades, cônjuges e oportunidades.

A sua saúde mental pode estar sofrendo com a falta de autocuidado. Se você acredita que os outros merecem mais a sua atenção e apreço que você mesmo, precisa refletir sobre o quanto você, de fato, se valoriza.

Compreenda que nada vale a sua saúde mental. Intrigas no ambiente profissional, fofocas entre amigos ou familiares, relacionamentos abusivos, estresse, ressentimento, medo… Todos esses fatores desgastam o seu estado emocional e psicológico.

6.    Você é muito pessimista

O pessimismo é uma toxina para a saúde mental. Algumas pessoas têm uma visão de mundo naturalmente pessimista enquanto outras a adquirem após experiências marcantes.

Embora nem sempre seja possível se manter otimista, entregar-se aos pensamentos pessimistas não é recomendado. Esses devaneios geram emoções negativas as quais aumentam o estresse e a ansiedade.

Você não precisa abraçar uma filosofia de vida de extrema positividade. O excesso de otimismo é igualmente prejudicial porque nos afasta da realidade.

Porém, você pode tentar ver o lado positivo de cada situação para aliviar o seu sofrimento. Deste jeito, você se concentra em fatores que realmente é capaz de mudar ou usar em seu benefício em vez de gastar energia se lamentando. 

7.    Você pensa muito no futuro e no passado

A vida é feita para ser vivida no hoje. Esta lição está presente em filmes, palestras, livros, redes sociais, histórias infantis, conversas, novelas, programas de TV e músicas. Ou seja, em todo lugar!

Essa concepção pode ser muito clichê em razão de sua repetição infindável, mas não deixa de ser verdade.

O apego ao passado só traz sofrimento. Você não pode mudar as suas vivências anteriores nem voltar no tempo para alertar o seu “eu” mais jovem a agir ou pensar diferente. Então, qual é o objetivo de remoer o que já passou?

Por outro lado, o apego ao futuro causa ansiedade. Você ainda não viveu determinada experiência, mas se preocupa com ela exaustivamente. É o famoso “sofrer por antecedência”. Apesar de ser importante se preparar para o futuro, não é saudável ficar pensando nele o tempo inteiro.

8.    Levar a vida muito a sério

Levar a vida muito sério significa ter uma perspectiva rígida da mesma.

Você idealiza vivências e relacionamentos com fervor, desejando que tudo saia conforme o planejado. Da mesma forma, você desvaloriza momentos de descontração com pessoas queridas porque está preocupado demais com assuntos que não pode controlar.

Você também possui dificuldade de enxergar as suas falhas com compaixão e se perdoar por não corresponder as suas próprias expectativas. Deste modo, se torna o seu pior inimigo.

Além disso, quem leva a vida muito a sério costuma fazer tempestade em copo d’água. Uma situação pequena e superficial se transforma em uma verdadeira tragédia.

Felizmente, não temos o controle sobre todos os aspectos das nossas vidas. Podemos determinar as nossas reações diante de acontecimentos e fazer escolhas, mas é impossível controlar as consequências e as pessoas ao nosso redor.

O que fazer?

Como Escolher seu Psicólogo

Nesse guia completo você vai conhecer tudo sobre psicólogos e psicoterapia. A escolha do psicólogo certo para você envolve diversos fatores. Descubra aqui.

COMO ESCOLHER O SEU PSICÓLOGO

Existem várias formas de cuidar da saúde da sua mente, porém, a terapia é a mais eficaz. Enquanto você pode – e deve – modificar hábitos, emoções e pensamentos negativos no dia a dia, algumas questões são difíceis de lidar sem ajuda de um profissional.

Você pode estar apegado a memórias ruins do passado, relacionamentos tóxicos ou crenças degradantes sem ter consciência disso. Até mesmo quando as pessoas desconfiam da causa de sua angústia, elas têm dificuldade para combatê-la devido à carga emocional atrelada a ela.

A terapia proporciona um ambiente seguro e acolhedor para passar por esse processo de autoconhecimento e de libertação emocional. À medida que as dores emocionais são sanadas, o estado emocional automaticamente se abranda.

Quem frequenta a terapia consegue viver com leveza e fazer a manutenção da sua saúde mental constantemente. Além disso, consegue estabelecer bons hábitos, relacionamentos e objetivos de vida.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Brotto

Thaiana Brotto é psicólogo e CEO do consultório Psicólogo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Registrada no Conselho Regional de Psicologia pelo número CRP 106524/06.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *