Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como as mães podem equilibrar a vida pessoal, profissional e familiar?

Como as mães podem equilibrar a vida pessoal, profissional e familiar?

As mães brasileiras ainda encontram muitos desafios para encontrar o equilíbrio entre diversas áreas de suas vidas. Dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT) revelaram que as mulheres brasileiras trabalham, em média, o dobro que os homens quando o assunto são afazeres domésticos.

A pesquisa apontou, ainda, que as mulheres dedicam cerca de 26 horas semanais às tarefas de casa enquanto os homens dedicam apenas 11 horas. Juntando essa responsabilidade com o trabalho fora de casa e o cuidado com os filhos, as mulheres costumam ter menos tempo para si.

Segundo psicólogos, essa ausência de autocuidado aumenta a probabilidade das mulheres – e, neste caso, mães – chegarem ao esgotamento psicológico e desenvolverem outras condições de saúde mental, como depressão e ansiedade. Como, então, encontrar o equilíbrio para se ter uma vida saudável diante desse cenário?

Desafios das mães para ter uma vida equilibrada

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Suliane






Não quero informar nome ou e-mail





Embora tenha se conquistado muito no campo da igualdade de gênero no Brasil, como acesso à educação e às profissões consideradas estritamente masculinas, ainda há trabalho a se fazer.

Como os afazeres domésticos e o cuidado com os filhos normalmente são responsabilidade das mães, sobra pouco tempo para o autocuidado. Esse termo se refere aos cuidados direcionados às várias áreas de nossas vidas, como social, profissional, financeira, espiritual, emocional e pessoal. Os cuidados com a saúde, é claro, também são componentes importantes.

A dupla jornada pode chegar a um ponto tão estressante que algumas mães podem optar por deixar de trabalhar e dedicar todo seu tempo aos cuidados com a casa.

Não há nada de errado com essa escolha quando é feita conforme o desejo da mulher. Entretanto, quando ela é obrigada a tomar essa decisão por conta de fatores externos, pode sofrer com frustração, raiva e tristeza com o passar do tempo. Esses sentimentos são comuns principalmente quando a mãe cansada tem objetivos profissionais claros.

Algumas mulheres encontram dificuldade para conversar com os parceiros sobre o assunto. Mesmo que admitem compreender a sobrecarga de trabalho delas, podem não desempenhar seus papéis dentro de casa por conta de crenças pessoais e apego aos papéis sociais tradicionais. Deste modo, as mães podem se sentir impotentes e sem apoio.

Há, ainda, mães que se preocupam com o laço construído com os filhos. Por não passarem tanto tempo quanto o desejado com eles ou, pelo menos, tempo de qualidade quando não estão cansadas, costumam se perguntar se estão cometendo erros na educação deles. 

Como equilibrar a vida profissional, pessoal e familiar?

Mães cansadas podem pensar o contrário, mas é possível encontrar o equilíbrio entre a vida profissional, pessoal e familiar. É preciso ter um pouco de paciência para encontrar o melhor método de gerenciamento de tempo.

Muitas mulheres desejam ser perfeitas. Essa aspiração tende a estar relacionada com ensinamentos acerca do papel da mulher na sociedade e na família, os quais são recebidos na infância e reforçados ao longo da vida. A intensidade do desejo também depende da personalidade de cada uma.

O problema é que não existe perfeição. Nem mesmo o “equilíbrio perfeito” entre as múltiplas esferas de nossas vidas pode receber esse título. 

Há períodos em que podemos nos sentir desanimados em relação ao trabalho e realizados em relação a outro aspecto de nossas vidas, como crescimento pessoal e educação dos filhos. Meses ou semanas depois, esses sentimentos podem se inverter.

Ou seja, a vida não é estável. Nossos dias mudam com frequência e imprevistos acontecem. Exigir perfeição em tudo o que você faz ou nas situações pelas quais você passa é improdutivo e ainda causa muito sofrimento emocional. Tenha isso em mente enquanto procura encontrar o equilíbrio em sua vida.

1.     Defina as suas prioridades

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Definir prioridades ajuda a distinguir quais são as suas responsabilidades em diferentes níveis, tanto no trabalho quanto em casa. O que não pode ser comprometido? O que pode ser negociado? Quais são os seus principais compromissos com a família, relacionamento e trabalho?

Responder essas perguntas com clareza vai ajudá-la a priorizar o que é de fato importante em cada campo da sua vida, ajustar a sua rotina e objetivos e, ainda, estabelecer o que você está preparada ou não para fazer.

2.     Converse com seu cônjuge

Sempre seja sincera com seu cônjuge sobre como você está se sentindo em casa e fora dela. Compartilhe quando estiver sobrecarregada, cansada e precisando de ajuda para conciliar a vida pessoal e profissional.

Divida as tarefas domésticas, os cuidados com os filhos e a administração financeira do lar, delegando afazeres de acordo com a habilidade e conforto de cada um. Se você tomar a frente, passará a mensagem de que pode resolver tudo sozinha. Será complicado quebrar essa dinâmica familiar no futuro.

Já se o seu cônjuge demonstrar desinteresse em ser responsável pela parte dele, tenha uma conversa séria não apenas sobre essa situação, mas a direção do seu relacionamento. A relação a dois saudável é construída com base em afeição, respeito mútuo e companheirismo. 

3.     Converse com familiares

Peça ajuda de familiares se precisar que alguém cuide das crianças ou realize determinada tarefa doméstica com urgência. Obviamente, procure os parentes com quem você tem mais afinidade! Se um tio, primo ou sobrinho estiver morando com você, seu cônjuge e filhos, estabeleça tarefas domésticas para que ele também ajude a manter a casa em ordem.

4.     Seja honesto com seu empregador

Como Escolher seu Psicólogo

Nesse guia completo você vai conhecer tudo sobre psicólogos e psicoterapia. A escolha do psicólogo certo para você envolve diversos fatores. Descubra aqui.

COMO ESCOLHER O SEU PSICÓLOGO

É ideal manter a transparência com seu empregador. Isto é, comunicar seu gerente, departamento de RH ou chefe sobre situações que podem afetar o trabalho de alguma forma.

Por exemplo, se não conseguir chegar a tempo no escritório por ter que deixar as crianças na escola ou creche, converse com o empregador para ajustar o seu horário ao redor dessa necessidade.

Esteja preparada para apresentar soluções alternativas caso a sua solicitação não seja bem recebida, mostrando que esse pequeno ajuste não irá afetar sua produtividade e desempenho profissional.

Muitas mães cansadas podem ter medo de conversar com seus empregadores por conta do preconceito que ainda persiste em algumas empresas em relação às mães que trabalham. Já que por vezes podem ter imprevistos no trabalho por conta dos filhos, podem ser vistas como inconvenientes.

Compreenda que esse modo de pensar está totalmente relacionado ao outro, não a você. Você não deve se sentir mal, envergonhada ou intimidada por conta da sua condição de vida.

5.     Faça bom proveito da tecnologia

Além de nos ajudar a trabalhar, a tecnologia pode nos conectar com quem amamos quando estamos longe. Então, utilize a tecnologia para ficar conectada com seus filhos!

Quando sentir falta deles, faça uma ligação ou videochamada durante o seu intervalo de almoço ou à tarde. Se são crianças, peça para quem estiver tomando conta delas enquanto você trabalha ajudá-las com os dispositivos. Assim, você alivia o estresse e a preocupação com o bem-estar deles.

6.     Aprenda a delegar tarefas

Não há nada de errado em admitir que você não está conseguindo dar conta de tudo. Afinal, somos humanos, não máquinas! Quando você faz tudo sozinha, sem descanso e forçando os seus limites, você está fatigando o seu corpo e preparando-o para um possível colapso.

O mesmo acontece com a mente. A única diferença é que o colapso nesse caso é psicológico. Dessa forma, peça ajuda, delegando as tarefas cabíveis para familiares, colegas de trabalho e o cônjuge.

7.     Estabeleça limites entre a casa e trabalho

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Uma das maiores lições que mães cansadas podem aprender é dizer ‘não’ quando convém. Ninguém é obrigado a aceitar tudo o que lhe é oferecido, especialmente quando não são fatores alinhados com suas prioridades.

Ao estabelecer limites claros, você consegue aproveitar os aspectos da sua vida que são realmente importantes, como tempo com a família e descanso, e necessários para o seu bem-estar emocional.

Para isso, procure não dividir a sua atenção enquanto estiver com os filhos e cônjuge, mandando e-mails e discutindo questões de trabalho no celular. Da mesma forma, não leve assuntos demasiadamente pessoais para o trabalho.

8.     Encontre tempo para você

O trabalho é importante, assim como a família. Mas, como você conseguirá dar a atenção adequada para ambos se não estiver bem consigo mesma? O segredo para viver uma vida equilibrada é encontrar tempo para fazer o que você ama.

Tire um tempo da semana para fazer um hobby, ler um livro, assistir a um filme interessante, caminhar por um local bonito, meditar, entre outros. Demandas e obrigações devem ser esquecidas para que esse momento seja somente seu.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Brotto

Thaiana Brotto é psicólogo e CEO do consultório Psicólogo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Registrada no Conselho Regional de Psicologia pelo número CRP 106524/06.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *