Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como lidar com a síndrome do ninho vazio?

Como lidar com a síndrome do ninho vazio

A síndrome do ninho vazio é um período doloroso na vida de muitos pais. Aprenda a lidar com essa situação!

Os psicólogos se referem a síndrome do ninho vazio como um período caracterizado por um profundo sentimento de melancolia que atinge os pais quando os filhos crescem e saem de casa. É uma experiência muito real e triste para muitos pais.

É preciso ressaltar que nem todos os pais experimentam essa sensação de angústia ao ter que lidar com uma casa vazia. No entanto, alguns progenitores se veem muito solitários quando os filhos saem de casa e vivem esse momento com grande dificuldade..

Você está sofrendo com a recente saída dos seus filhos de casa? Nesse texto vamos te ajudar a superar a tristeza! Acompanhe!

Síndrome do ninho vazio – o que é?

A síndrome do ninho vazio é um período de luto que ocorre quando os pais, cuja principal responsabilidade é cuidar dos filhos, se veem livres dessa obrigação.

O grau de sofrimento emocional pode variar muito de pessoa para pessoa. Quanto mais os pais estiverem envolvidos na vida e nas atividades de seus filhos, abrindo mão das suas próprias atividades e necessidades, mais sentirão distúrbios emocionais e sofrimento.

Como lidar com a síndrome do ninho vazio?

1. Busque novos interesses

Muitos pais relatam aos psicólogos que se sentem muito sozinhos depois que os filhos saíram de casa e não precisam mais ajudar nos deveres domésticos ou se preocuparem em buscarem os filhos em algum evento. Quando os pais têm grande parte do seu dia dedicada ao cuidado dos filhos, esse vazio precisa ser preenchido.

Mas qual a melhor maneira de fazer isso? É preciso encontrar novos interesses. Pense: quais atividades te dão mais prazer? O que você gostaria de ter feito, mas acabou deixando em segundo plano com o nascimento dos seus filhos? Você precisa encontrar algo que seja do seu interesse e que dê prazer e significado à sua vida.

Busque por atividades que inclua o contato com outras pessoas. Por exemplo, se você gosta de fotografia, que tal entrar em um clube? Essa ação permitirá que você estabeleça vínculos com pessoas tão apaixonadas por fotografia como você.

2. Reaqueça o seu relacionamento

Muitos casamentos terminam quando os filhos crescem e saem de casa. Isso ocorre porque muitos casais acabam descobrindo que os filhos eram o único vínculo que os mantinham unidos.

Mas nem sempre essa história tem que terminar assim. Se os filhos saíram de casa, aproveite a oportunidade para reacender o romance e melhorar o seu casamento. Essa é uma oportunidade para você e seu marido encontrar um hobby em comum ou algo que estejam dispostos a fazerem juntos. Que tal fazerem um passeio de bicicleta? Irem ao cinema ou ao teatro? Começarem a observar os pássaros?

Seja o que for, busque uma atividade prazerosa que permita que vocês sintam prazer em compartilharem uma experiência.

3. Conte com o apoio do seu cônjuge

Nem sempre os pais reagem da mesma maneira ao se verem novamente sozinhos em casa. Muitas vezes, um cônjuge está muito ocupado com a sua rotina de trabalho e pode não perceber que o parceiro está passando pela síndrome do ninho vazio.

Como Escolher seu Psicólogo

Nesse guia completo você vai conhecer tudo sobre psicólogos e psicoterapia. A escolha do psicólogo certo para você envolve diversos fatores. Descubra aqui.

COMO ESCOLHER O SEU PSICÓLOGO

Se você está vivendo essa dor, chame o seu companheiro para uma conversa e conte a ele como está se sentindo. Deixe-o saber que você precisa de suporte emocional e precisa de companhia durante esse período.

Caso o seu parceiro diga a você que está vivenciando a síndrome do ninho vazio, ofereça suporte emocional e deixe-o expressar os seus sentimentos sem julgamentos. Seja companheiro e o chame para sair e reavivar a sua vida.

A rotina precisa ser reajustada quando os filhos saem do ninho. Oferecer apoio ao parceiro e reinvestir no seu relacionamento por meio de atividades compartilhadas pode ajudar nessa transição.

Agora que você já sabe como enfrentar a síndrome do ninho vazio, que tal descobrir quando procurar um psicólogo?

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Como cuidar do seu relacionamento

    Como cuidar do seu relacionamento
    Cuidar do seu relacionamento nem sempre é fácil, portanto saiba o que deve ser feito e entenda quando a Terapia de Casal e um psicólogo podem lhe ajudar.
  • 7 maneiras de demonstrar amor e fortalecer o relacionamento

    Psicólogos ensinam a demonstrar amor e fortalecer o relacionamento
    Não existe relacionamento perfeito. No entanto, há relacionamentos saudáveis e frágeis. Os psicólogos dizem que é importante perceber quando a relação não vai bem, principalmente na forma de observar as maneiras de demonstrar amor, afim de...
  • Relacionamento Conjugal

    Relacionamento Conjugal e Psicologia
    Os desafios dos relacionamentos conjugais. Quem é, ou já foi casado, sabe que viver debaixo do mesmo teto com outra pessoa não é tarefa fácil.

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Psicóloga Thaiana F. Brotto

CRP 106524/06. CEO do consultório Psicologo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC

2 comentários em “Como lidar com a síndrome do ninho vazio?

  1. Eramos quatro pessoas felizes, eu , esposa, mãe e pai.
    Minha esposa, foi embora em Dezembro 19, alegand que os netos dele, estavam pecisando de sua ajuda, desculpa para terminar uma relação de oito anos.
    Minhã querida mãe, partiu em Março do ano passado, podem até ter incluido ela na estatisrtica do covid.
    Em agosto, pequei COVID.
    Em JANEIRO 2021, meu pai foi embora, fiquei só.

    Posso estar com essa sindrome do ninho vazio?

    • Olá!
      Pode ser, sim. Minha sugestão neste momento é que você busque o auxílio de um profissional para abordar essas questões e ressignificar todos esses eventos que aconteceram nos últimos meses. Eu tenho certeza que será muito importante para você!
      Abraços,
      Psicóloga Thaiana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *