Vício em videogames

Vício em videogames

Embora ainda não seja reconhecido pela Associação Médica como um transtorno diagnosticável, o vício em videogames é um problema real para muitas pessoas. De acordo com a Universidade do Novo México, estudos recentes sugerem que de 6 a 15% de todos os jogadores apresentam sinais que poderiam ser caracterizados como vício. Embora este comportamento possa ter consequências significativas, seus sinais e sintomas às vezes podem ser muito difíceis de reconhecer.

Os dois tipos de vício em jogos

Existem dois tipos principais de jogos na atualidade, portanto, dois tipos principais de vício. Os jogos de videogame tradicionais são jogados em campanhas solo, por um único jogador, que envolve um objetivo e uma missão clara. O vício deste tipo de jogo está relacionado com a conclusão das missões ou bater uma pontuação elevada.

O outro tipo de vício em videogames está associado a jogos multiplayer online. Estes jogos são jogados online com outras pessoas e são especialmente viciantes, porque geralmente não têm fim ou uma conclusão final. Os jogadores com este tipo de vício gostam de criar e, temporariamente, se tornar um personagem online. Muitas vezes o indivíduo viciado constrói relacionamentos com outros jogadores on-line como uma fuga da realidade. Para alguns, esta comunidade pode ser o lugar onde eles se sentem mais aceitos.

O que causa o vício em videogames?

Uma das principais razões que fazem os jogos serem tão viciantes é que eles são projetados para isso. Designers, programadores e desenvolvedores estão em busca do lucro, logo, procuram maneiras de obter mais pessoas jogando seus jogos. Eles realizam esta técnica ao fazer jogos desafiadores o suficiente para manter os jogadores ligados, mas não tão desafiador para fazê-los desistirem.

Sintomas do vício em jogos

  • Sentimentos de inquietação e / ou irritabilidade quando não está jogando;
  • Preocupação e pensamentos com relação ao jogo online, e sentimento de antecipação com a próxima sessão online;
  • Mentir para amigos ou familiares sobre a quantidade de tempo que passa jogando;
  • Isolamento dos outros, a fim de passar mais tempo no jogo;
  • Fadiga;
  • Enxaquecas devido à intensa concentração ou esforço dos olhos;
  • Síndrome do túnel carpal, causada pelo uso excessivo do mouse ou controle;
  • Descuido com a higiene pessoal.

Efeitos do vício em jogos

Assim como qualquer outro transtorno compulsivo, o vício em videogame pode levar a consequências negativas graves. Embora a maioria dos sintomas listados acima tenham efeitos de curto prazo, eles podem levar a problemas mais severos ao longo prazo se não tratados adequadamente. Por exemplo, alguém viciado em jogos, muitas vezes, evitar dormir ou fazer refeições adequadas para continuar jogando. Embora os efeitos a curto prazo incluam fome e fadiga, pode se transformar eventualmente em um distúrbio do sono ou problemas de saúde relacionado à dieta, como anorexia, diabetes e desnutrição.

Outros efeitos ao longo prazo do vício em jogos são as consequências financeiras, acadêmicas e profissionais. Os jogos de videogames e computadores podem ser bem caros, além dos custos de uma conexão de internet de alta velocidade necessária para jogar online. Por conta do vício, os jogadores viciados diminuem cada vez mais o tempo para se concentrar em sua educação ou carreira.

Depressão e o vício em jogos

Dois estudos* recentes sobre as relações entre o vício em videogames e depressão mostrou uma correlação alarmante entre os dois. Se você sofre de ambas as condições, é importante procurar a ajuda de um psicólogo, que pode ajudar a resolver o problema de acordo com sua gravidade. No entanto, se você tentar tratar o vício em videogames sem tratar a depressão subjacente, é muito provável que o comportamento compulsivo retorne.

Tratamento para o vício em jogos

A recuperação nem sempre é fácil, mas é possível. O vício em videogames pode ser tão perigoso quanto qualquer outro e deve ser tratado como tal. O primeiro passo para superar a dependência é ser capaz de reconhecer que ela existe. Se você ou alguém que conheça apresenta algum dos sinais ou sintomas descritos acima, não hesite em procurar ajuda de um psicólogo. Ele saberá indicar o tipo de terapia mais indicada para o caso, e talvez seja necessária a intervenção medicamentosa feita por um psiquiatra.

A autoavaliação mais eficaz que pode ser feita é examinar a lista dos sintomas associados com o vício em videogames citados acima. Se você acha que você ou alguém do seu convívio apresenta algum destes sinais, pode ser um bom momento para cortar a quantidade de tempo jogando.

*Fonte: http://well.blogs.nytimes.com/2011/01/18/video-games-and-the-depressed-teenager

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.