Pessoas controladoras: como lidar?

Categoria dos serviços do psicólogo: ajuda emocional
Pessoas controladoras: como lidar

Quem não deseja ter a vida em ordem? Contudo, não são todos que conseguem, não é mesmo? Isso porque é necessário muita disciplina, uma mente clara e analítica, além de persistência e boa vontade.

A pessoa organizada consegue alcançar muito sucesso na vida. Ela assume responsabilidades e lida com um alto volume de funções. Entretanto, existe quem gosta de controlar tudo: seja no trabalho, em casa, na escola ou até mesmo nas relações amorosas.

O controle é um ponto que merece muita atenção quando estamos falando sobre o comportamento humano. Isso porque, controlar significa interferir no livre-arbítrio que não lhe pertence. Uma pessoa controladora deseja impor sua vontade acima de todos e só quem convive – ou é – uma pessoa controladora sabe o quanto difícil pode ser lidar com essas situações, quando não há flexibilidade para a composição de interesses.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para buscar ajuda emocional, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Se você conhece ou é uma pessoa controladora, está na hora de procurar o auxílio de um psicólogo e entender mais a fundo sua necessidade emocional de aprovação. Mas, antes, que tal entender um pouco sobre as características desse traço da personalidade e como lidar com pessoas controladoras? Vamos lá?

Características de uma pessoa controladora

  • Invasão de privacidade: por querer exercer o controle, um controlador não respeita a privacidade, pois não há confiança. É preciso procurar o aconselhamento de um psicólogo, pois mesmo quando não é descoberto por ninguém, esse comportamento cria um distanciamento entre você e a pessoa vigiada, já que sua desconfiança não possibilita uma entrega completa ao relacionamento – seja amoroso ou não.
  • Falta de limites: por querer interferir no livre-arbítrio alheio, muitas vezes a pessoa controladora deseja tomar decisões que não lhe competem e não pensa nas emoções do outro, extrapolando os limites impostos. Se esse é o seu caso, o psicólogo também poderá lhe ajudar.
  • Sentimento de onipotência: aqui é o sentimento de “autoimportância”, pois quando algo sai do seu controle, se sente onipotente e não entende porque os outros não percebem que você está sempre certo. Contudo, não existe certo ou errado e ninguém é perfeito ou sempre certo. Por isso, procure um psicólogo para conversar sobre essa necessidade de ser o “dono da verdade”.
  • Medo do novo: o controle exige rotina e constância, o que gera o medo sobre tudo que possa ser novo. Se você precisa que as coisas sempre ocorram da mesma maneira e não sabe lidar com imprevistos, ficando com medo de perder o controle, procure um aconselhamento com o psicólogo. Ele irá te auxiliar a perceber que é preciso manter o equilíbrio mesmo quando as coisas não acontecem conforme o planejado.
  • Sobrecarregamento: se você acredita que precisa manter o controle de tudo para que a vida aconteça, é muito provável que irá acumular responsabilidades, tarefas e emoções, o que é muito cansativo e te sobrecarrega.

Como lidar com pessoas controladoras

Não é fácil lidar com pessoas controladoras, não é mesmo? Mas aqui vão 4 dicas que podem te auxiliar nessa empreitada.

1. Não tente mudar o comportamento do outro

Se perceba antes de perceber o outro. Veja o que acontece para que essa pessoa tem a capacidade de controlar você. Observe se são as ações que dão esse “gatilho” e não se permita entrar nesse jogo. Você pode mudar antes de tentar mudar o outro, não seja passivo.

2. Converse sempre!

O diálogo é o melhor remédio. Não deixe as emoções afloraram para expressar seus sentimentos de como ser controlado e manipulado não faz bem a você. Procure ser sincero e encontrar mudanças a favor do relacionamento de vocês.

3. Defenda seus direitos

Não precisa gritar e brigar, mas é preciso defender seus direitos como indivíduo. Seja sincero, mas assertivo e explique o porquê ser controlado não é saudável.

4. Procure um psicólogo

O melhor caminho é procurar o aconselhamento de um terceiro para que você possa ter ajuda nessa empreitada de auxiliar seu parceiro, amigo, mãe ou irmão controlador.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.