Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Manipulação emocional: saiba o que é e os 8 sinais de uma manipulação

Reconhecer uma chantagem emocional

A manipulação emocional nem sempre é fácil de ser identificada e ela pode trazer consequências muito prejudiciais para as pessoas manipuladas.

Por isso, é importante darmos a devida atenção às relações que estabelecemos ao longo da vida e ao que essas relações representam em nosso cotidiano e, consequentemente, aos impactos que elas trazem para a nossa saúde mental.

A manipulação emocional pode estar presente em qualquer modelo de relacionamento, seja ele interpessoal ou profissional. Ela pode se apresentar de maneira sutil ou explícita e, por isso, identificá-la em alguns casos pode ser um pouco mais delicado.

A manipulação emocional nem sempre é óbvia e ela também pode ser compreendida como chantagem emocional.

Tanto a chantagem emocional quanto a manipulação emocional são as mais discretas das violências que podem ocorrer em um relacionamento. Geralmente elas são ignoradas por parecerem irrelevantes.

No entanto, psicólogos alertam que esse tipo de comportamento pode denunciar e mascarar outros tipos de comportamentos mais sérios e transtornos mentais.

Ao longo do artigo iremos nos aprofundar um pouco mais em cada um desses comportamentos.

O que é manipulação emocional?

Manipulação emocional é quando uma pessoa se utiliza de palavras, gestos ou simulação de sentimentos para influenciar o outro de forma consciente com o objetivo de conseguir o que se deseja.

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Rosana






Não quero informar nome ou e-mail





Todos nós, em algum momento da vida, já fizemos ou já fomos alvo de chantagem emocional. Aprendemos e desenvolvemos essa capacidade desde a infância, quando queríamos a atenção dos nossos pais.

Mas, é na idade adulta que a chantagem emocional passa a ser uma arma de manipulação para alcançar objetivos. Este tipo de persuasão pode levar a situações críticas e suas consequências podem ser desastrosas.

São notórias a inteligência e a envolvência que pessoas chantagistas possuem. Muito mais comum nos relacionamentos amorosos, a chantagem emocional é uma forma de violência, tornando o outro um escravo de desejos e vontades incabíveis.

Fazer charme, negociar, entrar em acordo é saudável dentro de um relacionamento e faz parte da convivência a dois. Cabe aprender a distinguir o que são combinados do que são jogos de manipulação.

A chantagem emocional, quando não identificada precocemente, tende a reprimir a liberdade e o livre arbítrio, dando a quem é vítima da chantagem, a sensação de estar sempre em débito com o outro.

Conheça 8 sinais de manipulação emocional

Como mencionado anteriormente, esse tipo de manipulação pode ser muito sutil. Por isso, compilamos os 8 sinais mais comuns que podem facilmente ser identificados em manipuladores emocionais. Confira a seguir.

1. Manipulam por meio de palavras

Um manipulador pode dizer coisas de uma maneira que pareçam extremamente genuínas e honestas. Eles, geralmente, são treinados na arte de esconder suas verdadeiras intenções.

O manipulador tem como base a ideia de sempre sentir que está tirando proveito de qualquer situação e, principalmente, de que sempre está no controle da própria vida e da vida do outro.

Isso acontece porque eles não suportam a ideia de que algo não seja exatamente da maneira que lhes agrada e, por isso, manipulam pessoas e circunstâncias para que os resultados saiam como o planejado. O objetivo da pessoa manipuladora é satisfazer as suas próprias vontades.

Não por menos, manipuladores também são pessoas extremamente frustradas pois, embora encontrem no caminho pessoas suscetíveis à manipulação, estar no controle é uma ilusão – afinal, a vida não acontece detalhadamente da maneira que planejamos.

Quando contestados, manipuladores irão inverter a situação e buscar alguma falha anterior do outro, para justificar a sua ação.

Irão recorrer ao passado, situações em que foram complacentes e buscar referências em defeitos reconhecidos no parceiro, para tirar o foco do assunto em questão. Assumem uma postura de vítima, despertando o sentimento de culpa no outro.

2. Inconformidade e autopunição

Ao ser confrontado sobre o seu comportamento ou quando não concorda com atitudes alheias, o chantagista irá demonstrar inconformidade e pode recorrer à autopunição.

Frases como “eu não mereço isso”, “você não pode fazer isso comigo” ou o inverso, como “eu realmente mereço isso”, “sou a pior pessoa do mundo”; são recorrentes em discussões com manipuladores.

3. Distorcem os fatos

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Um comportamento muito comum dos manipuladores é o de distorcer situações e fatos para não se prejudicarem ou simplesmente não assumirem qualquer tipo de erro ou culpa.

Com isso, facilmente invertem todo o contexto de uma situação, sendo capazes até mesmo de envolver terceiros numa história apenas para “provar” a sua razão. Eles têm o hábito de estruturarem tão bem as suas convicções que conseguem fazer com que as pessoas acreditem em suas histórias.

Manipuladores são pessoas que não suportam a ideia de ter qualquer falha em evidência.

Por essa razão, também são pessoas que assumem poucas responsabilidades na vida, já que acreditam que o outro deve se submeter a ele, mas ele jamais deve se submeter ao outro.

4. São bons em fazer as outras pessoas sentirem culpa

A culpa é uma das grandes armas da manipulação emocional, em especial quando o manipulador está dentro de um relacionamento amoroso.

É importante sempre lembrarmos que os manipuladores estão o tempo inteiro em alerta, para jamais se sentirem prejudicados em qualquer situação que seja. A busca pelo próprio bem-estar, a qualquer preço, é o combustível dessas pessoas.

Por isso, quando um manipulador está num relacionamento, ele tende a culpar o outro por tudo o que não vai bem na relação, sem jamais cogitar a hipótese de que ele também tem responsabilidade naquilo que não está bom.

Se o outro faz qualquer cobrança na relação, o manipulador rapidamente encontrará argumentos para dizer que o que não vai bem é porque o outro não está fazendo por onde.

Frases comuns nesse tipo de relação: “Você está me cobrando, mas não tem olhado para os próprios erros”; “Eu não fico cobrando você o tempo inteiro das coisas que eu não gosto”; “Você só sabe reclamar e por isso a nossa relação está indo de mal a pior” – mesmo que nada disso seja verdade, o manipulador na maioria das vezes consegue convencer o outro de que, realmente, a culpa não está nele.

Manipuladores irão recorrer a tudo. E um bom drama, exige uma boa performance teatral. Choro, autoflagelamento, dores repentinas no peito, gritos, pode fazer parte da cena.

O inverso também pode ocorrer, sempre de forma exagerada, como o silêncio súbito, não reação, apatia e olhar vago, podem ser usados para sensibilizar o outro e amenizar as cobranças.

5. Minimizam a dor e as inseguranças das outras pessoas

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Manipuladores possuem pouca ou quase nenhuma responsabilidade afetiva. Para eles, a tristeza, a dor e a vulnerabilidade do outro são caracterizadas como frescuras e fraquezas de personalidade.

Isso acontece porque eles têm dificuldade em enxergar as outras pessoas com empatia.

Sendo assim, ao ouvir a queixa de alguém sobre uma angústia ou um conflito, seja no trabalho ou na vida pessoal, certamente o manipulador dirá que aquilo é bobagem e que o outro está fazendo “tempestade em copo d’água”, fazendo essa pessoa realmente pensar que aquele sofrimento não é importante.

Outra característica comum nestes casos é de o manipulador diminuir o sofrimento do outro contando histórias pessoais, como se ele passasse por problemas muito maiores e mais difíceis – querendo, obviamente, demonstrar que continua “firme e forte apesar de também passar por tudo isso”.

6. Manipuladores tendem a ter comportamentos passivo-agressivos

Embora os manipuladores tenham pouca empatia com as outras pessoas e priorizem o próprio bem-estar, eles entendem que não podem viver sozinhos, afinal, convivemos em sociedade e precisamos das outras pessoas por diversas razões.

No entanto, mesmo que não esteja acontecendo nenhuma situação específica, o manipulador pode sentir vontade de atacar emocionalmente a outra pessoa, apenas por diversão. Com isso, facilmente demonstram comportamentos passivo-agressivos com as pessoas ao redor.

Ou seja, muitas vezes fazem uma crítica sutil em tom de brincadeira ou machucam o outro com palavras, inventam histórias (as chamadas fofocas) e depois dizem que aquela “não foi a intenção”. Esses comportamentos também podem vir disfarçados de “só queria ajudar”, “não imaginei que tomaria essa proporção” ou “você não sabe brincar”.

7. Manipuladores são vampiros energéticos

Como Escolher seu Psicólogo

Nesse guia completo você vai conhecer tudo sobre psicólogos e psicoterapia. A escolha do psicólogo certo para você envolve diversos fatores. Descubra aqui.

COMO ESCOLHER O SEU PSICÓLOGO

Mesmo que a manipulação e os comportamentos da pessoa manipuladora sejam sutis, com a convivência as pessoas ao redor começam a sentir que a presença daquela pessoa causa desconforto.

Com o passar do tempo, as pessoas percebem que estão evitando contar sobre as suas vidas pessoais ou mesmo se sentem “pisando em ovos” porque sabem que se expuserem as suas fragilidades, serão motivo de chacota.

Vampiros energéticos são pessoas que ao se aproximarem, trazem consigo uma sensação imediata de desconforto, fazendo com que as pessoas ao redor se sintam esgotadas emocionalmente sem entenderem exatamente o porquê dessa sensação.

8. Tendem a ser agressivos

Quando não conseguem o que querem, manipuladores podem demonstrar comportamentos extremamente agressivos, seja através de palavras ou ações. Isso acontece porque eles não aceitam que as suas vontades não sejam atendidas e esperam que o outro faça o que for preciso para agradá-los.

Quando o manipulador percebe que algo não saiu da maneira como ele desejava e que os seus comportamentos manipuladores não foram capazes de atingir os resultados esperados, ele parte para a agressão como forma de obrigar o outro a fazer aquilo que ele quer de uma forma ou de outra.

Uma das armas usadas pelo chantagista também são as ameaças de vingança ou contra si mesmo. O chantagista irá tentar controlar o outro ameaçando com ações severas e extremas.

“Você vai me perder para sempre”, ” eu vou me matar”, “nunca mais seremos felizes”, são algumas frases que podem ser usadas no fervor dos confrontos.

Perceba que há uma diferença clara entre ameaças e alguém que está sofrendo com depressão e corre o risco de vida, devido a algum transtorno psicológico.

Procure perceber se quem está se comportando assim precisa de ajuda, ou se são apenas blefes para conseguir o que quer.

Sinais de manipulação emocional

É possível lidar com uma pessoa manipuladora?

Ao identificar um manipulador, algumas pessoas podem sentir vontade de ajudar e podem até mesmo acreditar que com elas essa pessoa será diferente. Mas, infelizmente, não é bem isso o que acontece na prática.

Por isso, é muito importante que estejamos sempre atentos ao espaço que oferecemos para algumas pessoas em nossas vidas – isso inclui até mesmo o relacionamento entre familiares.

Pensar em si mesmo não é um defeito, afinal, isso faz parte do nosso crescimento e amadurecimento e, inclusive, é recomendado por psicólogos e psiquiatras. Mas é importante que isso não seja motivo para submeter outras pessoas a situações degradantes apenas em busca de benefícios próprios.

Sendo assim, o ideal é que, ao identificar uma pessoa manipuladora, você se afaste completamente para que a sua própria saúde emocional seja preservada.

Em casos em que o afastamento não seja uma opção (como num ambiente de trabalho, por exemplo), você ainda pode manter um contato estritamente profissional com essa pessoa, sem ter uma relação estreita ou de amizade.

Lidar com um chantagista emocional não é fácil. É necessário autocontrole, autoconfiança e saber dizer “não”. Não acredite em tudo o que uma pessoa manipuladora fala. Ela estará de olho em seus pontos fracos, e irá usá-los para obter o que deseja.

Também é importante entendermos que pessoas manipuladoras podem sim ter os seus comportamentos moldados, mas isso somente é possível de acontecer quando eles identificarem, pelos seus próprios meios, que esses comportamentos precisam ser revistos. A partir disso, somente com a ajuda de um psicólogo é que esse processo poderá trazer resultados positivos.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Brotto

Thaiana Brotto é psicólogo e CEO do consultório Psicólogo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Registrada no Conselho Regional de Psicologia pelo número CRP 106524/06.

4 comentários em “Manipulação emocional: saiba o que é e os 8 sinais de uma manipulação

  1. Excelente conteúdo. É realmente satisfatório e gratificante vir até aqui e ler suas publicações. Parabéns pelo trabalho, gostaria de o ter conhecido antes, me pouparia muito sofrimento.

    • Olá, fico extremamente feliz em saber que os conteúdos tem ajudado tantas pessoas. Obrigada pelo seu comentário, abraços

  2. Que conteúdo excelente! Fiz questão de vir procurar o comentário pra dizer que amei demais. Ajudou muito. Obrigada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *