Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como identificar uma crise de identidade?

Como identificar uma crise de identidade?

Problemas de identidade podem causar muito sofrimento psicológico, mas, ao mesmo tempo, é um conflito que pode catalisar o crescimento pessoal, profissional e emocional das pessoas.

Questionamentos tais como “quem sou eu?”, “o que eu quero fazer?”, “por que estou aqui?” e “qual é o meu propósito?” permeiam a mente de todos nós em algum momento da vida. Teríamos dificuldade para definir quem nós somos se não tivéssemos dúvidas para estabelecer a nossa identidade em primeiro lugar. Sendo assim, eles são esperados e não devem ser reprimidos. 

A crise de identidade se instala quando, segundo psicólogos, esses questionamentos passam a ser frequentes e interferir na autoimagem.

Pessoas em crise não conseguem se sentir à vontade com quem são, então se submetem a especulações e experimentos diversos para descobrir quem realmente são. No entanto, nem sempre o fazem da forma mais saudável ou conseguem satisfazer suas necessidades emocionais.

O que é crise de identidade?

A identidade é o conjunto de experiências de vida, atributos, relacionamentos, crenças, valores e lembranças que criam uma noção subjetiva do “eu”. Todas essas características distinguem os indivíduos uns dos outros, além de ajudar a criar uma autoimagem contínua e relativamente constante.

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Suliane






Não quero informar nome ou e-mail





Esse tipo de crise acontece quando uma pessoa passa a questionar a sua identidade ou o seu lugar no mundo. O psicólogo alemão-americano Erik Erikson (1902 – 1994) foi o idealizador desse conceito. As suas teorias acerca do desenvolvimento humano deram início a mudanças importantes no modo de pensar a personalidade.

Em vez de focar somente na primeira infância, ele estudou como influências sociais contribuem para a formação e modificação da personalidade. Segundo Erikson, a personalidade não é completamente formada na adolescência, como se costuma pensar.

Embora esse período seja marcado pela busca pela identidade, a personalidade se desenvolve e se modifica conforme as nossas experiências de vida. Ou seja, nunca paramos de crescer.

Erik Erikson foi também o primeiro psicólogo a utilizar o termo “crise de identidade” para categorizar os conflitos associados às dúvidas sobre o nosso jeito de ser, nosso propósito no mundo e o que devemos fazer pelo resto de nossas vidas.

Sintomas da crise de identidade

Esse tipo de crise não é uma condição psicológica como a depressão e ansiedade, mas ela tem a capacidade de perturbar o estado emocional, levando as pessoas a questionarem tudo sobre as suas vidas. As dúvidas constantes podem desencadear condições psicológicas graves quando se prolongam por muito tempo. 

Você pode começar a questionar a sua individualidade e/ou propósito de vida quando está passando por uma nova mudança, se encontra diante de um problema difícil ou vive um momento de grande estresse. É comum se sentir perdido, frustrado, abatido e sem perspectivas nessas circunstâncias. 

Com tantas coisas negativas na cabeça, você pode começar a ter questionamentos pouco produtivos sobre si mesmo e a sua vida. Embora seja normal ter dúvidas sobre quem você é ou qual caminho seguir ocasionalmente, a permanência desses questionamentos e sua influência no humor requerem atenção.

Quando você não tem autoconfiança ou não sabe o que quer fazer com a sua vida, é mais fácil tomar decisões equivocadas e sofrer influências negativas de outros indivíduos. Deste modo, você pode se encontrar em uma situação desagradável no futuro sem ter consciência de como chegou lá.

É importante detectar os sinais de crise de identidade para impedir que eles interfiram em sua vida diária. Pessoas em crise podem ter os seguintes questionamentos:

  • Quem sou eu?
  • Qual é a minha paixão ou maior sonho?
  • Em que eu acredito?
  • Quais são as minhas qualidades e defeitos?
  • Quais são meus valores?
  • Qual é o meu propósito na vida?
  • Com o que eu quero trabalhar?
  • Quem são as pessoas mais importantes na minha vida?

Além dessas dúvidas, as pessoas em crise podem ter ansiedade, suor excessivo, desconforto estomacal, insônia, oscilações de humor, sentimento de desesperança, vontade de vomitar e pensamentos negativos.

Como superar a crise de identidade?

Há muitas coisas que você pode fazer para diminuir o estresse causado pela crise de identidade e, ao mesmo tempo, definir características do seu jeito de ser. Antes de começar o seu processo de autoconhecimento, contudo, compreenda que você não é um ser estático.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

A sua personalidade se transforma conforme os aprendizados que você adquire com suas vivências. Ou seja, a sua essência será sempre a mesma enquanto as suas crenças, opiniões, valores, qualidades e defeitos se modificarão ligeiramente.

Pessoas mais resistentes a mudanças tendem a ter dificuldade para identificar as pequenas modificações que ocorrem em suas personalidades. Isso não quer dizer, porém, que elas não mudem. Elas ou não possuem consciência das mudanças, ou sofrem poucas transformações por resistirem a elas.

Ser permissivo é importante nessa situação. Para aproveitar ao máximo o que a vida tem para lhe oferecer, é preciso acompanhar a evolução gradativa do mundo. Você pode não concordar com muitas delas, mas deve, pelo menos, aceitá-las para não sofrer com a ansiedade e frustração.

Em seguida, veja algumas maneiras de lidar com uma crise de identidade e, ainda, promover o autoconhecimento.

1.     Se familiarize com os seus interesses

Se questionar e explorar novos hobbies e interesses pode ajudá-lo a se autoconhecer. A sua crise pode estar sendo motivada pela discrepância entre o que você gosta de fazer e o que você realmente faz para ganhar a vida, por exemplo. É comum essa insatisfação levar as pessoas a questionarem as suas vidas. 

O que você gosta de fazer? Há coisas que você já não gosta e deseja deixar de fazer para perseguir outros interesses? Você provavelmente possui interesses que nunca teve a chance de explorar, então por que não tentar descobrir se você realmente gostaria de praticá-los em seu tempo livre?

As respostas para essas perguntas também podem ajudá-lo a estabelecer objetivos para a sua vida ou modificar os que já deixaram de fazer sentido para você. A sua motivação para persegui-los será mais forte uma vez que esses objetivos estarão alinhados com quem você é.

2.      Converse com um psicólogo

Você pode conversar com um psicólogo para esclarecer as suas dúvidas sobre a sua própria individualidade. Muitas pessoas que procuram a psicoterapia possuem esse propósito.

Na terapia, os pacientes têm a oportunidade de conhecer mais sobre si mesmos de uma forma natural e segura, com a orientação do psicólogo. Deste modo, é mais cômodo para eles enfrentarem lembranças traumáticas que impactam o seu presente e confrontarem aspectos de si mesmos que não gostam.

Se você estiver em crise com quem você é e com o que deve fazer da sua vida, não hesite em pedir orientação de um profissional. Além de encontrar as respostas, os sentimentos negativos deixarão de incomodá-lo.

3.     Faça reflexões (produtivas) sobre quem você é

Para explorar os seus traços de personalidade, você pode fazer autorreflexões ocasionais. É comum encontrar dificuldades para chegar a conclusões quando você começa a refletir sobre quem você é. Não estamos acostumados a fazer esse tipo de autoanálise no dia a dia.

Então, seja compassivo consigo mesmo. Deixe o seu pensamento fluir livremente para que o seu inconsciente possa se expressar sem restrições. Para ajudá-lo em suas reflexões, você pode fazer os seguintes exercícios:

  • Listar 10 qualidades e 10 defeitos;
  • Listar 10 coisas que as pessoas dizem sobre você;
  • Listar elogios e reclamações que já recebeu;
  • Listar sonhos que gostaria de realizar;
  • Descrever o que você faria em uma determinada situação; e
  • Escrever os pontos altos e baixos sobre o seu enfrentamento de uma situação. Por exemplo, como eu lidei com isso? Foi bom ter tomado X atitude? O que eu poderia ter feito diferente?

4.     Não se apegue demais aos questionamentos

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Pessoas em crise de identidade tendem a se desesperar por não conseguirem encontrar respostas satisfatórias para os seus questionamentos. Elas muitas vezes acreditam haver algo de errado com elas e se culpam por se sentirem tão perdidas enquanto o restante do mundo parece saber exatamente quem são e o que precisam fazer.

Quando você não estiver tentando navegar a crise de identidade seguindo as outras dicas, coloque a sua mente para descansar. Não pense sobre isso nem considere que os questionamentos são a coisa mais importante do mundo. Afinal, eles não são!

A melhor maneira de encontrar as respostas sobre quem você é, além das reflexões ocasionais, é simplesmente viver a sua vida com consciência. Isso significa prestar atenção em como você se sente em determinadas ocasiões, como você reage aos acontecimentos e na qualidade dos seus pensamentos.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Brotto

Thaiana Brotto é psicólogo e CEO do consultório Psicólogo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Registrada no Conselho Regional de Psicologia pelo número CRP 106524/06.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *