Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Psicossomatização: o que é e como tratar as doenças psicossomáticas?

Psicossomatização: o que é e como tratar as doenças psicossomáticas?

Dores no corpo, na cabeça, mal-estar, palpitações, enjoo, insônia, enfim… Quantos dos desconfortos físicos não estão ligados simplesmente aos nossos pensamentos, medos, angústias, mágoas e tristeza?

Às vezes, nenhum exame clínico é capaz de identificar o problema e o corpo está apenas reagindo ao que o cérebro está emitindo.

O fato é que corpo e mente estão interligados e alguns sintomas de doenças podem ser evitados com uma terapia eficiente conduzida por um psicólogo.

O velho ditado já dizia: quando a cabeça não pensa, o corpo padece.

Situações tensas, perigosas ou muito desconfortáveis despertam no ser humano uma série de fortes emoções, que impedem a capacidade de raciocinar clara e ordenadamente.

As pessoas ficam tão atormentadas que não conseguem nem ouvir opiniões e conselhos dos que estão à sua volta.

Os problemas da nossa mente podem se tornar problemas também para o nosso corpo. Por isso, quando algo não vai bem com a saúde mental, os outros órgãos são diretamente afetados através da psicossomatização.

Isso acontece porque o nosso corpo reage aos estímulos da nossa mente quando vivemos sentimentos em intensidade, emoções e traumas.

O que acontece quando não cuidamos da mente?

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Suliane






Não quero informar nome ou e-mail





A psicossomatização é o termo usado pelos psicólogos para se referir a esse fenômeno e os estudos das doenças psicossomáticas avançaram muito.

Atualmente, não se faz mais uma divisão entre corpo e mente, pois se entende que tudo está interligado e que os comportamentos e emoções são produtos do contexto em que vivemos.

Quem nunca ouviu um comentário “fulana emagreceu porque está com depressão” ou “a gastrite dele é resultado da ansiedade“. E os comentários não estão incorretos.

Alguns médicos costumam chamar as doenças de psicológicas quando, após diversos exames e testes, não encontram uma razão para elas. Essas doenças psicológicas são as psicossomáticas.

Portanto, é sempre importante considerar o contexto e o momento de vida de um paciente ao fazer um diagnóstico. Muitas vezes a causa de determinado sintoma está justamente nas vivências do dia a dia.

Quando se coloca muita intensidade em uma situação, ou algum conflito está tomando toda a sua preocupação, é comum que o corpo reaja com manifestações físicas desse estresse ou ansiedade.

Quem ‘engole muito sapo’, uma hora engasga

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Para se poupar, mesmo que inconscientemente, a pessoa bloqueia algumas emoções. Quem nunca passou por uma situação na qual engoliu o choro? Ou se arrependeu por não ter dito certas coisas? E quando nos engasgamos com a própria respiração ou nos sentimos paralisados?

Todas essas sensações e sintomas físicos são a resposta do nosso corpo e da nossa mente frente a desejos não alcançados, expectativas frustradas e enfrentamentos indesejados.

Mesmo fazendo parte do mesmo corpo, muitas vezes a cabeça pensa uma coisa e o resto do organismo faz outra, não é mesmo? Estão aí as razões da dificuldade que as pessoas enfrentam para, por exemplo, fazer dieta, parar de beber álcool, deixar de usar drogas ou se livrar de outros vícios.

Quando o corpo sente muita pressão, ele adoece. Como um espelho, ele reflete o que nossa mente anseia. Ao negar certos sentimentos, o corpo reclama. São manifestações da nossa impotência.

Não é fácil mudar este tipo de comportamento, porque nem sempre somos capazes de dominar nossa mente e seguir os caminhos de uma vida plena e saudável.

É por isso que tanta gente recorre à ajuda de um psicólogo, por exemplo. Ele é o profissional capaz de ajudar a reconhecermos dentro de nós os atalhos para a cura.

Quando o corpo sente o que a cabeça cria

Conheça algumas doenças psicossomáticas

São diversas as doenças que podem ter como motivo o fundo emocional. No entanto, algumas são mais comuns. Entre elas:

  • Problemas gastrointestinais;
  • Crises respiratórias;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Doenças dermatológicas;
  • Dores nas articulações.

Como tratar doenças psicossomáticas?

Ter uma doença psicossomática não significa que a doença, de fato, não exista. Muito pelo contrário, a pessoa realmente está vivendo uma situação de sofrimento e, como consequência, a doença está se manifestando. Por isso, é preciso procurar o tratamento adequado.

Muitas vezes, o tratamento médico pode até surtir algum efeito, diminuindo os sintomas ou aliviando as dores da doença.

No entanto, esse tratamento não está agindo no foco da doença: os sentimentos e situação que a causam. O psicólogo é o profissional capacitado para tratar as doenças psicossomáticas, lidando com a origem do problema.

Através da psicoterapia, o paciente perceberá quais os aspectos da sua vida que estão causando desconforto, angústia, preocupação ou stress. É possível identificar o ambiente que está causando o problema e o contexto dessa situação.

A partir dessa identificação, o psicólogo consegue ajudar a lidar com esse trauma, oferecendo estratégias para administrar as situações e até dando conselhos.

Durante a terapia, o psicólogo trabalha, por meio de conversas, as dores, os medos, a ansiedade, as angústias e as questões de baixa autoestima, tão comuns na vida atribulada a qual estamos expostos.

É importante reconhecer que é preciso de ajuda para deixar vir à tona tudo aquilo que está guardado na escuridão da mente.

Buscar um atendimento psicológico é permitir que a luz volte a brilhar na vida, fazendo com que lidemos melhor com o nosso passado, presente e futuro.

Para uma melhora imediata, algumas atitudes simples podem fazer a diferença quanto ao bem-estar psicológico.

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Quando você opta, por exemplo, por alimentos saudáveis e passa a fazer exercícios físicos regularmente, seu cérebro registra e envia para o seu corpo mensagens positivas como o cuidado e carinho com sua própria vida.

Sempre é bom, também, refletir sobre o que de fato queremos para nós mesmos. A partir destas respostas, é necessário quebrar padrões de comportamentos antigos e se inspirar em pessoas que são bons exemplos para nós.

Pense nisso. Faça escolhas mais condizentes com seus objetivos de vida. Procure não desistir dos seus sonhos, mesmo que, às vezes, eles pareçam inalcançáveis. Mude suas atitudes e não permita que se estabeleça em sua vida um ciclo de repetições de comportamentos que não trazem bons resultados.

Com muita força de vontade, foco, esperança e amor próprio, você será capaz de dar uma guinada na sua vida.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Brotto

Thaiana Brotto é psicólogo e CEO do consultório Psicólogo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Registrada no Conselho Regional de Psicologia pelo número CRP 106524/06.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *