Amor próprio

Categoria dos serviços do psicólogo: crescimento pessoal, crescimento profissional
Amor próprio

Praticar o amor-próprio e desenvolver este cuidado por si mesmo pode ser, para algumas pessoas, uma tarefa difícil e um exercício que exige prática diária. No entanto, os benefícios psicológicos, de se valorizar e se respeitar são inegáveis, cruciais para que tenhamos equilíbrio e harmonia nas mais diferentes áreas da nossa vida, muitas vezes sendo necessária a ajuda de psicólogo.

Veja no artigo porque o amor-próprio é tão importante para você levar uma vida plena e, no final do artigo, entenda como um psicólogo pode ajudar.

O que é o amor-próprio?

O primeiro passo para entender o conceito de amor-próprio é ter em mente que este é um sentimento que, apesar de estar amplamente associado à autoestima, não costuma ser adquirido em uma tarde no salão de beleza ou comprando roupas novas.

O amor-próprio independe de aparência, de beleza, e tem muito mais a ver com o modo como nos sentimos internamente em relação a nós mesmos e com a maneira como nos posicionamos perante o mundo.

O amor-próprio é um estado de apreço por si mesmo que provém de ações que nos ajudam a crescer psicológica, física e espiritualmente. O amor-próprio vem do amadurecimento e do autoconhecimento, que nos permitem identificar nossas forças e fraquezas, e aprender a lidar com elas.

Ter amor-próprio é entender que nossos defeitos não nos inferiorizam. Todos temos falhas e estamos, a cada dia, fazendo o nosso melhor para crescer e evoluir.

Por que é importante ter amor-próprio

Se você estiver procurando psicólogos em São Paulo, para questões relacionadas a crescimento pessoal ou profissional, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.Praticar amor-próprio é entender que você é a pessoa mais importante da sua vida e assumir a responsabilidade pelo que acontece nela, sem culpar os outros e adquirindo cada vez mais autonomia. É algo que permite entender que a nossa felicidade está nas nossas próprias mãos e que, sendo seu bem mais precioso, não pode ser submetida ao controle dos outros.

O amor-próprio nos faz abrir mão de tudo aquilo que não nos faz bem e que não nos ajuda a crescer. Ao mostrar que somos suficientes, paramos de mendigar amor e acabamos com a carência excessiva.

O amor-próprio nos faz filtrar aquilo que não é do bem, descartar o que não soma e não aceitar menos do que merecemos. Praticar amor-próprio é praticar o autoconhecimento: nos ensina a aprender a lidar com nossas emoções nos momentos difíceis e saber como levantar o humor mesmo nos piores dias.

Quem se ama fica mais resistente a críticas que não são construtivas e aprende a amar mais os outros. Praticar o amor-próprio é adquirir autoconfiança e autoconhecimento, sabendo desapegar com mais facilidade de tudo que já não faz mais parte da nossa vida.

Como desenvolver o amor-próprio

Cuidar do corpo

Nosso corpo e aparência física são um reflexo da nossa saúde. Cuidar bem deles é entender que não se trata apenas de parecer melhor, mais bonito, mas de sentir-se bem consigo mesmo. Ingerir alimentos nutritivos, praticar exercícios, manter a hidratação e tomar os cuidados que o corpo pede são o primeiro passo para começar a desenvolver o amor-próprio e amar o corpo que você habita.

Cuidar da mente

Cuidar da nossa mente, nos preocupando com o desenvolvimento pessoal, com o crescimento e com a aquisição constante de aprendizados é essencial para viver plenamente. Nosso corpo e mente precisam estar em equilíbrio e receber estímulos mentais positivos para que as dificuldades diárias sejam superadas.

É importante lembrar que existe um limite entre amor-próprio e o narcisismo: o primeiro aceita a si mesmo de forma verdadeira, em todos os aspectos. O narcisista ama uma imagem distorcida de si, o que o torna egoísta e individualista.

Como um psicólogo pode ajudar

Quando alguém se sente incapaz de amar a si mesmo, quando a autoestima está tão machucada e o ego tão ferido que não há mais forças para assumir mudanças interiores, conversar com alguém que o ajude a ver a vida de outra perspectiva pode ser uma forma eficiente de aprender a se colocar em primeiro plano.

É isso que faz um psicólogo profissional: ajuda a identificar os aspectos negativos da vida que precisam ser trabalhados para alcançar um estado de bem-estar e realização.

Quem leu esse texto também se interessou por:

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.