Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como identificar um mentiroso patológico

Como identificar um mentiroso patológico

Todo mundo já contou uma mentirinha. As famosas “mentiras brancas” dizem respeito as inverdades que contamos visando aliviar o sofrimento alheio, evitar a preocupação de alguém querido ou inventar uma desculpa para ficar em casa em vez de sair com os amigos.

É claro que o ideal é sempre ser honesto, mas às vezes as pessoas recorrem às mentiras brancas para não terem conversas difíceis. Essas mentiras são ditas sem intenção ruim, embora possam magoar o outro.

A mentira patológica é bem diferente da mentira branca.

Ela é dita repetidas vezes para beneficiar o mentiroso de alguma forma ou para livrá-lo de enfrentar as consequências de seus atos. Quem mente patologicamente o faz de modo compulsivo e manipulador, como veremos no post de hoje.

O que é um mentiroso patológico?

O mentiroso patológico é alguém que mente compulsivamente. Esse indivíduo não se importa de contar inverdades ou distorcer a realidade ao seu favor, criando histórias mirabolantes visando ou não um objetivo específico.

Psicólogos explicam que todos nós somos mentirosos até certo ponto, porém a mentira patológica ultrapassa os limites da normalidade. A pessoa que não consegue resistir ao impulso de mentir pode buscar tratamento psicoterapêutico para superar esse comportamento.

O problema é que o mentiroso patológico raramente acredita estar errado. É mais comum os indivíduos afetados por suas incessantes mentiras procurarem ajuda psicológica para reverterem os estragos feitos ao seu emocional. Assim, é difícil o tratamento adequado chegar até quem realmente precisa.

O que leva uma pessoa a mentir patologicamente?

As causas da mentira patológica são complexas. Por que alguém mentiria sobre coisas que não impactam a sua qualidade de vida de forma alguma?

O médico e psiquiatra francês Ernest Dupré criou o termo mintomania para justificar a tendência de inventar realidades imaginárias de algumas pessoas. As histórias contadas pelo mintômano são tão convincentes que até ele acredita em suas mentiras e passa a viver em um mundo de fantasia.

No entanto, existem outras possibilidades para a mentira patológica. A necessidade de chamar atenção, a soberba, o ciúme e a baixa autoestima também motivam as pessoas a mentirem compulsivamente.

A motivação pode ser igualmente patológica, oriunda de um distúrbio de personalidade. A mentira também está ligada à impulsividade, ou seja, ao agir sem pensar. Essa característica, por sua vez, é sintoma de várias condições psicológicas. Algumas delas são:

  • Transtorno de Personalidade;
  • Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC);
  • Transtorno de Personalidade Antissocial;
  • Transtornos de Conduta (identificado principalmente em crianças e adolescentes);
  • Transtorno de Personalidade Borderline;
  • Transtorno de Personalidade Narcisista; e
  • Transtornos de Comportamento.

Quando a mentira não possui más intenções, o mentiroso patológico raramente se dá conta de sua atitude. A necessidade de mentir é tão forte que ele o faz sem perceber, mentindo sobre qualquer coisa.

Ele pode perceber algumas incoerências e estranhar a quantidade de situações desagradáveis e desavenças que vivencia, mas não conseguir associá-las ao seu comportamento. Em síntese, esses indivíduos não sabem ao certo porque mentem tanto.

Por outro lado, existem os mentirosos que se satisfazem com as suas mentiras e as situações criadas a partir delas. Esses indivíduos são habilidosos e não ficam presos em teias das próprias mentiras. Eles não demonstram ter remorso pelo sofrimento causado pela mentira nem empatia.

Características de um mentiroso patológico

Para identificar um mentiroso patológico, você precisa conhecer as características de quem possui essa conduta inapropriada. Os sinais podem ser tanto sucintos quanto expressivos dependendo do estado psicológico do mentiroso.

A mentira patológica decorrente de uma questão emocional, como a falta de confiança e a necessidade de ser o centro das atenções, costuma ser de fácil identificação. O mentiroso com esse perfil tende a cometer mais erros e se confundir com suas histórias fantasiosas. 

Já as mentiras contadas por uma pessoa que possui uma condição psicológica não são tão fáceis de identificar. Outros sintomas podem ser mais expressivos, complicando a análise de sua personalidade.

Se você acredita que uma pessoa próxima mente por ter um distúrbio psicológico, converse com ela sobre a possibilidade de fazer psicoterapia. Demonstre estar preocupado com o seu bem-estar e felicidade em vez de pontuar a sua conduta mentirosa.

Essa conversa não é fácil, mas pode ser o pontapé necessário para que o ente querido busque ajuda de profissionais e alivie o seu sofrimento. Essa atitude somente é aconselhada quando você possui um vínculo afetivo forte com a pessoa. 

Caso você tenha contato com um indivíduo que mente compulsivamente em algum círculo social distante, o melhor a fazer é se afastar dele.

Confira algumas características que podem ajudar a identificar o mentiroso psicológico abaixo!

1.        As mentiras têm ou não um objetivo claro de benefício próprio

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

O mentiroso pode mentir explicitamente para se beneficiar ou somente por fazê-lo. Esta é uma característica complexa, pois não é simples distinguir a realidade da mentira durante uma conversa.

A verdade somente ficará clara com o passar do tempo, quando você identificar que o mentiroso não mentiu apenas para você ou que suas mentiras tiveram grandes consequências. Portanto, é importante confiar na sua percepção dos acontecimentos e impressões pessoais da personalidade do mentiroso.

As pessoas receiam acreditar em seus próprios olhos nessas situações. Elas não querem fazer julgamentos injustos ou não conseguem associar as mentiras à imagem impecável do mentiroso. Para que você não seja envolvido em conflitos, contudo, é necessário confiar em suas próprias avaliações.

2.       As histórias que conta normalmente são detalhadas e dramáticas

Mentirosos patológicos são ótimos contadores de história. Eles inventam diversos detalhes e acontecimentos dramáticos com uma postura de confiança. Tentam fisgar o espanto de terceiros, por isso, modificam o tom da mentira de acordo com as expressões e linguagem comportamental deles.

Por mais absurdas que as mentiras pareçam ser, a outra pessoa pode acreditar nelas devido a oratória exemplar do mentiroso.

3.       Ele se coloca numa posição de vítima ou de herói

O mentiroso anseia ser o protagonista de todas as suas histórias.

Ele destaca a sua participação em eventos fantásticos, mesmo quando essa é inexistente. Essa conduta é motivada pela necessidade de ser aceito e admirado custe o que custar. Assim, o mentiroso cria uma vida extraordinária para si mesmo.

Da mesma forma, cria narrativas para se colocar na posição de vítima quando é desmascarado. Mesmo que outras pessoas tenham conhecimento da verdade, ele inventa que não teve culpa e foi alvo de atitudes mau intencionadas. Essa atitude visa ganhar a simpatia de quem não esteve presente.

Em razão disso a mudança de comportamento do mentiroso patológico é expressiva, podendo confundir quem esteve envolvido na situação.

4.       Ele às vezes parece acreditar nas suas mentiras

O mentiroso patológico ou acredita fielmente na realidade criada em sua mente, ou é tão convincente que parece acreditar em suas mentiras. 

Seja como for, essa postura de aparente confiança planta dúvidas na cabeça das pessoas. Elas começam a questionar a sua própria percepção dos acontecimentos e podem até comprar a versão inventada pelo mentiroso. Afinal, será que é possível alguém mentir com tanta certeza assim?

Ressalta-se novamente a importância de confiar nas próprias observações do comportamento do mentiroso. Confrontar um indivíduo que mente patologicamente é uma experiência frustrante. O mentiroso mentirá novamente e tentará fazer você parecer o vilão da história.

5.       As mentiras vão desde coisas pequenas até grandes

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

As mentiras podem envolver diversos personagens e eventos improváveis, como também colocar em dúvida o caráter de outras pessoas. Mentiras elaboradas são mais difíceis de desmascarar e possuem um poder de devastação maior.

O mentiroso com más intenções sabe disso. Ele cria histórias detalhadas justamente para gerar consequências significativas. Por exemplo, a mentira pode envolver uma patologia séria ou uma conquista admirável.

Por outro lado, as mentiras podem ser sobre o motivo de atraso a um compromisso. Embora a maioria das pessoas invente desculpas semelhantes ocasionalmente, elas não são mentiras patológicas. Essas só são identificadas quando ditas repetidamente.

6.       Ele não demonstra culpa ou medo de ser descoberto

A ausência do medo de ser descoberto é um dos motivadores das mentiras compulsivas. Pessoas que não estão acostumadas a mentir demonstram nervosismo em sua linguagem corporal ou expressões faciais.

O mentiroso patológico esconde bem as suas emoções. Ele não demonstra indícios que possam indicar a inverdade de suas palavras. Como mente com frequência, domina o controle de suas feições e linguagem corporal. 

Também não sente culpa ao mentir, mesmo quando tem certeza que a mentira prejudicará a vida de terceiros. Quando é descoberto, utiliza várias estratégias para modificar a sua imagem.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Brotto

Thaiana Brotto é psicólogo e CEO do consultório Psicólogo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Registrada no Conselho Regional de Psicologia pelo número CRP 106524/06.

15 comentários em “Como identificar um mentiroso patológico

    • Olá! Tudo bem?
      Obrigada pelo seu feedback! Fico contente que você tenha gostado do conteúdo!
      Abraços,
      Psicóloga Thaiana

  1. Gostei bastante! Conheço uma pessoa que mente muito, infelizmente ele acredita real nas próprias mentiras e histórias, se coloca em situações de vítima quando descoberto, e mesmo assim mostrando as provas, ele ainda diz que não era ele, a mentira é compulsiva, mente tanto, mais tanto que não se preocupa com ninguém e realmente não sente um pingo de remorso por machucar alguém, quando alguém diz que ele está mentindo, ele chora faz drama, xinga grita, diz pelo amor de Deus não me julgue, não foi eu, não fiz isso, não tenho necessidade de mentir, e desde que passei a observar e ver o comportamento dele, incentivei e pedi que procurasse ajuda psicológica, pois é assustador a forma que ele mente, manipula, e quer ter o controle de tudo, eu não conseguia imaginar que tinha pessoas assim, até viver isso, é horrível conviver com pessoas desse tipo, o melhor realmente é se afastar, porém eles também tem o poder de entrar na sua mente e fazer uma lavagem, usando a manipulação ao seu favor, tudo isso para seu próprio benefício.

    • Realmente é um quadro triste e que tendem a aumentar sem ajuda psicológica, fazendo o indivíduo chegar a situações e decisões difíceis de se resolver. Obrigada pelo seu comentário. Abraços,

  2. Conheço uma pessoa que tem transtorno bipolar, não sei se isso é um fator para as mentiras excessivas. As mentiras chegam a acabar distruindo relacionamentos como amizade e até amoroso.

    • Olá, pode fazer parte de seu transtorno sim, porém somente após o psicólogo avaliar que poderá determinar a causa e tratamento. Abraço

  3. Bom dia vivo com uma pessoa que mente muito e a nossa relação era maravilhosa e agora as mentira e mais mentira ela viu que precisa de ajuda como posso auxiliar ela está disposto a procura ajuda médica mas eu como marido como posso auxiliar pois antigamente me provocava irá as suas mentiras e hoje eu não brigo mais tentou mostra que ela está se ferindo ela mesmo pois tá me afastando dela mas gostaria de saber como posso auxiliar ela de ir junto com ela no médico ou deixa r ela só como devo proceder muito obrigado show o blog

    • Olá, se as mentiras tem afetado a relação de vocês, o ideal é ir num profissional especializado em terapia de casal e relacionamentos os dois juntos. O psicólogo irá entender o caso e se achar necessário, pedir algumas consultas individuais. Abraço

  4. Eu acho que sou uma mentirosa compulsiva. Eu quero ajuda, não quero ser assim.
    tenho até medo de falar o seguinte e ser um jeito de “melhorar minha imagem” mas, eu fui criada numa família muito rígida, apanhei até os 17 anos, tenho depressão, ansiedade e TDAH, acredita que alguma dessas coisas pode influenciar?

    Por favor responda, estou destruindo um relacionamento incrível por causa de mentiras, e quando ele me pergunta pq eu menti eu SINCERAMENTE não sei responder. Eu não consigo explicar os motivos que me levaram a falar as mentiras, algumas com uma riqueza de detalhes absurda. Chego a pensar que sou louca, esquizofrênica, ou que tenho mais de uma personalidade… estou em desespero.

    • Olá Bruna, compreendo como se sente. Sim, certamente os comportamentos vividos na infância podem ter influência no comportamento de mentir compulsivamente, as vezes por medo ou pra não decepcionar as pessoas. Busque ajuda de um profissional especializado, ele te dará ferramentas para lidar com esse comportamento.

      • Qual é o profissional especializado? tem um tipo específico de psicólogo, psicanalista psiquiatra ou outro tipo que vc indicaria?

        • A abordagem da psicanálise se aprofunda em questões da infância e acontecimentos do passado, podendo ser interessante e a mais indicada pro seu caso. Abraço.

  5. Agradeço pelo aprendizado. É muito triste para quem leva a vida mentindo e prejudicando as pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *