Ansiedade e tristeza podem crescer quando os eventos traumáticos fazem aniversário

Categoria dos serviços do psicólogo: ansiedade
Ansiedade e tristeza podem crescer quando os eventos traumáticos fazem aniversário

A lembrança de eventos traumáticos pode causar danos à nossa mente e emoções, seja lá qual fato tenha ocasionado a origem do trauma: a perda de um ente querido, um ato de violência sofrido ou um acidente que deixou sequelas. Impossível não lembrar o que aconteceu cada vez que o evento faz aniversário. Lembranças podem trazer à tona o sentimento vivido na ocasião, gerando ansiedade e tristeza. E quando a dificuldade para lidar com isso aparece, o melhor é buscar a ajuda de um psicólogo.

Pode ser muito doloroso, mas é importante passar pela lembrança e tristeza do aniversário de um evento traumático para poder chegar à cura. Fugir dos sentimentos de nada adianta e cada um deve encontrar a melhor maneira de lidar com as reações e sentimentos.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para questões de ansiedade, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Ansiedade e outras reações

Além da tristeza, o sentimento pode ser ainda mais forte, gerando ansiedade e outras reações, como:

    • Reviver a experiência: lembranças involuntárias, pesadelos, flashbacks que levam a pessoa a reviver o momento traumático.
    • Fuga: rejeitar e se afastar de tudo o que possa reviver e lembrar o evento traumático, evitar lugares, pessoas e atividades relacionadas com o fato.
    • Desinteresse afetivo: além da fuga, a queda na afetividade e interesse por lugares, pessoas e atividades que antes do evento proporcionavam prazer.
    • Distúrbios psíquicos: fuga exagerada, pânico, taquicardia, transpiração, problemas com sono, falta de concentração e irritabilidade são sintomas gerados pela lembrança do trauma.
  • Negatividade: sensação de vazio, pensamentos negativos, impotência e sentimento de que não é capaz de se defender do perigo.

Como lidar com a lembrança de eventos traumáticos?

Entender o sentimento: reconhecer as manifestações da mente e o que se está sentindo faz parte do processo para aliviar as reações. Manter o pensamento de que o tempo será um grande aliado na cura ajuda a aliviar a tristeza.

Manter-se ocupado: não se isolar, procurar estar em companhia de pessoas queridas, ocupar a mente e o corpo em atividades que façam mudar o foco dos pensamentos, evitar soluções que possam agravar a situação, como consumir drogas ou álcool.

Dar sentido à perda: quando se tratar de perda de um ente querido, faça alguma coisa em honra da memória de quem se foi para que você possa se sentir um pouco melhor. Pode ser um trabalho de voluntariado, uma doação para uma instituição de caridade ou até o plantio de uma árvore em homenagem à pessoa falecida.

Buscar ajuda psicológica

Falar com quem entende de maneira profissional a dor e as reações diante das lembranças traumáticas é a melhor maneira de alcançar a cura. Por isso, o caminho mais acertado é consultar um psicólogo.

Baseado nos fatos e reações apresentados pelo paciente, o psicólogo pode auxiliar na administração dos sentimentos que envolvem a lembrança dos eventos traumáticos, para que esta se torne mais amena e não gere mais transtornos emocionais.

Muitas são as opções de terapia a serem utilizadas neste caso, desde conversas até a hipnose. O psicólogo escolherá a que mais se adequa ao paciente para que este possa sentir confiança no profissional e no tratamento.

Quando o problema exigir a utilização de medicamentos para auxiliar na cura, o psicólogo fará o encaminhamento ao especialista mais indicado, o psiquiatra. Lembrando que nenhum medicamento deve ser tomado sem a devida orientação médica.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.