Newsletter Gratuita
Assine Aqui

10 sintomas da depressão para se atentar

10-sintomas-da-depressao-para-se-atentar

Os sintomas da depressão nem sempre são fáceis de identificar. Uma das características da depressão é ser silenciosa. Ela começa como uma mistura constante de tristeza, inquietação e desânimo, tirando as pequenas alegrias do dia a dia. O depressivo desenvolve hábitos nada saudáveis, os quais são percebidos pelas pessoas a sua volta, mas não por ele.

Uma mudança significativa também é notada na fala. Os assuntos são variações de reclamações, comentários desesperançosos e opiniões repletas de pessimismo. É como se a pessoa estivesse em um transe, sem conseguir enxergar a seriedade dos seus comportamentos e palavras.

Na verdade, os sintomas se acomodam lentamente nas pessoas, fazendo com que elas se acostumem com eles. Assim, não conseguem perceber diferenças em suas condutas, sejam essas pequenas ou grandes.

O que causa a depressão?

Não é possível definir somente uma causa tampouco prever quais os sintomas da depressão se manifestarão em cada pessoa. Ela se origina de uma combinação de fatores – químicos, hereditários, pessoais, do ambiente – e, muitas vezes, causam espanto em quem conhece o depressivo.

Não são poucos os números de casos de celebridades que se envolveram com escândalos sexuais, abusos de substâncias químicas ou tragédias. Ouvem-se todos os tipos de histórias na TV, na roda de amigos e nos sites de fofoca, não é? Nos comentários há sempre questionamentos sobre a necessidade desses comportamentos já que essas celebridades “têm tudo o que alguém poderia querer”.

Como se poder estar triste, insatisfeito ou deprimido desse jeito?

A questão é que essas pessoas provavelmente não têm acesso ao que realmente desejam ou acreditam desejar o que não é, de fato, bom para elas. Não é porque alguém vive de acordo com os seus valores de “vida boa” que ela está de acordo com aquele modo de vida. Essa discrepância entre o que a pessoa quer e o que faz por conta das pressões externas causa muita infelicidade.

O mesmo vale para todas as outras pessoas, não apenas as celebridades. Um trabalho maçante, conflitos constantes na família, estilo de vida inadequado, colegas de trabalho sabotadores, relacionamentos tóxicos, traumas e eventos estressantes, como a pandemia de COVID-19, são desencadeadores da depressão.

Por vezes, os fatores estressores estão bem na sua frente, como, por exemplo, uma demissão. Já em outras é preciso analisar todos os aspectos da sua vida – emoções, relacionamentos, oscilações de humor, hábitos e pensamentos – para descobrir se está ou não com depressão.

Quais sintomas da depressão devo prestar atenção?

Os sintomas da depressão possuem um aspecto semelhante às causas por trás desta condição psicológica. Eles são variados e nem sempre se manifestam da forma que, segundo o senso comum, é indicativo de uma saúde mental em deterioração. Por isso, o depressivo pode ouvir comentários como “isso é preguiça” ou “ele/ela faz isso para chamar atenção”.

Diferente da maioria das patologias físicas, a depressão não afeta todos os indivíduos da mesma maneira. As pessoas sentem os sintomas de forma única, desigual. Embora alguns possam apresentar semelhanças, há sempre a presença de fatores distintos associados à história de vida, lembranças da infância e aspectos da personalidade de cada um.

Portanto, as pessoas próximas do depressivo não devem comparar as vivências dele com outras. Contar histórias de como “fulano superou a depressão” podem servir de inspiração, mas não podem ser usadas para estabelecer cobranças.

Do mesmo modo, a pessoa depressiva não pode ignorar os sintomas se eles não forem idênticos ao caso de um indivíduo conhecido ou de um depoimento na internet. Ouvir os parentes, amigos e conhecidos quando se tem depressão ou se está com suspeitas é uma questão complicada, pois nem sempre as suas palavras ajudam. A intenção pode a ser a melhor do mundo, mas pode piorar o estado mental da pessoa.

Após essas considerações, vamos direto para os sintomas da depressão.

1.     Tristeza constante

Existe uma diferença entre a tristeza associada à depressão e a emoção. A segunda é resultado de alguma coisa – uma despedida, um ferimento, uma separação. Em outras palavras, é a reação a um acontecimento. Quando a tristeza surge sem motivo aparente, é provável que seja um sintoma da depressão.

Aliás, a frequência não precisa ser necessariamente todos os dias. Os sintomas costumam flutuar, sendo mais fortes em alguns períodos e menos intensos em outros.

2.     Desânimo frequente

Assim como a tristeza, o desânimo pode ser constante durante um mês e desaparecer completamente no outro. Nem todas as pessoas depressivas passam os dias na cama. Essa urgência, na verdade, pode surgir de repente e permanecer por pouco tempo.

A questão é que o desânimo é tão frequente que impede o depressivo de seguir com a sua vida diária e ter expectativas para o futuro. Mesmo que ele tenha objetivos traçados, não consegue encontrar a motivação para alcançá-los. A estagnação acaba fortalecendo o comodismo que, por sua vez, deixa a pessoa ainda mais desanimada e sem perspectivas.

3.     Descuido com a higiene pessoal

Deixar de tomar banho, arrumar o cabelo, escovar os dentes e trocar de roupa são sintomas comuns. A pessoa não vê a necessidade nem tem vontade de cuidar de si mesma. Ela pode ter consciência que não está agindo conforme o esperado dela, mas não consegue ou não deseja combater os impulsos de adiar a higiene pessoal.

4.     Sensação de vazio

Este é um dos principais sintomas da depressão e o que costuma levar as pessoas ao consultório do psicólogo. O vazio interior gera inquietação. Por sentir-se vazio, o depressivo procura formas de preencher o que falta dentro de si, mas não encontra nada significativo o suficiente. A falta de propósito pode levá-lo a ter pensamentos de caráter suicida. Por isso, não se deve ignorar essa sensação.

Ela também é descrita como uma sensação de dormência. As emoções não são sentidas da mesma maneira que antes, tornando a pessoa com depressão apática. 

5.     Falta de disposição

Diferente do desânimo, este sintoma está relacionado à exaustão do corpo físico. É comum haver sonolência durante o dia e à noite. Também pode ocorrer a insônia durante a noite, mesmo que a pessoa tenha sentido sonolência o dia inteiro.

A falta de disposição é tanta que concluir afazeres domésticos simples se transforma em uma tarefa árdua. Como o cansaço é extremo, as interações sociais e saídas diminuem e a vontade de cochilar aumenta. As sonecas esporádicas ajudam o corpo a descansar, mas também podem se tornar vícios.

Os psicólogos podem recomendar ações para contra-atacar essa sonolência, como arrumar a cama logo ao levantar, reservar a cama apenas para dormir e não para outras atividades ou vestir-se de forma mais arrumada dentro de casa para afastar a preguiça.

6.     Perda ou aumento exagerado de apetite

A vontade de comer ou diminui ou aumenta excessivamente. Ainda não se sabe o porquê dos hábitos alimentares serem tão afetados. Entretanto, suspeita-se que a preocupação para perder peso ou manter a magreza está relacionada à diminuição do apetite. Já o aumento deste pode originar-se da necessidade do corpo de sentir alguma forma de prazer.

7.     Oscilação de humor

As mudanças de humor tendem a envolver muitas emoções negativas. A irritabilidade, por exemplo, é um dos alertas mais comuns da depressão. O depressivo é impaciente e gosta de reclamar sobre praticamente tudo. Conflitos podem surgir de mal entendidos pequenos ou atitudes mal interpretadas.

8.     Dificuldades para dormir

É comum o psicólogo e o médico perguntarem aos pacientes se estão dormindo bem. A qualidade do nosso revela muito sobre a saúde, embora muitos não prestem atenção a ela. A insônia e o sono “cortado”, quando se acorda várias vezes durante a noite, são sintomas bastante expressivos da depressão.

9.     Redução da libido sexual

Até o apetite sexual é afetado pela depressão! Subitamente, perde-se o desejo de ter relações sexuais com o parceiro ou a parceira. A ausência da libido costuma causar conflitos no relacionamento já que uma das pessoas do casal não compreende ou interpreta de forma errada a falta de desejo da outra.

Homens podem apresentar mais episódios de impotência ou ejaculação precoce. Já as mulheres podem ter perda completa da libido e ainda sofrer alterações no ciclo menstrual.

10.   Desconforto físico

Os sintomas da depressão também são físicos! Além da fadiga, também é possível sentir taquicardia, dores musculares, náusea, queimação no estômago, tremores, falta de concentração, alterações na memória, suor excessivo, entre outros. A manifestação depende de cada indivíduo. Pode-se sentir uma combinação de sintomas psicológicos, emocionais e físicos ou experimentar mais emocionais ou físicos.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Psicóloga Thaiana F. Brotto

CRP 106524/06. CEO do consultório Psicologo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *