Como reconhecer uma chantagem emocional

Categoria dos serviços do psicólogo: ajuda emocional
Chantagem emocional

Conheça os comportamentos mais recorrentes, ligados à chantagem emocional

A chantagem emocional é a mais discreta das violências que podem ocorrer em um relacionamento. Ela é muitas vezes ignorada, por parecer irrelevante. Psicólogos alertam que a chantagem emocional pode denunciar e mascarar outros transtornos mentais.

Todos já fizemos ou já fomos alvo de chantagem emocional. Aprendemos e desenvolvemos essa capacidade desde a infância, muitas vezes para obter atenção. Mas é na idade adulta que a chantagem emocional passa a ser uma arma de manipulação para alcançar objetivos. Este tipo de persuasão pode levar a situações críticas e suas consequências podem ser desastrosas.

É notória a inteligência e a envovência que pessoas chantagistas possuem. Presente nos relacionamentos, a chantagem emocional é uma forma de violência, tornando o outro um escravo de desejos e vontades incabíveis. Fazer charme, negociar, entrar em acordo é saudável no relacionamento. Mas tudo tem um limite.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para buscar ajuda emocional, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Cabe aprender a distinguir o que são brincadeiras do que são jogos de manipulação. Se corrompe o outro, é nocivo e inclusive agressivo. Ela reprime a liberdade e o livre arbítrio, dando a quem é vítima da chantagem, a sensação de estar sempre em débito com o outro. Veja como reconhecer se você está sendo vítima de chantagem emocional.

1) Chantagem emocional e a inversão da culpa

Quando contestados, manipuladores irão inverter a situação e buscar alguma falha anterior do outro, para justificar sua ação. Irão recorrer ao passado, situações em que foram complacentes e buscar referências em defeitos reconhecidos no parceiro, para tirar o foco do assunto em questão. Assumem uma postura de vítima, despertando o sentimento de culpa no outro.

2) Inconformidade e autopunição

Ao ser confrontado sobre seu comportamento ou quando não concorda com atitudes alheias, o chantagista irá demonstrar inconformidade e pode recorrer à autopunição. Frases como “eu não mereço isso”, “você não pode fazer isso comigo” ou o inverso como ” eu realmente mereço isso”, “sou a pior pessoa do mundo”, são recorrentes em discussões com manipuladores. Irão mostrar-se frágeis e vítimas, exaltando as próprias falhas como imperdoáveis, contestando a generosidade e misericórdia do outro. Fique atento a esse padrão de comportamento.

3) O drama teatral e a chantagem emocional

Manipuladores irão recorrer a tudo. E um bom drama, exige uma boa performance teatral. Choro, autoflagelamento, dores repentinas no peito, gritos, pode fazer parte da cena. O inverso também pode ocorrer, sempre de forma exagerada, o silêncio súbito, não reação, apatia e olhar vago, podem ser usados para sensibilizar o outro e amenizar as cobranças.

4) Ameaças e confronto

Uma das armas usadas pelo chantagista são as ameaças de vingança ou contra si mesmo. O chantagista irá tentar controlar o outro ameaçando com ações severas e extremas. “Você vai me perder para sempre”, ” eu vou me matar”, “nunca mais seremos felizes”, são algumas frases que podem ser usadas no fervor dos confrontos.

Perceba que há uma diferença clara entre ameaças e alguém que está sofrendo com depressão e corre o risco de vida, devido a algum transtorno psicológico. Procure perceber se quem está se comportando assim precisa de ajuda, ou se são apenas blefes para conseguir o que quer.

5) Artimanhas para a conquista

Promessas, trocas, negociação, são atitudes que ajudam a ter um bom relacionamento. Porém, quando usadas para manipular o outro, são extremamente nocivas. Quando a permuta te prejudica ou limita a sua liberdade, algo não vai bem. Se você está sendo manipulado, perceberá que está perdendo amigos, deixando de ter tempo para você, protelando algum projeto ou negligenciando alguma promoção no trabalho.

>>>> Leia também: Dependência Emocional

Lidar com um chantagista emocional não é fácil. É necessário autocontrole, confiança e saber dizer “não”. Não acredite em tudo o que o chantagista fala. Ele estará de olho em seus pontos fracos, e irá usá-los para obter o que deseja. Não bajule, nem tente agradar.

Busque apoio psicológico para lidar com quem manipula e ajude quem manipula a buscar ajuda. A terapia é muito benéfica nesses casos. Muitas vezes as artimanhas já estão tão internalizadas, que não percebemos que estamos usando esses recursos para obter o que queremos.

Esse artigo foi útil? Pode ser que você se interesse por esse aqui também: Terapia de casal funciona?

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.