Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Luto na Infância

Luto na Infância - como lidar

A morte de um ente querido é um dos momentos mais impactantes que uma criança pode vivenciar, destacam os psicólogos.

Nesse momento, ela se depara com profundos sentimentos de desamparo e impotência, sem entender exatamente o que está acontecendo, perdendo o mundo que conhecia e tornando-se difícil conhecer e lidar com sentimentos de perda.

O luto infantil, ou luto na infância, é um processo de reconstrução diante da morte, é um desafio emocional com o qual ela tem de lidar.

A criança e a perda

A criança, especialmente com menos de seis anos de idade, possui maior dificuldade em compreender e aceitar a irreversibilidade da morte. Enfrentar a morte de quem se ama é um processo difícil em qualquer idade.

Quanto mais jovem for uma criança, maiores serão os efeitos desta perda, uma vez que ainda não possuem recursos internos para superar esse momento.

Dentre os aspectos mais observados em crianças diante da perda de um ente querido, está a negação, a agressividade e a culpa. Ela pode tratar seus colegas com hostilidade ou tratar seus brinquedos com violência.

A forma pela qual a criança agirá diante da morte é particular de cada uma.

A duração e intensidade dependerão da sua personalidade e do vínculo afetivo com a pessoa perdida, e, claro, com o apoio dos demais familiares e responsáveis que a cercam.

Apoio Psicológico

É necessário que as crianças vivenciem o sentimento do luto. Elas devem ser encorajadas a expressarem o que estão sentindo.

A criança, por não saber nomear seus sentimentos, se expressa por meio do brincar, utilizando-se da simbolização para expressar suas fantasias, ansiedades e sentimentos – por isso, no processo terapêutico é utilizado o apoio de brinquedos e desenhos.

Perder alguém significativo implica a necessidade de readaptação, principalmente no ambiente que traz lembranças da outra pessoa, de forma a lidar com questões emocionais e afetivas.

A ajuda do psicólogo promove suportes que favorecem recursos internos, possibilitando para a criança a elaboração do luto, bem como sentir-se acolhida, compreendida e segura em um momento de desamparo e incerteza.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Vício em videogames

    Vício em videogames
    Embora ainda não seja reconhecido pela Associação Médica como um transtorno diagnosticável, o vício em videogames é um problema real para muitas pessoas. 
  • Gravidez sem planejamento

    Gravidez sem planejamento
    A gravidez sem planejamento é algo que ocorre para mulheres, mas nem por isso é um momento de tristeza.
  • Meu filho presenciou uma cena forte

    Meu filho presenciou uma cena forte
    Meu filho presenciou uma cena forte, seja um assalto, presenciou um acidente com vítimas, viu a morte de um animal de estimação, mas quando procurar um psicólogo

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autor: Thaiana F. Brotto

CRP 06/106524 – São Paulo

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC