Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Paranoia: o que é, sintomas e formas de tratamento

Paranoia: o que é, sintomas e formas de tratamento

Paranoia, o que de fato ela é e o que significa ser alguém paranoico? Essa é uma palavra muito utilizada em filmes, livros e programas de TV, principalmente os dos gêneros mistério e policial. Mas será que essas representações fictícias têm alguma conexão com a realidade?

Segundo psicólogos, crenças de que alguém está ciente de cada passo que você dá ou tentando prejudicá-lo, como sabotar a sua vida profissional ou relacionamento, são características de pessoas paranoicas.   

Essa desconfiança excessiva causa inconvenientes em suas vidas social, profissional e afetiva. Como construir um relacionamento ou trabalhar com alguém que não acredita nas boas intenções dos colegas? Além disso, ela causa graves danos à saúde mental de quem está paranoico.

O que é paranoia, afinal?

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Suliane






Não quero informar nome ou e-mail





A paranoia pode ser descrita como sensações de caráter irracional e persistente que um indivíduo tem em relação aos outros e ao mundo. Elas podem surgir esporadicamente e não ter um “alvo” específico, ou aparecerem após o encontro com alguém novo.

Mesmo que não exista nenhuma prova ou indicação de que os outros estão planejando lhe causar mal, o indivíduo paranoico suspeita de convites, palavras ditas durante conversas e comportamentos.

Ele julga as pessoas como injustas, mentirosas e interesseiras baseado em suas próprias conclusões distorcidas em vez de suas personalidades reais. 

Pessoas paranoicas não pensam que estão paranoicas. Para elas, todas as suas desconfianças e preocupações têm um propósito. Familiares podem tentar convencê-las de que não há nada a temer, mas, em vez de considerar as suas palavras, elas podem acreditar que seus entes queridos também estão tentando enganá-la.

Sintomas da paranoia

Todo mundo experimenta um pouco de paranoia em algum momento da vida. Por exemplo, você acha que dois colegas de trabalho estão cochichando sobre você e fica apreensivo toda vez que se encontra na presença deles.

Será que eles estão planejando algo contra você? Falando mal de você para outros colegas e superiores? O que você fez para receber esse tratamento?

Esses pensamentos são semelhantes aos que habitam a mente da pessoa paranoica, porém em intensidade e recorrência muito menores. A busca por razões mal-intencionadas para justificar o comportamento dos outros é constante em quem é paranoico.

Outros sintomas são:

  • Isolamento voluntário de momentos sociais;
  • Se sentir facilmente ofendido;
  • Comportamento defensivo e hostil;
  • Não ser capaz de aceitar criticismo e perdoar quem supostamente lhe causou mal;
  • Não conseguir confiar em outras pessoas;
  • Suspeitar de tudo o que os outros fazem;
  • Crença que as pessoas estão sempre mentindo, planejando arruinar a sua vida ou manipulando outros para sabotá-lo;
  • Ser incapaz de se comprometer com alguém ou algum projeto;
  • Assumir que as pessoas estão falando mal de você;
  • Ter relacionamentos difíceis;
  • Acreditar que o mundo é um local perigoso;
  • Acreditar em teorias da conspiração;
  • Desconfiar até de pessoas próximas, podendo chegar a crer que são sósias ou não gostam mais de você; e
  • Se sentir constantemente perseguido.

Ansiedade x Paranoia

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Ansiedade e paranoia são dois sentimentos completamente diferentes, embora as semelhanças entre eles possam confundir as pessoas. Afinal, pensamentos paranoicos são um tipo de ansiedade. Pessoas paranoicas estão constantemente ansiosas e estressadas por acreditarem estar travando uma batalha silenciosa contra o mundo.

A ansiedade faz com que as pessoas se preocupem com detalhes e coisas que são visíveis somente para elas. Em uma situação social, por exemplo, você pode se preocupar que os outros vão julgar a sua escolha de roupa, seu comportamento e o que você diz.

Além disso, você pode ter pensamentos como “eles estão se perguntando por que estou sozinho nessa multidão” ou “eles vão me achar um idiota”. Na verdade, a probabilidade de alguém estar prestando atenção em você desse jeito é quase nula.

Grande parte das pessoas está mais interessada em suas próprias vidas que nas dos outros. E não há nada de errado nisso.

Nessa mesma situação social, uma pessoa paranoica pode ter pensamentos como “eles estão planejando alguma coisa contra mim”, “eles estão me observando” e “deve ter câmeras instaladas aqui, seguindo meus movimentos”. É uma forma completamente diferente de pensar.

Se você acredita que seus pensamentos são paranoicos, você pode estar sofrendo de ansiedade, não de paranoia. Se esses devaneios e sensações não parecem desaparecer nunca, você pode consultar um psiquiatra ou psicólogo para falar sobre seu desconforto emocional.

Causas da paranoia

Diversos fatores estão associados a pensamentos e comportamentos paranoicos.

1.     Privação do sono

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Ficar uma única noite sem dormir provavelmente não vai causar pensamentos paranoicos. Mas se você perder o sono frequentemente, eles podem começar a rondar a sua mente. Você pode não pensar tão claramente quanto antes uma vez que a falta de sono atrapalha funções cognitivas básicas.

Dessa forma, você pode começar a acreditar que as pessoas estão planejando fazer algo contra você quando, na verdade, todos estão agindo como sempre agiram. Em casos extremos, você pode até ter alucinações visuais e auditivas.

Procure dormir entre 7 a 9 horas por noite para cuidar da saúde mental. Se estiver vivendo uma situação que torne difícil ter uma noite de sono completa, tire cochilos durante o dia para recuperar o sono perdido.

2.     Estresse

O estresse prolongado possui consequências semelhantes à privação do sono. Você pode começar a ter pensamentos incomuns sobre as pessoas com quem convive ou desconhecidos.

O estresse, neste caso, não precisa estar ligado somente a situações negativas, como uma rotina agitada de trabalho. Ocasiões tipicamente felizes, como um casamento, podem desencadear uma quantidade de estresse capaz de incentivar pensamentos paranoicos se você não cuidar de si mesmo.

Para aliviar a tensão emocional e física, você pode mudar o foco do fator estressor. Fazer uma caminhada, sair com os amigos, praticar um hobby e simplesmente relaxar enquanto assiste TV, lê um livro ou medita são atitudes que você pode adotar para combater o estresse.

3.     Condições de saúde mental

Três condições de saúde mental podem causar paranoia.

  • Transtorno de Personalidade Paranoide: a maioria das pessoas com essa condição consegue levar uma vida funcional, apesar dos sintomas. As atitudes e comportamentos associados a ela, quando se tornam óbvios para quem os tem e os demais, frequentemente estiveram presentes em grande parte da vida das pessoas.
  • Transtorno Delirante: convicções falsas são a principal característica dessa condição. Elas persistem por cerca de um mês ou mais e permanecem inalteradas perante evidências claras de que elas não estão corretas. Ainda assim, a pessoa delirante não acredita na verdade e continua a alimentar seus delírios. Eles podem envolver situações que poderiam acontecer, como infidelidade ou contrair uma doença, ou situações implausíveis, como ter seus órgãos removidos misteriosamente.
  • Esquizofrenia Paranoide: é a condição mais severa e é caracterizada por desilusões grandiosas e ilógicas, como acreditar que seus pensamentos estão sendo compartilhados no rádio. Alucinações também são muito comuns. Uma pessoa com esquizofrenia paranoide dificilmente consegue levar uma vida normal sem tratamento adequado.

4.     Alzheimer

O Alzheimer e outras patologias associadas à demência podem mudar o cérebro drasticamente. Deste modo, o idoso com essa condição pode começar a suspeitar das pessoas à sua volta, sejam parentes ou cuidadores.

Ele pode começar a esconder objetos de valor, como joias ou dinheiro, por acreditar que alguém quer roubá-los. Também pode se recusar a falar com indivíduos que acredita estarem conspirando contra ele, temer sair de casa, observar os veículos na rua por acreditar estar sendo monitorado, entre outros comportamentos paranoicos.

O médico pode ajudar os familiares a lidar com esse sintoma.

Tipos de tratamento para paranoia

Como Escolher seu Psicólogo

Nesse guia completo você vai conhecer tudo sobre psicólogos e psicoterapia. A escolha do psicólogo certo para você envolve diversos fatores. Descubra aqui.

COMO ESCOLHER O SEU PSICÓLOGO

O tratamento depende da causa e da severidade dos sintomas, mas é geralmente composto por medicamentos psiquiátricos e psicoterapia. Como cada caso é único, pacientes e familiares devem conversar com o psicólogo e médico psiquiatra para decidir o tratamento mais adequado.

A terapia tem a intenção de ajudar pessoas paranoicas a reconhecer e aceitar a sua vulnerabilidade, elevar a sua autoestima, aprender a confiar nos outros e aprender a expressar e administrar emoções.

Além disso, a terapia ajuda pacientes a desenvolver habilidades sociais e formas saudáveis de comunicação. Assim, a pessoa paranoica pode, aos poucos, começar a se abrir para os outros.

Dependendo do grau de paranoia, no entanto, o paciente pode demorar para se abrir com o psicólogo por também desconfiar dele. Sessões com familiares podem ser necessárias no começo do tratamento para encorajar a confiança no profissional.

Se a psicoterapia não trouxer bons resultados ou não for o tratamento adequado para o quadro clínico do paciente, o psicólogo ou médico pode recomendar a sua internação.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Inteligência emocional: o que é e sua relação com autoconhecimento

    É possível desenvolver a inteligência?
    Inteligência emocional é a aptidão da pessoa conseguir se auto analisar, em seus profundos sentimentos e emoções. Conheça a sua importância, a relação com o autoconhecimento e como desenvolvê-la.
  • Psicólogo ensina a identificar suas emoções

    Identificando suas emoções
    As emoções, muitas vezes, são desencadeadas tão rapidamente em nosso cérebro que acabamos não entendendo o que acontece e porque reagimos de determinada maneira. Se esse controle emocional ficar difícil de ser alcançado, a ajuda de um psicólogo certamente será de grande valor.
  • Baixa autoestima: como ajudar alguém nesse condição?

    Baixa autoestima: como ajudar alguém nesse condição?
    Pode ser desafiador ajudar alguém a modificar a forma como ele se vê. A falta de autoestima normalmente deixa as pessoas com medo de fazer mudanças, inseguras e com sentimento de culpa por se sentirem assim. Saiba como ajudar alguém com baixa autoestima.

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Brotto

Thaiana Brotto é psicólogo e CEO do consultório Psicólogo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Registrada no Conselho Regional de Psicologia pelo número CRP 106524/06.

2 comentários em “Paranoia: o que é, sintomas e formas de tratamento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *