Neuropsicologia

Categoria dos serviços do psicólogo: psicoterapia
Neuropsicologia

Entender como o complexo cérebro humano funciona tem sido um dos grandes objetivos da ciência ao longo dos séculos. Nos dias de hoje, já temos um bom conhecimento sobre o assunto, particularmente quando pensamos nas funções, especificações e características de cada parte do cérebro. Porém, ainda há muito a desvendar e a busca pela compreensão desse órgão tão poderoso continua – inclusive nos consultórios de psicólogos.

Você já ouviu falar na neuropsicologia? Ela é um ramo da Psicologia que associa o comportamento humano às funções do cérebro e, assim, ajuda a descobrir e a compreender padrões de comportamento. Saiba mais sobre essa especialização!

Era o ano de 1913 quando William Oslert, nos Estados Unidos, utilizou pela primeira vez o termo “neuropsicologia”. Ou seja, apesar de relativamente recente, essa já é uma ciência bem estudada e confiável. Podemos conceituá-la dizendo que a neuropsicologia é uma forma de relacionar o papel dos sistemas cerebrais individuais e as formas complexas das atividades mentais.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo para realizar psicoterapia, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Em outras palavras, a neuropsicologia parte do funcionamento do cérebro para analisar e compreender comportamentos.

Objetivos da neuropsicologia

Como explicamos acima, esse ramo da Psicologia estuda como a organização cerebral interfere nas relações e emoções humanas, tanto em quadros de desenvolvimento normal do cérebro quanto em casos de doença.

O neuropsicólogo correlaciona as alterações observadas no comportamento de um paciente com as possíveis áreas do cérebro envolvidas, fazendo uma investigação clínica baseada em testes e exercícios. A avaliação neuropsicológica faz parte desse processo.

Avaliação neuropsicológica

O objetivo principal da avaliação neuropsicológica é coletar dados clínicos para auxiliar na compreensão da extensão das perdas sofridas pelo cérebro, em caso de doença, por exemplo, e como isso pode estar influenciando o comportamento do indivíduo. Ela busca quais áreas estão comprometidas e quais estão preservadas.

A avaliação é feita a partir de instrumentos (testes, escalas, baterias) que computam dados sobre as funções cognitivas, como a inteligência, atenção, percepção, memória, linguagem, aprendizagem, velocidade de processamento de informações, habilidades motoras, afeto etc.

A partir da avaliação neuropsicológica podemos estabelecer quais tipos de intervenção ou reabilitação o indivíduo – ou grupos de indivíduos – precisa.

Quando se aplica a avaliação neuropsicológica?

A avaliação neuropsicológica pode ser feita em adultos, crianças e idosos. No caso das crianças, ela costuma ser realizada em pacientes com alterações comportamentais e dificuldades de aprendizado, como déficit de atenção, problemas de coordenação, falta de memória e incapacidade para ler e fazer cálculos.

Em adultos e idosos, ela é feita em casos de traumas, depressão, esquizofrenia, transtorno de desenvolvimento, acidente vascular cerebral (AVC), déficit associado a álcool ou uso de drogas, entre outros. Não importa qual seja o caso, o médico procurará entender como as mudanças no comportamento do indivíduo se relacionam com seus traumas e como ajudá-lo a superar o problema a partir do funcionamento cerebral.

A neuropsicologia é onde a ciência clássica – aquela em que imaginamos os cientistas de jaleco branco e tubos de ensaio – se encontra com a psicologia para descobrir como ajudar pessoas que passam por vários problemas diferentes.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.