Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como lidar com a sensação de rejeição

Como enfrentar a rejeição entre parceiros

A Rejeição provavelmente é um dos piores sentimentos experimentados em nossa vida. Seja por parte de nosso par amoroso, de um amigo, parente ou colegas de trabalho, a sensação de que nossa presença não é desejada ou não é mais bem-vinda.

Pode nos levar a nos sentirmos magoados e nos tornarmos defensivos. Apesar de ser muito difícil, os psicólogos afirmam que é possível lidar com ela adotando algumas estratégias.

É comum sentir rejeição?

Quase todas as pessoas possuem medo da rejeição. Essa aflição pode inclusive gerar dor física palpitações e outras somatizações. E há explicação científica para isso. Estudos mostraram que o cérebro registra rejeição da mesma forma que faz a dor física.

E mais, quando há estresses muito grandes, como o causado pela rejeição, os músculos do coração podem enfraquecer. A expressão popular “coração partido” é justificada por esses estudos.

A origem do sentimento de rejeição

A explicação para essa dor intensa vem de nossos antepassados: se você fosse excluído de seu grupo/tribo, as chances de sobrevivência diminuiriam drasticamente. Em outras palavras, ser rejeitado poderia até mesmo ocasionar a morte.

Não vivemos mais na era pré-histórica, então por que a rejeição ainda nos causa tanto sofrimento? E como lidar com ela?

Se sentir rejeitado ou sentir isso pelo parceiro é mais comum do que se imagina. Nas duas situações, os sentimentos são os mesmos: decepção, frustração, dúvida, insegurança, tristeza e incerteza.

É tanta carga emocional negativa que, muitas vezes, é preciso buscar a ajuda de um psicólogo para entender as reais razões do que está acontecendo e aprender a lidar com o problema de frente. Mas, qual o motivo para a rejeição aparecer?

Como agir quando se sentir rejeitado?

Valor Consulta Psicóloga Marcela






Não quero informar nome ou e-mail





Tudo que queremos é amar, ser amados e viver bem ao lado da pessoa escolhida. Gostamos de ser aceitos e aprovados por todos que nos rodeiam e, principalmente, pelo nosso parceiro, não é mesmo?

É por isso que quando aparece a rejeição, ela causa tanto sofrimento e dor. Nos sentimos com a autoestima baixa e ficamos nos perguntando: onde foi que eu errei? E não é nada fácil, também, quando somos nós que passamos a rejeitar aquela pessoa por quem, até então, sentíamos atração.

A vida vai apresentando sempre novas realidades, conhecimentos, problemas, enfim, situações que vão nos transformando. E nessa evolução inevitável podem surgir sentimentos inéditos. Com o passar do tempo, as pessoas passam a pensar de forma diferente e surgem novos desejos e outras prioridades. É neste contexto que pode surgir a rejeição.

Quando nosso comportamento desagrada outras pessoas

As pessoas às vezes nos rejeitam por causa do comportamento que temos perante elas. Quando as pessoas se sentem desconfortáveis, elas vão tentar remover aquilo que as estressa. E neste caso, pode ser a nossa presença. E isso nos leva a nos sentir rejeitados.

E aí vem um dado surpreendente: a rejeição não é pessoal! As pessoas não estão nos rejeitando e sim nosso comportamento. Isso acontece por que costumamos atribuir nosso comportamento à nossa identidade. Mas quantas vezes mudamos nossa maneira de agir na vida? Ao alterar um padrão de comportamento, você continua sendo a mesma pessoa.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Para ajudar nisso, primeiramente deve-se ter um pouco de introspecção e exercitar o autoconhecimento. Temos que descobrir o que os motiva. E o quanto esse comportamento é realmente importante para você ou se ele traduz algum medo e insegurança que você tem, por exemplo.

Ao reconhecer e trabalhar estes comportamentos, as chances de sermos rejeitados diminuem. Ou pelo menos a dor é eliminada. Se você é uma pessoa que sempre responde os outros com ironias e ataques, por exemplo, ao entender que faz isso, bem como o que o motiva, há chances de melhorar as atitudes.

Agora, por exemplo, se você é rejeitado por um grupo social por ter tatuagens, talvez esse grupo não seja merecedor da sua presença. Aí, a rejeição deixa de ser dor para virar algo até benéfico.

Qual é o seu nível de:

ANSIEDADE
ESTRESSE
DEPRESSÃO
FAZER O TESTE

Quando você perde a sua autoconfiança

Quando você se sente inferior, ou que você não é o suficiente, esse sentimento por si só leva a rejeição. Você passa a achar que não é inteligente o suficiente, não é bonito o suficiente, não é bom o suficiente … ou seja, você não é suficiente. Sua vida não é suficiente.

Pessoas que sofrem de baixa autoestima e total falta de confiança vivem sentimento de rejeição, sendo que muitas vezes ela nem é real. Neste caso adotar atitudes positivas e mudar hábitos nocivos são muito importantes.

Buscar terapia é fundamental, também. Um psicólogo poderá ajudar a pessoa a desenvolver autoconhecimento, bem como a criar estratégias e abordagens para a retomada da autoconfiança.

Separamos algumas dicas… confira

Dicas de psicólogos para enfrentar a rejeição entre parceiros

Como Escolher seu Psicólogo

Nesse guia completo você vai conhecer tudo sobre psicólogos e psicoterapia. A escolha do psicólogo certo para você envolve diversos fatores. Descubra aqui.

COMO ESCOLHER O SEU PSICÓLOGO
  • Não esconda embaixo do tapete o que está ocorrendo. Tenha forças e coragem para lidar com a frustração e a dor que cercam a rejeição.
  • Se você está se sentindo rejeitada (o) pelo (a) parceiro (a), tente entender se não é algo passageiro. Às vezes, o cônjuge está apenas vivenciando um período difícil na vida pessoal ou no trabalho, o que o impede de ser amoroso e mostrar desejo em relação a você.
  • Tente sempre conversar sobre o assunto, sem colocar a pessoa na parede. Diga o que está sentindo e abra espaço para ela também expor seus sentimentos. Ouça com atenção e não julgue.
  • Se a pessoa confirmar o que você está sentindo, não se humilhe e nem parta para o confronto direto;
  • Receba as informações e dê tempo ao tempo. Pense no que foi falado e faça uma análise do que foi comentado.
  • Não implore atenção e amor. Respeite o que o outro está sentindo e entenda que o problema está nele que mudou de opinião, e não em você. Isso ajuda a não deixar sua autoestima ir para o buraco.
  • Valorize-se mesmo que a rejeição seja um golpe muito forte. Cuidado para não transformar sua tristeza em revolta, atrapalhando mais ainda sua vida.
  • O fato de não ser mais amado (a) como antes não pode deixar que você se ame menos ou que encare a vida de forma diferente do que fazia antes.
  • Mentalize suas qualidades, os bons sentimentos e faça coisas que acalmem sua alma.
  • Cerque-se de pessoas queridas e comente o que está passando somente com quem você realmente confia.
  • Tente desviar sua atenção para outros temas.
  • Envolva-se em novas atividades, num novo projeto, seja no âmbito profissional ou pessoal. Isto vai te dar energia para lidar com o problema da rejeição e tomar decisões sobre o seu relacionamento.

Apesar destas dicas, os psicólogos alertam que é muito difícil passar por rejeição. Rejeitar a quem se ama também traz uma série de culpas. Às vezes, o sentimento do passado até é reestabelecido novamente, mas ficar esperando por isso é bem complexo.

Para que você não paralise sua vida em função do desprezo, recomendamos a terapia com psicólogo. Ela pode antecipar sua volta por cima. Decepções amorosas fazem parte da vida. Fundamental é se preparar para ultrapassar essa fase com autoconfiança, otimismo e segurança.

Era amor e logo virou rejeição?

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Em nossa vida é muito comum nos depararmos com essa situação. Em um minuto, você está em uma viagem romântica no exterior, vive momentos maravilhosos e no outro, eles estão dizendo que eles não amam você e é melhor se afastar para não gerar envolvimento. Algo que foi uma experiência em nossa vida desaparece tão rapidamente…

E por que isso acontece? Há inúmeros motivos para isso. As vezes nem mesmo o par ou casal entende por que quer se afastar – consulte também artigos sobre terapia de casal e relacionamentos. Desgaste, transtornos emocionais e muitas outras razões podem ocasionar esse rompimento tão repentino. O mais importante é saber que aquele momento de felicidade e de amor realmente existiu. E as vezes ele vai embora por que há mais felicidade para viver e ela está só nos aguardando.

Como lidar com a rejeição

Nem sempre é fácil reconhecer se há algo a aprender com a rejeição ou se ela é apenas uma consequência de expectativas não atendidas. Mas a distinção se torna muito mais clara quando desenvolvemos a autoconsciência sobre nossos comportamentos e como eles afetam os outros.

De qualquer forma, entender as causas da rejeição pode tirar dor dela. Não se trata de quem nós somos, e sim do que fazemos. A rejeição não nos define, nem direciona nossas vidas. Somos nós que estamos no comando. E nós podemos trabalhar para mudar nossas escolhas, nos autoconhecer e fortalecer nossa confiança. E entender que outras pessoas podem não ser capazes de aceitá-las, e isso é problema exclusivo delas, e não nosso. Para isso, a ajuda terapêutica é a nossa melhor amiga.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Psicóloga Thaiana F. Brotto

CRP 106524/06. CEO do consultório Psicologo e Terapia. Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC

27 comentários em “Como lidar com a sensação de rejeição

  1. Gostei muito do texto, uma linguagem de fácil entendimento, texto enxuto, com ótimo conteúdo.
    Parabéns.

    • Olá, Lucimer!

      Obrigada pelo feedback. Trabalhamos com muita dedicação para oferecer um conteúdo de qualidade aos nossos leitores.

      Grande abraço.

  2. Bom dia muito obrigada pela matéria,pois me ajudou na hora q me bateu um desespero e não achava uma resposta para o que estava acontecendo,me vi desesperada,sai do trabalha chorando no ônibus e não consegui me controlar de tanta tristeza

    • Olá, Ana Claudia!
      Que bom saber que o conteúdo ajudou você de alguma forma. Espero que os artigos postados aqui no Blog continuem auxiliando você da melhor forma. Mas reflita também sobre a possibilidade de conversar com um psicólogo para falar sobre as suas angústias e aflições, eu tenho certeza que será bastante importante para você.

      Grande abraço,
      Psicóloga Thaiana Brotto

  3. Olá.
    Parece que me sinto rejeitada por todos: irmãos, filhos, amigos. Não sei o que se passa. Estou cada dia me isolando mais.

    • Olá, Luciana!

      Seria bastante importante você dar início a um processo terapêutico para entender todo o contexto da sua história e o que te leva a se sentir assim. Pense nessa possibilidade.

      Abraços,
      Psicóloga Thaiana

    • Boa tarde ! Vivo uma grande rejeicao pelos meus pais por ser gay e mi culpo por isso ! Sofro muito ja nao me sinto nem mas filhos deles que sao complatamente ausentes na minha vida mi ajuda a aceitar essa rejeicao

      • Olá, Júnior!

        Você já pensou em conversar com um psicólogo para poder entender melhor o que vem acontecendo, o que você vem sentindo e a maneira como você pode lidar com essa questão dos seus pais? O importante é você fortalecer o seu emocional nesse momento!

        Abraços,
        Psicóloga Thaiana

  4. Muito bom o artigo, um ponto para relembrar: “Não implore pela atenção”. E isso é com tudo, implorar faz para os dois lados, pense em uma venda, quando é forçada, o vendedor não consegue atender as expectativas do cliente, com isso, o cliente fica insatisfeito e fala mal do produto e do vendedor.

    • Olá, Augusto!

      Excelente observação. Obrigada pelo seu comentário.

      Abraços,
      Psicóloga Thaiana

  5. Bom dia
    Muito bom, gostei muito e estou passando por todos esses momentos que li nao sei o que devo fazer mesmo le do muito
    Continuo me sentindo rejeitada.

    • Olá, Marcia!

      Hábitos, comportamentos e pensamentos não são possíveis de mudar repentinamente. Tem todo um processo que envolve alterarmos a nossa perspectiva sobre algo.
      O que posso te dizer antecipadamente é que sugiro que continue se aprofundando sobre o assunto, entendendo e analisando seus contextos para começar a mudar esse sentimento.

      Abraços,
      Psicóloga Thaiana

  6. Excelente artigo.

    Vivo rejeição desde o ventre de minha mãe, qdo fui rejeitada pelo pai biológico e desde então, tornou-se uma constante em tds os 57 anos de vida.
    Hj sobrevivo com fibromialgia, foi o resultado de td esse tempo.
    Se não fosse a intervenção divina na FÉ, certamente não estaria aqui.
    É uma caminhada longa de altos e baixos.
    A isso acrescentou-se depressão o q potencializa ainda mais essa dor.

    Mas…
    12. Então Samuel mandou que uma pedra fosse erguida entre Mispá e Sem; e deu-lhe o nome de Éven-Haézer, Ebenézer, que significa “ROCHA DO SOCORRO”, querendo dizer: *“ATÉ AQUI NOS AJUDOU O SENHOR!”*
    (1 Samuel, 7)

    • Olá, Josélia,

      Agradeço por compartilhar o seu comentário!
      Conte comigo.

      Abraços,
      Psicóloga Thaiana

  7. Bom demais seus conteúdos!!!
    Sofro demais com a rejeição por mais de 1 ano por parte da minha esposa. Estamos juntos desde os 17 anos, fechando 27 anos este ano de 2021. Mas tem um motivo, após incessantes reclamações dela eu entendi que sofro de TPN. Tive pais com este mesmo problema mas com algumas diferenças entre si. Pai mulherengo e mãe religiosa fundamentalista dessas que nem TV em casa tínhamos, regras rígidas ordem, limpeza e organização em primeiro lugar, namoradas nem pensar! Com a vida adulta eu acabei por aderir alguns desses conceitos mas não levei para o lado profissional e deixei muitas oportunidades escaparem e por isso sou cobrado constantemente (minha mulher é extremamente franca e fala o que pensa sem freio) principalmente por não ter a carreira que acham que eu poderia e deveria ter, embora eu tenha uma carreira mas que não é tão rentável quando o que acham necessário para uma família grande fazendo passar muitas vezes necessidades, filhos adultos morando comigo… sinto como se não precisasse mais estar ali, não faz mais sentido… passo os dias trabalhando de casa e raramente alguém
    conversa comigo mas sei que é por culpa minha… sendo que todos estão na casa…

    • Olá Márcio,
      Compreendo que seja uma situação bastante delicada. Mas, tenho certeza que buscar o auxílio de um psicólogo para trabalhar com profundidade todas essas questões irá ajudá-lo de maneira real. Pense nessa possibilidade.
      Abraços,
      Psicóloga Thaiana

  8. muito bom esse site gostei muito do conteudo dele.vou passar aqui mais vezes durante a semana para acompanhar seu conteúdo. abraços

    • Olá!
      Fico contente que você tenha gostado do conteúdo. Seja bem-vindo!
      Abraços,
      Psicóloga Thaiana

  9. Grato por compartilhar seus conhecimentos, aprendendo cada dia a bíblia para ensinar. Quando puder visita la nosso site também. Parabéns pelo seu trabalho, Deus abençoe sempre.

    • Olá!
      Obrigada pelo feedback e boa sorte com o trabalho de vocês também.
      Abraços,
      Psicóloga Thaiana

  10. Imaginem todos em sua volta te chamando de feio, horroroso.É óbvio que nos sentimos para baixo.De tanto me falarem que sou feio, eu não cuidava da minha higiene.Era feio e fedorento.Fui completamente excluído no ensino médio.Perdi meu BV com 18 anos.As mulheres tinham nojo de mim, me olhavam com cara feia, com repulsa.No ônibus ninguém sentava do meu lado, nos cursos que eu fazia, ficava excluído, evitavam falar comigo, ai chegava um cara novo, e no mesmo dia já se enturmava.Eu queria ser bonito, não aguentava mais.Fui identifcar o que de fato me tornava feio.Eram as espinhas, eram os dentes, eram as orelhas, eram a cabeça, cabelo, eram o nariz. eram os olhos, era meu corpo, ou era nos ambientes em que eu estava. Ai vi meu cabelo, ele era ruim, bagunçado, meus dentes estavam amarelos e tortos, , eu era magro, e meus olhos são escuros,Ai fui botar aparelho, escovei os dentes todos os dias, cortei o meu cabelo bem baixo, e fui fazer academia.É claro tomando banho todos os dias, usando desodorante e perfume Malbec, escovando os dentes, usando Halls, e se vestindo bem há e também mudei de ambiente, larguei aquelas pessoas que me botavam para baixo, que me excluíam, troquei de vários ambientes até me encontrar..Hoje depois de 4 anos, meu dentes estão retos e brancos, eu sou elogiado por andar cheiroso, já peguei bastante mulher, mas os efeitos que o bullyng e a exclusão me causaram ainda permanecem.Eu quando vou flertar espero a mulher dar o sinal, não consigo chegar, acho que ela não vai querer,Eu me acostumei a ficar isolado, não gosto de sair, gosto de ficar em casa, olhando filme.O sucesso para mim, está em Deus, trabalho, estudo e se cuidar.

    • Olá, alguns traumas são difíceis de serem reparados mas não impossíveis. Se for seu desejo recuperar sua autoconfiança, busque ajuda de um profissional especializado em traumas da adolescência e autoconfiança que certamente ele irá te fornecer ferramentas eficazes para se ter uma vida mais completa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *