Por que mudar hábitos alimentares é tão difícil

Categoria dos serviços do psicólogo: distubios alimentares
Mudar hábitos alimentares é tão difícil

Mudar hábitos alimentares não é uma tarefa fácil. Muito além de uma questão estética, a alimentação impacta profundamente na nossa saúde física e psicológica.

Hoje em dia as mídias evidenciam a todo instante imagens de corpos saudáveis e estilos de vida dedicados à superação de desafios, e toda uma lista infinita de informações sobre como deve ser nossos corpos e o que devemos ou não fazer. Ao mesmo tempo, nossa correria diária parece nos impedir de aproveitar destes momentos de cuidados conosco. E a é muito comum as pessoas buscarem psicólogos para mudar hábitos alimentares.

Existem milhões de fórmulas prontas de sucesso disponíveis para qualquer um se aventurar numa radical mudança de hábitos. Mas não parece ser tão fácil sair de um padrão e ritmo diário para estabelecer alterações básicas e estruturais na nossa vida.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para questões relacionadas a distúrbios alimentares, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Uma das questões que podemos indicar é: estas fórmulas realmente são necessárias? A maioria dos psicólogos indicarão que sim, se pequenas alterações no cotidiano começarem a se efetuar, a meta final será, portanto, mais fácil de realizar. Ou seja, radicalizar logo de início pode, na maioria dos casos, levar a pessoa ao desestímulo e abandono das metas.

Tome cuidado com excesso de informações. Nem tudo o que está disponível sobre estética e saúde possui fontes confiáveis. Dê preferência a informações especializadas, de pessoas da área. Não existe dieta miraculosa e nem alimentos ou produtos extraordinários, mas combinações corretas e equilíbrio do modo de vida, principalmente quando se trata de mudar hábitos alimentares.

Como mudar hábitos alimentares?

Uma dieta alimentar balanceada com a prática regular de exercício físico ajuda consideravelmente no sustento saudável do corpo e, consequentemente, do estado de espírito da pessoa. Essa melhora trará consequências benéficas para a saúde física e mental. Conheça pequenas estratégias eficazes para mudar hábitos alimentares.

>>>Leia também: Distúbio alimentar: compulsão

Dica 1: Reflexão

Uma das primeiras coisas para dar início à mudança de hábitos alimentares é começar a refletir sobre o que comemos. Na verdade, quando ligamos o “automático” no dia-a-dia, nos alimentamos sem prestarmos atenção naquilo que estamos comendo. Nossa mente não para nem por um minuto, e no momento em que devia ser um período de descanso para o corpo, reproduzimos exatamente aquilo que fazemos no trabalho, na rua etc. O fato de não observar o que é ingerido, ou como é ingerido, se relaciona com nosso ritmo diário e pode ser um grande motivado de maus hábitos alimentares.

Dica 2: Registro

Se conseguir, registre em anotações o seu cardápio, incluindo café da manhã, almoço, café da tarde de janta, acrescentando os lanches esporádicos. Esta é uma forma interessante de perceber a qualidade de nossa alimentação diária. Este “diário” servirá para acompanhar os avanços. Será fácil observar os excessos que são condicionados pelo estilo de vida.

Dica 3: Substituição de alimentos

Não há necessidade de ser especialista em nutrição, mas é possível reconhecer quais alimentos ajudam ou pioram nossa saúde. Uma das primeiras mudanças que são consideradas “menos agressivas” é a substituição de alimentos considerados “danosos” por aqueles mais “naturais”. Todo mundo sabe que não há nada pior do que mudar hábitos alimentares começando por aquilo que um não gosta comer. Que essa mudança seja prazerosa!

Dica 4: Faça você mesmo

No momento em que a pessoa passa a trabalhar com alimentos em casa, muita coisa pode mudar na sua vida. Ela passará a respeitar e conhecer melhor a sua fonte de energia e vida. Mesmo que não saiba cozinhar, fazer a própria comida ajuda muito, economicamente e nutricionalmente.

Dica 5: Compartilhe experiências

Mudar hábitos alimentares sozinho é desafiador. Divida sua experiência com outras pessoas, isso facilitará muito o objetivo de suas metas. Quando se está em companhia de familiares e amigos que o apoiam, os hábitos saudáveis serão parte da regra. Procure grupos no Facebook, Whatsapp, grupos de apoio enfim, ajude para ser ajudado.

Dica 6: Exercícios

Pratique toda forma de exercícios, de acordo com o seu limite. Inclua mais aeróbicos na lista. A atividade física aumentará a resistência e controlará os níveis do colesterol bem como doenças do coração e aumento dos triglicerídeos no sangue. Seu organismo será afetado positivamente como um todo.

Devo contar com a ajuda de um psicólogo?

Por fim, consulte apoio para este tipo de trabalho. Equilibrar uma alimentação coordenando o ritmo diário de trabalho e exercícios exigirá determinadas somas de esforços, que com a ajuda de um especialista será de grande valor. Nem tudo é um sacrifício, portanto botar a mão na massa e mudar hábitos alimentares pode ser feito hoje mesmo!

Devemos ter alerta com os sintomas de “sabotagem”, de si mesmo e do meio externo. Burlar alimentos por outros, relativamente semelhantes, também não funcionará. A melhor opção sempre será a consulta de um psicólogo, apesar de sermos constantemente bombardeados de informações de todos os tipos. Mudar não é algo tão fácil de ser feito, se o fosse não teríamos números tão elevados de pessoas com problemas de saúde. Se livrar de um comportamento nocivo requer muito foco e força de vontade.

Psicólogos acreditam que mudar e criar novos hábitos, ajudam a formar memórias e valores em uma determinada rotina. O registro de padrões repetitivos farão toda a diferença. Um psicólogo o ajudará a autodisciplinar prazos para que essas alterações deem resultado. A fome ou vontade de comer, nestes casos, nada tem a ver com a verdade, já que é o nosso cérebro responsável pela emissão da necessidade desses hábitos.

A tarefa, portanto é recondicionar nossa programação mental. Portanto, agende-se! Aprendendo a observar o seu dia-a-dia verá como o atual estágio se encontra.

Encontre mais informações sobre mudanças comportamentais em: Terapia Comportamental

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.