Rejeição – por que dói tanto?

Rejeição – por que dói tanto

O sentimento de rejeição ou o medo de ser rejeitado é uma das experiências mais fortes e dolorosas que as pessoas enfrentam durante sua vida.

A rejeição pode ser entendida como a emoção que experimentamos quando não somos aceitos ou somos excluídos. Ela pode surgir entre os mais variados contextos: familiar, amoroso, profissional, social, acadêmico; e tem o poder de comprometer a qualidade de vida da pessoa.

Só eu me sinto assim?!

Todos nós, em algum momento, já passamos por situações em que nos sentimos rejeitados, seja um amor não correspondido, uma vaga de emprego que não conseguimos, a perda do emprego, a falta de um convite para uma festa, enfim, são inúmeras as situações cotidianas que podem trazer esse sentimento a tona.

Pesquisas realizadas nos Estados Unidos demonstraram que a dor causada pela rejeição é igual a dor física, exames neurológicos mostraram que a experiência da rejeição ativa no cérebro as mesmas áreas que são ativadas durante a dor física, isso explica porque sentir-se rejeitado dói tanto e é tão difícil de lidar.

Como funciona o sentimento de rejeição

Quando somos feridos emocionalmente reagimos de maneira similar a uma ameaça física: procuramos nos proteger, nos afastando ou afastando a pessoa ou situação que está nos ameaçando. Se alguém nos insulta ou age de maneira que ultrapassam nossos limites emocionais, a sensação de sermos “feridos” e a dor que isso causa são reais, e, aos experimentarmos essa dor algumas vezes, passamos a buscar formas de nos proteger para evitar que isso ocorra novamente.

Ao sermos rejeitados experimentamos muitas emoções intensas como: ansiedade, medo, raiva, tristeza, decepção, frustração, etc. Todas essas emoções alteram o humor e comprometem o comportamento, fazendo com que a pessoa procure se isolar, evite novos relacionamentos, tenha dificuldade de se expressar e sinta-se insegura para enfrentar desafios.

Por que a rejeição pode trazer tantos sintomas/emoções?

Isso ocorre porque a rejeição ataca diretamente a autoestima da pessoa. Que passa a exercer uma autocrítica severa sobre si, o que aumenta o sentimento de rejeição e a faz duvidar das suas capacidades e valores.

Aprender a lidar com a rejeição é importante para nosso bem-estar. Abaixo seguem algumas sugestões de como fazer isso.

  • Ao passar por uma situação de rejeição se dê o direito de ficar chateado e dê um tempo para si mesmo para elaborar a situação, mas não exagere.
  • Converse sobre o assunto com alguém de sua confiança.
  • Aceite o que aconteceu. Quando mais rápido você aceitar a rejeição que sofreu, mas cedo você estará apto a seguir em frente, não se martirize!
  • Não perceba a rejeição como uma característica pessoal. Ser rejeitado não define quem você é!
  • Se ocupe com coisas agradáveis e retome seus projetos logo que se sentir melhor.

Procurando auxílio

E caso necessite de ajuda para lidar com a rejeição lembre-se de procurar uma psicóloga, que é a pessoa capacitada e preparada para auxiliar nas dificuldades emocionais. Conte com esse apoio!

Autora: Andrea Ferreira (Psicóloga CRP 06/113065)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.