Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Razão x Emoção

Categoria dos serviços do psicólogo: crescimento pessoal, crescimento profissional
Razão x Emoção de acordo com psicólogos

No nosso dia a dia, mesmo que a gente não perceba, sempre vivenciamos conflitos entre razão e emoção. Por um lado, a impulsividade carregada de sentimentos (emoção) e, por outro, a ponderação e uma melhor análise das consequências (razão).

Mas como equilibrar esses dois lados tão presentes em nossa vida, nas nossas relações com os outros e nas tantas tomadas de decisões que nos são exigidas o tempo todo?

Quando estamos com dificuldade de dosar a razão e a emoção, uma boa saída é contar com a ajuda de um psicólogo.

Razão x Emoção: como equilibrar as duas forças?

Mas, como um psicólogo pode ajudar?

Todos nós temos momentos mais emocionais e outros mais racionais, não é mesmo? Porém, algumas pessoas têm um lado muito mais aflorado do que o outro.

E, quando estamos vivendo conflitos internos, o equilíbrio entre a razão e a emoção não é fácil de ser alcançado.

Quando agimos demais com a emoção, muitas vezes acabamos tomando decisões desastrosas, das quais nos arrependemos depois. E ficamos nos culpando e nos perguntando: por que não parei pra pensar melhor? Mas ai já é tarde…

Valor Consulta Psicóloga Rosana






Não quero informar nome ou e-mail





Do outro lado da mesma moeda, quando agimos demais com a razão, sempre avaliamos melhor cada situação, pensamos nos prós e contras de determinada atitude e racionalizamos sobre o que vamos ganhar e perder.

Só que, geralmente, não temos o tempo necessário para tudo isso. E, se ficarmos pensando demais, vem aquela sensação de estarmos paralisados. Ao refletir muito sobre as várias possibilidades e, na ânsia de evitar erros, podemos perder o bonde da história.

O psicólogo, ao realizar a terapia com os pacientes, pode dar um apoio fundamental ajudando significativamente neste grande desafio que é conseguir encontrar o equilíbrio entre razão e emoção, de forma a deixar a pessoa mais satisfeita com suas nossas próprias decisões e mais preparada para tolerar e aceitar as consequências – algumas boas e outras nem tanto – que virão.

Aos poucos, o indivíduo vai aprendendo a se autoconhecer, a ponto de saber lidar cada vez melhor com o conflito entre razão e emoção que existe dentro dele.

O que diz a neurociência sobre a razão e a emoção

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Segundo a neurociência, as decisões mais impulsivas e emocionais são originadas na região do cérebro chamada amígdala. Já aquelas decisões mais racionais vêm do hipotálamo até chegar ao neocórtex.

Este trajeto entre o hipotálamo e o neocórtex é mais longo e, segundo os estudiosos do assunto, talvez seja por isso que temos mais tempo pra pensar.

Durante a terapia com psicólogo, o profissional especializado nos orienta sobre como treinarmos uma reprogramação mental de forma a equilibrar emoção e razão, tomando decisões mais acertadas para cada situação que enfrentamos.

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Geralmente podemos levar para a terapia o conflito que estamos vivendo – por exemplo, um problema familiar que nos exige uma decisão – para junto com o psicólogo, ponderarmos os pontos positivos e negativos, utilizando a nossa razão e “temperando” com nossa intuição e outros aspectos do nosso lado emocional.

Afinal, aquilo que decidimos sob a luz de nossos sentimentos mais nobres, tem grande chance de dar certo, não é mesmo?

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Como identificar minhas habilidades

    Como identificar minhas habilidades com consultório do psicólogo em São Paulo
    Muitas pessoas procuram psicólogo com o objetivo de receberem orientação na identificação de seus pontos fortes e habilidades. Confira alguns passos que podem lhe ajudar
  • Por que as pessoas mentem?

    Por que as pessoas mentem
    Mentir é sempre um risco, mas por que o aceitamos. Alguns exemplos de mentiras na vida diária podem aclarar o panorama da sua origem
  • Compulsão por Compras

    Compulsão por Compras
    No mundo capitalista em que vivemos, onde o consumo é cada vez mais alimentado e estimulado, a chamada compulsão por compras ou Oniomania tem sido cada vez mais evidente.

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autor: Thaiana F. Brotto

CRP 06/106524 – São Paulo

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC