Terapia Cognitiva e Mindfulness

Categoria dos serviços do psicólogo: terapia cognitivo comportamental, tcc
Terapia Cognitiva e Mindfulness

Estar totalmente focado em uma única tarefa é algo quase inimaginável pra você? De fato, com tantas informações e tecnologia, estamos condicionados a fazer pelo menos duas coisas ao mesmo tempo e “se tempo é dinheiro”, quanto mais produzirmos em tempo recorde melhor. A lógica é boa, a consequência nem tanto.

Temos uma fantástica capacidade de dividir nossa atenção, porém quando fazemos várias coisas ao mesmo tempo nosso foco é muito menor e superficial, como consequência disso temos um alto nível de estresse, além do prejuízo da memória e concentração.

Sobre a técnica Mindfulness

Existem técnicas milenares de meditação que buscam equilíbrio, concentração e tranquilidade mental. O mindfulness (“Mente aberta”) é uma técnica de meditação científica, por tanto sem cunho religioso ou místico, divulgada no ocidente por Jon Kabat-Zim, pesquisador da Universidade de Massachusetts, que visava redução de estresse.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para atendimento de terapia cognitivo comportamental, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

O mindfulness propõe interação com os fatos e tarefas do cotidiano de forma mais consciente, aberta e compreensiva. Trata-se de uma técnica baseada na aceitação de nossas experiências, afastando-se de uma postura julgadora e punitiva, que tem como objetivo possibilitar a criação de novas repostas a tais experiências de forma mais positiva e criativa.

Tendenciados a buscar apenas experiências positivas, criamos aversão a eventos negativos ou desagradáveis, criando mecanismos de evitação. Porém não conseguimos nos livrar de todas as situações desagradáveis, quanto mais aversivas estas situações se tornam, maior é nosso estado de tensão e estresse e costumamos ter pensamentos que revisitam o passado ou se preocupam demais com o futuro, gerando angústia e ansiedade.

Terapia Cognitiva e Mindfulness

Lembrando-se das premissas da Terapia Cognitiva, de que pensamentos precedem emoções e que algumas crenças direcionam pensamentos negativos, que por sua vez podem gerar sofrimento; temos como objetivo reorganizar padrões disfuncionais de crenças e nos aproximar de pensamentos realistas.

Na Terapia Cognitiva a técnica de mindfulness ajuda a ensinar pacientes a conscientemente focar em seus pensamentos e emoções sem julgamentos a priori, a fim de atentarem-se no aqui e agora e não desgastar-se “como deveria ser”. Esta conscientização e clareza da experiência facilita a desvinculação de pensamentos negativos, além de propiciar relaxamento e redução do nível de estresse.

Aplicação da técnica

É uma meditação que pode parecer simples, mas requer dedicação e persistência, visto que os ganhos vêm com a prática diária. Ela é definida por cinco principais parâmetros:

1. É autoaplicável;

2. A técnica é claramente definida;

3. É usada sempre alguma âncora (um tipo de foco), para evitar distrações;

4. Envolve o “relaxamento da lógica”, entende-se que a essência é a aceitação e não o julgamento;

5. Pode instalar-se um relaxamento psicofísico, com relaxamento muscular mensurável.

Existe mais de uma forma de se aplicar o mindfulness, o modo mais simples é a “Atenção Plena”, normalmente usada como âncora a respiração.

Antes de iniciar qualquer técnica de relaxamento é importante tomar alguns cuidados como:

  • Ter um ambiente controlado, sem barulho ou outras formas de distração;
  • Ter todas as necessidades fisiológicas atendidas, como por exemplo, não estar com sede ou sono;
  • Ter um local que ao sentar-se ou deitar-se permita pouco ou nenhum desconforto;
  • Ter em mente que a escolha da técnica deve estar alinhada com as preferencias pessoais de cada um. A ideia é que não seja nada aversivo praticar meditação
  • O apoio de um instrutor adequado ou um profissional da saúde é importante.

A técnica meditativa de “Atenção Plena” que utiliza a respiração como âncora, se aplica da seguinte forma:

1. Primeiro é escolhida uma posição confortável (sentado ou deitado). Inicia-se com duas respirações mais profundas para iniciar a concentração.

2. Gradualmente, começa a trazer a atenção para os momentos do corpo durante a respiração (que não necessita ser alterada).

3. A atenção deve ser mantida na respiração e na mente, no momento presente. Momento a momento, a cada respiração.

4. Caso haja surja alguma distração ou pensamento, deve-se gentilmente percebê-lo e deixar passar.

5. Antes de encerrar, a atenção deve ser novamente trazida às sensações de todo o corpo naquele momento, então se encerra lentamente.

Inicialmente a meditação pode ser feita em apenas um minuto, e depois se pode aumentar gradativamente o tempo. A ideia é que haja bastante concentração em pouco tempo, até para não tornar-se cansativo.

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Outros textos que podem lhe interessar