Compulsão Alimentar

Categoria dos serviços do psicólogo: distubios alimentares
Compulsão Alimentar

A compulsão alimentar é considerada como um distúrbio alimentar muito comum, saiba de que forma podemos tratá-la.

A compulsão alimentar não se trata daqueles transtornos novos que aparecem com nomes diferentes. Na verdade é um distúrbio bem comum e fácil de ser reconhecido. Como podemos identificá-lo e procurar um especialista? Leia o artigo e veja o que os psicólogos dizem a respeito da compulsão alimentar, quando causada por alguns elementos de ordem psicoemocional.

O que é Compulsão Alimentar?

A compulsão alimentar é um dos transtornos mais comuns da modernidade. Ela origina-se do resultado de conflitos psicoemocionais que levam a pessoa a ingerir uma grande quantidade de alimento em pouco tempo.

Basicamente, a compulsão alimentar é caracterizada também pela falta de autocontrole sobre a escolha daquilo que se come ou do momento em que se deve comer.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para questões relacionadas a distúrbios alimentares, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

>>> Leia também: Por que mudar os hábitos alimentares é tão difícil?

A pessoa que sofre com este transtorno, em estágios mais crônicos, trava uma verdadeira batalha com a sua vontade. As suas ações e desejos são determinados pelo distúrbio pela qual a pessoa se sujeita. Apesar de parecer recente a sua identificação, a compulsão alimentar foi catalogada ainda na década de 1950.

Principais causas da compulsão  alimentar

Cada pessoa terá uma forma individual de processar o seu distúrbio, devido a múltiplos causadores. Mesmo assim, podemos destacar a seguir as principais causas.

Baixa autoestima

Um dos principais causadores da compulsão alimentar que está relacionada à problemas de baixa autoestima. Se a pessoa já possui um peso considerado acima para o seu padrão, este fator  poderá ser agravador no seu caso.

A descompensação causada pela compulsão alimentar age diretamente na química do cérebro, onde surge alterações visíveis na produção de hormônios e na transmissão neural para todo o sistema nervoso.

Ansiedade

A ansiedade pode não apenas acelerar a vida, como também ser a causa das pessoas desenvolverem compulsão alimentar. Um dos sinais característicos é devido à ansiedade é que a pessoa se alimenta se forma extremamente rápida, bem como consome alimentos sem estar com fome.

Outros distúbios

Além dos fatores acima descritos, é comum que a compulsão alimentar seja desencadeada por diversos distúrbios psicológicos como medos e fobiassensação se tristeza é acompanhada de momentos de depressão. A ingestão compulsiva é uma forma de buscar saídas para a sua crise.

Quais são as consequências da compulsão alimentar

Ela pode ocorrer em qualquer idade e gênero. Diferentemente daqueles momentos onde costumamos ingerir muito alimento de uma vez só, como em festas ou comemorações, a compulsão alimentar está necessariamente ligada aos transtornos psicoemocionais.

Os principais riscos ligados ao distúrbio são:

  • obesidade;
  • diabetes e doenças cardiovasculares, entre elas a hipertensão e colesterol alto;
  • problemas digestivos como gastrite e até úlcera;
  • impotência;
  • problemas nos rins, como cálculos renais;
  • problemas respiratórios;
  • distúrbios hormonais;
  • e agravamento dos transtornos psicoemocionais como depressão e ansiedade.

Como tratar a compulsão alimentar

A maioria das pessoas que têm este transtorno indicam reincidência nos casos. Geralmente isso acontece quando elas se submetem a um tratamento baseado exclusivamente em remédios, que possuem grandes chances do transtorno voltar. Devido às suas causas apresentarem evidências de transtornos psicológicos, é significativo o acompanhamento de um profissional da psicologia para este tipo de transtorno.

Existem intervenções cirúrgicas para os casos graves de obesidade mórbida e de doenças digestivas, bem como as cirurgias estéticas. Tais procedimentos médicos são importantes para estes casos e que revelam um acréscimo no componente de restituição dos órgãos afetados.

Intervenções cirúrgicas, dietas, medicação… Tudo isso é tratamento temporário se não for tratada a causa da compulsão alimentar. É importante que o tratamento envolva vários profissionais da área médica além do psicólogo como o nutricionista, fisioterapeutas entre outros.

A prática de exercícios físicos ou àqueles relacionados a terapias holísticas como meditação, yoga e Tai Chi Chuan, também são ótimos auxiliares em tratamentos, já que desenvolvem o trabalho com a mente e o corpo. Portanto, a compulsão alimentar tem cura, desde que a causa seja tratada. Busque orientação do seu psicólogo.

Gostou deste texto? Então talvez você se interesse por esse também: Psicólogo e a cirurgia bariátrica.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.