A ansiedade, o psicólogo e os reflexos no cotidiano

Categoria dos serviços do psicólogo: ansiedade
 A ansiedade, o psicólogo e os reflexos no cotidiano

Todo mundo, em algum momento, já se sentiu ansioso. Seja pela aproximação do dia de uma grande viagem, seja pela entrega de um projeto no trabalho, pela formatura, pelo reencontro com alguém querido do passado, a sensação é familiar para todos que algum dia esperaram inquietos por algo que estava para acontecer. No entanto, algumas pessoas não se sentem ansiosas apenas esporadicamente. Quem sofre de ansiedade está constantemente com o pensamento no futuro, aguardando algo que ainda não chegou.

Mas estes não são os únicos momentos em que a ansiedade pode aparecer. Ela é muito comum e surge até mesmo em situações comuns do dia a dia, como durante a apresentação de um projeto no trabalho, antes de uma prova importante na faculdade, ao falar com pessoas com quem não temos intimidade ou que não conhecemos ou até mesmo quando não há nenhum motivo aparente para sentir ansiedade. De uma forma geral, é possível dizer que a ansiedade pode atrapalhar todos os aspectos da nossa vida: social, profissional, pessoal e espiritual. E quando isso acontece, a ajuda de um psicólogo pode ser fundamental.

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para questões de ansiedade, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

Como se sente uma pessoa ansiosa

Uma pessoa ansiosa geralmente tende a pensar excessivamente sobre um assunto ou situação futura, o que gera sentimentos de receio e preocupação que podem causar muitos desconfortos no dia a dia. Em uma era em que temos consciência da nossa vulnerabilidade, não é raro que o medo faça parte da rotina e intensifique os sintomas de ansiedade. Aliás, não raro a ansiedade e o medo andam muito próximos: o medo de que algo ruim possa ocorrer no futuro caso tudo não corra como planejado pode fazer com quem um quadro de ansiedade se torne problemático.

Além disso, o estresse, o receio de ser insuficiente, de se comparar muito com outras pessoas a sua volta e de perder o controle da situação são casos que aumentam a sensação de aflição de uma pessoa ansiosa, ou ainda, que desencadeiam a ansiedade em quem ainda não havia manifestado sintomas.

Quando a ansiedade se torna um problema

A ansiedade em níveis normais sempre foi essencial para a sobrevivência do ser humano, já que nos permite estar atentos ao que ocorre ao nosso redor e antecipar reações preventivas. No entanto, quando ela deixa de ser apenas uma preocupação controlada, pode desencadear problemas psicológicos mais graves e difíceis de serem tratados, como síndrome do pânico, estresse pós-traumático, TOC e fobias. É por isso que é fundamental buscar identificar quando a ansiedade começa a atrapalhar a vida e a tornar-se um problema que precisa ser tratado com a ajuda de um psicólogo.

Evidentemente, por se tratarem de questões psicológicas, pode ser difícil reconhecer o momento em que o caso merece atenção especial. Afinal, a intensidade do sentimento varia de pessoa para pessoa e é algo difícil de ser medido, especialmente por quem não é um profissional do ramo. No entanto, é preciso prestar atenção ao surgimento de limitações no dia a dia que possam ser provenientes da ansiedade e procurar perceber, muitas vezes com ajuda de amigos e familiares, quando o problema começa a sair do controle.

Como contornar a situação?

Uma das formas mais eficientes de tratar a ansiedade é por meio de terapia com psicólogo. Por ser um problema causado na mente do paciente, as terapias que lidam com o seu psicológico geralmente são bastante eficientes em descobrir as causas da ansiedade e em redirecionar, ao passo do paciente, o comportamento, o pensamento e as emoções para que se tornem mais controladas e saudáveis.

A terapia ajuda o paciente a se tornar mais consciente da diferença entre seus pensamentos e seus sentimentos e a quebrar o ciclo de pensamentos automáticos e condicionados que levam ao comportamento ansioso. Justamente por ser “cognitiva” e “comportamental”, a terapia ajuda quem sofre de ansiedade a remodelar seus pensamentos e ações para que aprenda a levar uma vida mais tranquila e saudável.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto(Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.