Autoestima e bem-estar

Categoria dos serviços do psicólogo: crescimento pessoal, crescimento profissional
Autoestima e bem-estar

Como estimular a autoestima e o bem-estar

Você já parou para pensar o quanto a sua autoestima afeta a sua rotina e em como você impacta a vida de quem convive com você? Quando alguém se sente bem consigo mesmo, isso reflete em suas relações com outras pessoas, no seu bem-estar, na sua visão do dia a dia e traz benefícios para sua saúde mental.

No entanto, quando a autoestima está baixa, a sensação de bem-estar cai, os pensamentos se concentram nos pontos considerados “negativos” de si mesmo, e sentir-se inferior e insuficiente é muito comum. Este tipo de ideia, quando persistente e intensa, pode causar problemas de depressão, gerar fobias e acabar com as alegrias e o bem-estar na rotina. Porém, existem meios para estimular o bem-estar e a autoestima que podem ser facilmente incorporados no dia a dia. Veja algumas formas de sentir-se melhor consigo mesmo:

Se você estiver procurando psicólogo em São Paulo, para questões relacionadas a crescimento pessoal ou profissional, então conheça os psicólogos que prestam serviços de psicologia no nosso consultório, veja o valor das sessões e agende sua consulta aqui mesmo pelo site.

1 – Pratique exercícios físicos

Todos sabem que praticar exercícios físicos com regularidade traz inúmeros benefícios para o nosso físico. Mas nem todo mundo entende que atividades físicas também são essenciais para a saúde e o equilíbrio da mente. Quando o corpo se movimenta em uma prática física saudável, libera o hormônio chamado endorfina, conhecido como “o hormônio do prazer”. Essa substância é capaz de diminuir dores, melhorar o humor e a concentração, combater a ansiedade, regular o sono e muito mais. Além disso, praticar exercícios é fundamental para perder peso, algo que influencia diretamente na aparência e, consequentemente, na autoestima.

2 – Cuide da sua aparência

Às vezes, dar uma repaginada em si mesmo é suficiente para que a autoestima suba em alguns pontos. Isso não significa mudar completamente a aparência ou o guarda-roupa. Experimente cortar o cabelo, cuidar da higiene, das unhas e vestir uma roupa de que gosta e que faça com que se sinta bem consigo mesmo. São pequenas ações do dia a dia que podem ter um impacto positivo em como você vê a si mesmo e, como consequência, como os outros o veem.

3 – Cultive o hábito da leitura

É comprovado que manter hábitos regulares de leitura ajuda a estimular a mente, a reduzir o estresse, a melhorar a memória e a concentração e a deixar a rotina mais tranquila. Mas além destes benefícios, é preciso levar em conta que ler é adquirir conhecimento que pode ser útil em vários momentos da vida, seja para fins de interações sociais, seja por questões profissionais. A leitura ainda é uma forma eficiente de aumentar o vocabulário e de desenvolver um pensamento mais analítico e crítico sobre o mundo.

4 – Estimule um pensamento positivo

Talvez você pense que esta é uma atividade impossível, mas esse é justamente o primeiro pensamento que precisa ser suprimido. Acredite que é possível treinar sua mente para que cale todos os pensamentos negativos e os substitua por ideias positivas, que vão ajudá-lo a ver tudo de uma forma mais leve. Pratique o exercício de substituição de pensamentos negativos por ideias positivas diariamente, até que o hábito seja incorporado. Assim, logo você vai passar a acreditar mais em si mesmo, sem ser desestimulado por possíveis obstáculos.

5 – Busque autoconhecimento

Às vezes, buscar o autoconhecimento não é tão simples, e um psicólogo pode ter um papel fundamental nessa hora!

Não é possível ter uma boa autoestima e viver uma vida tranquila e com bem-estar sem conhecer a si mesmo. Você precisa saber do que gosta e do que não gosta, seus pontos fracos e pontos fortes, suas conquistas e derrotas, seus instintos e reações. Autoconhecimento gera autoestima. Um psicólogo também poderá ajudá-lo com essa questão, fazendo-o encontrar, principalmente, os seus limites. O papel do psicólogo em casos de pacientes com baixa autoestima é de trabalhar as qualidades e aquilo que o paciente tem de melhor, e fazê-lo enxergar que tem, sim, um papel importante em sua própria vida e na vida dos que o cercam.

Portanto, trabalhar na sua autoestima e no seu bem-estar traz benefícios que vão muito além das questões individuais. Como você se posiciona frente ao mundo reflete em como os outros o veem, impactando assim no ambiente de trabalho, nos ciclos de amizades e na vida amorosa.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.