Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Terapia de Casal e Relacionamentos

Psicólogos para Terapia de Casal

Muitas pessoas relutam em admitir quando têm problemas, sejam eles profissionais, familiares, questões internas ou conjugais.

Esse comportamento de negar um problema acaba causando impactos negativos, principalmente quando os conflitos envolvem uma segunda pessoa.

Isso acontece porque um relacionamento a dois é muito complexo: saber qual é a sua parcela de contribuição para o surgimento e desenvolvimento desses conflitos, entender que nem tudo acontece da maneira que você planeja, respeitar o espaço e as limitações do outro e aprender a equilibrar as ações, sabendo a hora certa de ceder e de se valorizar são alguns dos muitos detalhes que fazem a diferença na construção de uma relação conjugal.

Ao perceber que você e o seu cônjuge não estão mais conseguindo dominar a relação e que a vida de casal se tornou sinônimo de brigas, discussões e desentendimentos, talvez seja o caso de buscar a Terapia de Casal.

Sumário

1. O que é Terapia de Casal

A Terapia de Casal é uma das modalidades clínicas que mais tem crescido nos últimos tempos.

O objetivo da Terapia de Casal é contribuir com a resolução dos conflitos, abrindo espaço para uma comunicação mais reflexiva e assertiva, buscando um alinhamento entre as expectativas do casal.

Nesse contexto, o psicólogo atua de maneira a identificar padrões previamente estabelecidos e busca ampliar a visão do casal propiciando o diálogo, que muitas vezes não ocorre no cotidiano dos parceiros – e a falta de diálogo é, inclusive, uma das principais queixas entre os casais.

O aconselhamento conjugal ou a “Terapia de Casal”, como também é conhecida, geralmente é vista como uma das medidas “extremas” que os parceiros buscam para tentar reparar os danos de seu relacionamento, quando o mesmo já se encontra em um estado crítico.

Valor Consulta Psicóloga Clarissa






Não quero informar nome ou e-mail





E é importante ressaltarmos que essa é uma ideia equivocada, pois a Terapia de Casal não serve somente para consertar problemas, mas também contribui para evitar que pequenas fagulhas se transformem em um incêndio dentro da relação.

Em outras palavras, a Terapia de Casal pode proporcionar resultados inestimáveis para o relacionamento e não deve ser procurada somente quando as coisas vão de mal a pior.

Com a ajuda de psicólogo especializado, é possível superar traumas, curar mágoas e promover o bem-estar de ambos, para que a relação seja saudável e feliz.

2. Principais motivos que levam casais a buscarem a Terapia de Casal

Infelizmente não é novidade que o número de divórcios tem aumentado com o passar dos anos. Índices provam esse aumento. A falta de paciência, que leva à falta de diálogo, está entre os grandes motivadores de brigas e discussões.

Um agente importante para que esses problemas primários ocorram é a acomodação.

Quando o casal ou uma das partes pensa que é normal trocarem ofensas, se desrespeitarem ou não terem diálogo, acabam por se acomodar e vivem normalmente dentro dessa “união”.

Uma relação saudável se constrói pelo respeito às diferenças do outro. E quando isso não existe mais, dificilmente terão uma relação resistente ao menor dos problemas.

Assim como falamos anteriormente, muitas podem ser as razões que levam um casal a buscar pelo auxílio de um profissional. Cada casal, em sua intimidade, sabe de suas questões, inseguranças, dúvidas e conflitos internos. E muitas vezes os casais não se sentem à vontade de abordar, entre si, essas questões.

Por isso, a intermediação de um profissional com técnicas específicas ajuda o casal a colocar para fora aquilo que os aflige.

Alguns dos principais motivos que levam casais a buscarem pela Terapia de Casal são:

  • Equilibrar as diferenças individuais dentro do relacionamento;
  • Melhorar a comunicação;
  • Aprender a dividir as obrigações dentro da relação;
  • Identificar e traçar metas e objetivos em comum;
  • Acabar com a competição e com as inseguranças;
  • Desenvolver estratégias para fortalecer a união e manter o compromisso;
  • Melhorar a vida sexual;
  • Superar uma traição;
  • Melhorar a qualidade geral do relacionamento, obtendo satisfação matrimonial;
  • Entender as necessidades do outro.

Cada vez mais nos consultórios de psicologia a procura pela Terapia de Casal tem aumentado.

Além de ser uma das áreas mais estudadas e desenvolvidas nos últimos tempos, a procura por melhorias e mudanças nas relações entre as pessoas também tem ganhado grande importância.

Do mesmo modo que na Terapia Individual considera-se a história de vida do paciente, na Terapia de Casal deve-se olhar para a história do relacionamento, lembrando que cada casal é único, para que sejam planejadas intervenções compatíveis com o que acontece com os parceiros e que faça sentido para os seus estilos de vida.

A Terapia de Casal se faz necessária principalmente porque estamos falando de duas vidas que vem de históricos de vida diferentes e estavam acostumadas a viver ao seu modo, mas que passam a viver juntas.

Com a decisão de dividir o mesmo teto e acordar todos os dias ao lado da mesma pessoa, ocorrem mudanças no estilo de vida que nem sempre estamos preparados a lidar.

As queixas são diversas, que podem ser desde a escolha por ter ou não filhos, o modo como um responde o outro, ou, até mesmo, o quanto coisas externas estão interferindo na relação do casal, como atividades de lazer, círculo de amizades, uso da tecnologia, dentre outras.

Ao buscar a ajuda de um especialista, entende-se que o casal já deu um grande passo em busca de melhorar o relacionamento, o que é fundamental para o início do processo terapêutico e deve ser reconhecido pelo terapeuta.

3. O que fazer quando o cônjuge não tem interesse em fazer Terapia de Casal

Embora seja uma ótima alternativa para relacionamentos em crise, a Terapia de Casal ainda é vista como um tabu, com bastante relutância por algumas pessoas.

Muitas vezes, o cônjuge sugere esta alternativa como uma maneira de corrigir os desvios na relação, mas é podado por um parceiro ou uma parceira resistente.

O que acontece na maioria das vezes é que a decisão por procurar ajuda e começar a terapia geram ainda mais brigas.

Sempre haverá alguma das partes que não assume a necessidade da terapia, sempre joga a “batata quente” para o outro. E o mesmo, tem que agarrar a batata com todas as forças afim de que ela não caia.

Como Escolher seu Psicólogo

Nesse guia completo você vai conhecer tudo sobre psicólogos e psicoterapia. A escolha do psicólogo certo para você envolve diversos fatores. Descubra aqui.

COMO ESCOLHER O SEU PSICÓLOGO

Muitas vezes é difícil que ambos parceiros se disponham às sessões de Terapia de Casal. É muito comum, no entanto, as pessoas procurarem a Terapia Individual com foco em relacionamento.

Nesses casos, uma das partes vai receber ajuda do psicólogo para aprender lidar com as situações difíceis na vida a dois. A mudança de comportamento mesmo com a terapia individual é muito evidente e eficiente.

Ainda há um certo preconceito por parte de quem não frequenta a terapia, pensamentos de “como vou abrir minha vida diante de uma pessoa que não conheço” ou “vou deixar alguém que não conheço interferir nas minhas relações ou no meu modo de portar”, mas logo esses pensamentos são extraídos ao sentir-se leve ao falar do que sente e o efeito positivo que a terapia causa.

É bastante frequente que um membro do casal queira fazer Terapia de Casal porque entende que irá ajudar no fortalecimento da relação e o outro não. As argumentações mais comuns de quem não quer participar da terapia são:

  • Não acredita que a terapia pode ajudar;
  • Acredita que somente o outro é responsável pelo problema do relacionamento;
  • Sente-se desconfortável em dividir assuntos íntimos com um terceiro;
  • Não acredita mais na relação e por isso entende que não há motivos para fazer terapia.

Evidentemente que não há como forçar alguém a ir para a terapia. Mas, o que fazer então?

Uma das coisas que podem ajudar nestes casos é que a outra pessoa esteja aberta a ouvir e entender mais sobre o assunto, antes de iniciar o tratamento propriamente. Ler sobre profissionais qualificados que atendem casais, entender os benefícios que a terapia trará para a relação e, mais importante: entender como isso é importante para quem está querendo iniciar a terapia.

Se você está buscando melhorar seu relacionamento conjugal e seu parceiro ou parceira não quer participar da Terapia de Casal, é bastante importante saber que é possível você começar a ajudar a sua relação através da Terapia Individual.

Quando um dos parceiros promove mudanças, a dinâmica do relacionamento automaticamente muda e o parceiro ou parceira acaba reagindo de alguma maneira a essa mudança.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Mesmo que você queira fazer terapia e o seu cônjuge não queira, fazer Terapia Individual poderá mudar a situação de seu relacionamento em pouco tempo – até mesmo despertando no outro a vontade de iniciar a terapia também.

O indivíduo que faz a psicoterapia estará mais receptível a ouvir novos pontos de vista a respeito do seu relacionamento (se estiver indo à terapia por iniciativa própria), podendo também ver, com outros olhos e de outro ângulo, o que realmente está acontecendo em seu relacionamento, quais pontos precisam ser mudados e o que fazer para que essa mudança aconteça.

É fundamental que a pessoa que não tem interesse em fazer terapia não se sinta obrigada ou forçada. Isso só faz com quem a terapia seja vista ainda mais com maus olhos, gerando desconforto e estresse, dificultando ainda mais a flexibilização dessa pessoa de experimentar os benefícios de um processo terapêutico em algum momento.

4. Como lidar com os conflitos dentro de uma relação

Você já deve ter ouvido falar que “o amor é como uma flor”. Em todos os tipos de relacionamento, esse ditado não podia ser mais verdadeiro.

Como uma flor delicada, que deve ser cultivada com paciência, carinho, tolerância e sabedoria, o amor também é assim: isso ajuda a lidar com as crises e evitar discussões e mal-entendidos.

Algumas pessoas são instáveis ou difíceis de lidar. E, muitas vezes, pequenas coisas podem significar o fim de um grande amor. Nestes casos, podem haver consequências até mesmo como ansiedade ou depressão.

Isso acontece porque todo mundo quer estar certo, ninguém quer ceder e, por essa teimosia desnecessária de ambas as partes, muitos casamentos já acabaram.

Não permita que isso aconteça com vocês. Pense bem no motivo da discussão e se pergunte: isso é realmente importante?

Claro que, se o assunto for realmente sério e grave, de maneira alguma você deve ir contra suas convicções ou valores pessoais; porém, se o motivo for coisa de pouca importância, será que não é melhor concordar, em nome da paz e felicidade doméstica? Reflita!

4.1 Quando você não confia mais no seu cônjuge

Confiança é tudo em um relacionamento. Como você poderá entregar seu coração, suas inseguranças e planos de vida, a alguém em quem você não confia?

É torturante e desgastante viver com desconfianças, com medo e com ciúmes. Todos sofrem tremendamente com isso, e esse estado de acumulo de sentimentos negativos não costuma acabar bem.

Para a desconfiança há um único remédio efetivo: o diálogo. Sente-se com seu parceiro ou sua parceira e converse. Exponha seus sentimentos e diga os motivos pelos quais você se sente receoso em confiar. Seu parceiro ou parceira tem direito de saber o que você pensa sobre a relação, e também mostrar o seu ponto de vista a respeito.

Porém, se realmente houve, por exemplo, uma traição, ou algo que justifique a quebra da confiança, é o momento de se perguntar se vale a pena continuar com o relacionamento ou se existem chances de isso se transformar em algo bom – geralmente, nesse momento os casais buscam o auxílio de um psicólogo.

Muitas pessoas gostam de espionar, ler e-mails, rastrear o (a) parceiro (a) nas redes sociais, contratar detetives, etc.

Em longo prazo, no entanto, esse tipo de comportamento simplesmente mata qualquer relação. Afinal, ninguém gosta de se sentir vigiado o tempo todo, por mais que não tenha nada a esconder.

4.2 Quando seu cônjuge não confia mais em você

Agora, o outro lado da moeda: seu cônjuge não confia mais em você. Demonstra ciúmes excessivos, monitora tudo que você faz, acusa você de coisas que você não fez e desconfia até da sua sombra. Viver assim é impossível, sufocante, asfixiante. Como proceder?

Os Psicólogos

Conheça a equipe de psicólogos do nosso consultório. Confira o perfil e área de atuação de cada profissional.

A EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Como dito no tópico anterior, o diálogo sincero é sempre a melhor saída. Fale sobre como você se sente, mostre que não há motivos para a relação seguir por esse caminho. Em certos casos, a desconfiança nasce de traumas passados com relacionamentos anteriores, e a pessoa tem medo de que aquela situação se repita novamente.

Nesse caso, é necessário ter paciência, e talvez seja necessária a ajuda de um psicólogo de confiança para auxiliar na superação desse temor.

Muitas vezes, o casal se ama de verdade, não pretende se separar, mas a relação se tornou insustentável – o que fazer?

Nessas horas, é importante reconhecer suas limitações e que, nem sempre, somos capazes de contornar tudo sozinhos – nesse momento é a hora de procurar ajuda profissional.

Se um dos parceiros se sentir relutante, vá sozinho. A terapia ajudará você a enfrentar os problemas com mais serenidade e a ter visões diferentes das situações, com empatia e compreensão.

5. Até que ponto uma briga de casal é normal

Desentendimentos e conflitos fazem parte de um relacionamento. No entanto, há momentos em que as brigas passam dos limites e deixam de ser uma etapa saudável de discussão.

O que acontece é que, com o estresse do dia-a-dia, problemas externos e pressão profissional, muitas vezes as pessoas trazem esses problemas para dentro da vida do casal, descontando suas angústias e frustrações no parceiro.

São poucas as situações em que vale a pena discutir. É preciso entender que os conflitos e diferenças de opinião são normais e nem sempre é possível mudar o modo da outra pessoa enxergar a vida e o mundo.

O respeito é fundamental nessas horas para que o casal “concorde em discordar” e deixe de brigar por coisas que não vão mudar.

Quando as discussões não levam a lugar nenhum, é sinal de que o casal não está mais conseguindo se comunicar, se colocar um no lugar do outro e tentar entender o ponto de vista alheio.

Esse é o limite: chegou a hora de tomar uma atitude, procurar a ajuda de um psicólogo e tentar recuperar a harmonia e entendimento do relacionamento, por meio da psicoterapia.

O psicólogo pode ajudar atendendo apenas um dos parceiros e avaliando as suas questões e problemas pessoais ou pode, em terapia de casal, atender os dois ao mesmo tempo.

É bem interessante contar com a ajuda de um psicólogo, pois ele pode oferecer o autoconhecimento, esclarecimento e incentivo que estava faltando para a melhora do relacionamento.

5.1 Confira 5 sinais de que as brigas passaram do limite

Sinal 1. Vocês passam mais dias com brigas do que sem:

Se você anotasse na sua agenda, ao final de cada dia, se houve uma briga naquele dia, no final do mês teriam mais dias com ou sem brigas?

Se a resposta for com brigas, é sinal de que algo não vai bem. Os dias felizes e de cumplicidade precisam ser maioria, afinal, ninguém quer passar a vida discutindo, brigando, guardando mágoas e rancores.

Sinal 2. Troca de ofensas:

Se um casal está de junto, é sinal de que se ama e se respeita. Ou, pelo menos, é assim que deveria ser.

Se durante as discussões, os parceiros trocam ofensas, xingamentos e palavrões, o respeito já não faz mais parte da relação.

Não se permitam que esse tipo de tratamento se torne comum no relacionamento, pois isso não é normal e nem saudável para ambos, e pode destruir a autoestima e o romantismo.

Sinal 3. Não existe mais um foco:

Vocês começam discutindo pela gaveta da cozinha que está bagunçada e, quando reparam, já estão falando sobre a sogra ou sobre dilemas do passado.

Quando isso acontece é sinal de que o primeiro motivo da briga nem era tão válido assim, o que vocês queriam, na verdade, era um motivo para poder desabafar outras mágoas que estão guardadas.

Sinal 4. Brigas repetidas:

Se vocês já discutiram o assunto uma vez e não conseguiram entrar em um acordo, voltar mais uma, duas ou três vezes para aquele mesmo tema não vai ser a solução.

Quando as brigas começam a se repetir e são sempre motivadas pelas mesmas questões, é um grande alerta de que o casal não está conseguindo ser mais flexível, ter tolerância e vontade de melhorar a qualidade do relacionamento.

Sinal 5. Agressões:

Infelizmente, há situações em que as brigas de casais envolvem agressões físicas. Isso é inadmissível e não pode ser tolerado em hipótese alguma. Se isso acontece com você, afaste-se, procure ajuda e denuncie a situação.

6. Como uma crise mal resolvida pode afetar profundamente uma relação

Relacionamentos são feitos de altos e baixos. Brigas, discussões e estresses fazem parte da vida a dois, independentemente da fase em que o casal se encontra.

É normal que, no dia-a-dia, nos deparemos com questões que nos incomodam e tirem a calma.

Às vezes, sob pressão, acabamos deixando que os problemas acumulados de diversas instâncias da vida afetem o relacionamento.

No entanto, quando as discussões mais intensas se tornam frequentes e não se consegue encontrar soluções para as adversidades, é preciso parar e refletir sobre mudanças que podem ser feitas e atitudes tomadas para reverter o quadro e evitar que o relacionamento vá por água abaixo.

As decepções e frustrações de um relacionamento em crise podem afetar de forma intensa o modo de viver de uma pessoa.

O amor é um sentimento que envolve carinho, admiração, vontade de satisfazer e de estar perto.

Os amores podem ser duradouros e permanecerem por muitos anos, mas há também situações em que o sentimento se transforma, por diversos motivos, e não é mais suficiente para a manutenção de um relacionamento.

Vale ressaltar que isso não significa que o sentimento era falso.

Claro que cada casal possui suas características próprias e, por isso, a crise no relacionamento pode aparecer de maneiras bem distintas.

Alguns sinais indicam quando o relacionamento não vai bem e o amor já não é mais o mesmo.

Os sinais mais comuns de uma crise num relacionamento, são:

  • Desinteresse:

Já não há a mesma vontade de estar perto, ter a companhia constante um do outro e criar programas para se fazer em casal, como jantares e viagens.

  • Brigas bobas:

Tudo se torna motivo de discussão e o casal nunca consegue concordar em nada.

  • Traição:

Um dos parceiros se sente atraído por outra pessoa e deixa-se levar, acontecendo a traição.

  • Desrespeito:

Durante as brigas, xingamentos e trocas de ofensas são frequentes.

  • Falta de sexo:

O casal não tem mais ímpeto para as relações sexuais.

Os sinais citados acima indicam crises muito sérias em um relacionamento, ou podem ser causados pela correria do dia a dia, a pressão no ambiente de trabalho e o estresse.

Outro fator que acaba causando problemas no relacionamento é a chegada dos filhos. Mesmo sendo um momento de muita alegria para o casal, a vida muda completamente e as suas rotinas precisam ser readaptadas.

Com isso, é bem comum que esposas e maridos se sintam perdidos e não saibam mais dizer se o amor ainda existe, ou se eles permanecem juntos por conta de um amor maior, que é o filho.

Se o casal está em dúvida, a melhor ideia é procurar a ajuda de um psicólogo. Em Terapia Individual ou em Terapia de Casal, é possível compreender a origem dos problemas, das insatisfações e das seguranças.

Algumas dicas valiosas também podem contribuir para que o casal possa entender o motivo da crise na relação, são elas:

  • Admitam que existe um problema e conversem sobre ele:

Uma crise no casamento é um problema que precisa ser assumido e trabalhado com a consciência e o consenso de ambas as partes. De nada adianta apenas um dos envolvidos se preocupar em resolver as questões sem que o outro esteja disposto a dialogar.

  • Não discutam de cabeça quente:

E quando se fala em diálogo, também é importante que ele ocorra de forma civilizada, pacífica, com calma e sem a interferência de terceiros.

Lembre-se de que os problemas de vocês são só seus e que amigos e familiares que – mesmo que de boa-fé queiram ajudar, podem acabar piorando o problema, pois não são pessoas neutras dentro da relação.

  • Deixem os filhos fora disso:

Quando o casal possui filhos, também é fundamental que eles não sejam envolvidos nos problemas.

Poupe-os dos detalhes da relação de vocês e evite que tenham que carregar consigo um fardo que é dos pais.

  • Procurem a ajuda de um psicólogo especialista em casais:

Se, por um lado, quem faz parte da vida do casal pode atrapalhar a resolução das desavenças, quem está de fora e possui experiência em resolução de conflitos de casamento pode trazer à luz pontos essenciais a respeito do relacionamento e ajudar a ver cada questão de uma nova perspectiva.

É esse o papel do psicólogo que trabalha com terapia para casais: mostra que relacionamentos passam por altos e baixos e ajuda o casal a entender que há formas de fazer com que a crise se resolva sem que danos permanentes prejudiquem a relação.

Assim, com a ajuda do psicólogo, o casal pode concluir se quer superar suas divergências e seguir em frente com o relacionamento ou, em alguns casos, se é melhor a separação.

7. Terapia de Casal para quem namora

Duas vidas se encontram, se apaixonam e descobrem gostos em comum.

Mas, mesmo com toda a paixão que existe no namoro, não podemos esquecer que esse o movimento é de encontro de dois seres únicos, com seus medos, anseios, valores e sonhos.

No desenrolar do namoro podem surgir situações que desestabilizam a relação e colocam o casal em cheque.

O objetivo da terapia nesta fase do relacionamento é superar esses conflitos e devolver a leveza que deve existir no período de namoro.

Pode até soar estranho para algumas pessoas, mas existe, sim, Terapia de Casal para quem namora – e esse tipo de terapia tem sido cada vez mais procurada.

O que ocorre é que temos a imagem de que o namoro é uma fase tranquila, sem conflitos e com muito romantismo. Mas a realidade, muitas vezes, não corresponde a esta imagem.

Por ser uma fase em que duas pessoas estão se conhecendo, podem suceder muitas dúvidas, desconfianças, dificuldade de diálogo e até brigas, principalmente quando esse casal possui planos de dar continuidade a essa relação para outros níveis, como um noivado e/ou casamento.

Ciúmes excessivos, discussões frequentes, cobranças, planos e interesses divergentes, intolerância, são algumas das causas de problemas de relacionamento entre namorados e que podem levá-los a buscar a terapia.

Nestes casos, o psicólogo é o aliado ideal para ajudar o casal a reencontrar (ou fortalecer) a harmonia ou, se o relacionamento estiver condenado, a entender que o rompimento é a melhor solução.

Certamente, antes de recorrer à terapia, o casal já fez várias tentativas para que o relacionamento volte a ter a harmonia que esta fase requer, porém sem sucesso.

Muitas vezes, a visão da realidade está prejudicada e cada um interpreta os problemas à sua maneira, não conseguindo enxergar através do outro, o que dificulta a compreensão da outra parte causando mágoas e ressentimentos.

A Terapia de Casal tem importância significativa no namoro. Afinal, se o casal procura por este recurso é porque deseja realmente ficar junto, entende que existe amor e quer fortalecer este relacionamento.

Quando não tratados os conflitos do período de namoro e a relação se encaminha para o casamento, os problemas podem se agravar ainda mais, fazendo com que o matrimônio já comece condenado a turbulências.

O papel do psicólogo na Terapia de Casal para namorados (as) é o de restaurar primeiramente a comunicação entre o casal, através do estímulo ao diálogo franco e sincero, em que cada um deverá expor o que o está incomodando e que tem mantido guardado.

É fundamental o entendimento por parte do casal, de que só existe harmonia no relacionamento se houver diálogo verdadeiro, nada deve ficar oculto.

Após restaurar a comunicação e tendo sido expostos os problemas de ambas as partes, o psicólogo ajuda a traçar estratégias para solucionar os conflitos existentes. E, também, orientar o casal na maneira de agir para que a relação estremecida possa voltar a ter forças.

O casal precisa realmente estar disposto a retomar o relacionamento, pois algumas situações propostas pela terapia poderão exigir algum esforço e renúncia. Sendo assim, a terapia orienta e apresenta soluções para que, em conjunto, chegue-se a um relacionamento melhor.

Porém, a decisão de manter e melhorar o relacionamento deve partir das duas pessoas envolvidas. Ambos precisam ter esse desejo e convicção.

8. Como acontece, na prática, a Terapia de Casal e o papel do Psicólogo

A Terapia Conjugal ou de Casal consiste em um tratamento em que há a participação de ambos, com o intuito de melhorar a interação do casal ou vencer dificuldades específicas que estejam vivendo.

Seja em um casamento, namoro ou noivado, a Terapia de Casal pode oferecer auxílio para colocar o relacionamento de volta nos trilhos.

Com o auxílio do psicólogo especialista em casais, os envolvidos na relação devem identificar as causas de seus conflitos e determinar quais mudanças devem acontecer para que ambos fiquem satisfeitos dentro da relação, seja na forma de se relacionarem, seja em suas mudanças pessoais.

A terapia não tem uma solução “mágica” para resolver todos os problemas entre o casal, mas pode mostrar o caminho para que os parceiros se entendam melhor, identifiquem as suas dificuldades e saibam como trabalhá-las adequadamente, sempre preservando o bem-estar individual de cada um.

Vale ressaltar, ainda, que o psicólogo utiliza uma série de abordagens, como recursos educacionais, componentes de mediação e técnicas de Terapia Individual – dependendo de quais dificuldades forem enfrentadas –, para que o casal aprenda a se comunicar, a enxergar o ponto de vista do outro e a interagir com respeito.

Os benefícios que a Terapia de Casal pode proporcionar são inúmeros e fundamentais para a relação, podendo variar de acordo com o perfil dos envolvidos. De qualquer forma, dentre os principais benefícios podemos citar:

  • Mudanças na perspectiva do relacionamento;
  • Recondicionamento dos comportamentos disfuncionais;
  • Aproximação o casal, estimulando os envolvidos a expressar seus sentimentos sem receio de repressão;
  • Melhora na intimidade entre o casal, promovendo resultados positivos até mesmo na hora de manifestar prazer sexual;
  • Ressalta os pontos positivos da relação, como forma de auxiliar o casal a persistir e resistir perante crises e problemas.

Lembrando que os resultados dependem do nível de envolvimento de ambos os parceiros e o compromisso com todo o processo terapêutico.

Nas consultas, tudo o que envolve o casal, desde as famílias de origem e o ambiente em que costuma viver, será analisado.

O papel do terapeuta diante do casal é de ajudá-los a entender quando e como as “dificuldades” começaram e como estão afetando a vida a dois, para, então, capacitá-lo a analisar as situações e a encontrar formas de administrá-las.

Cabe ressaltar que na Terapia de Casal o foco está nas duas pessoas que, juntas, estão tentando melhorar ou mudar algo na relação, ainda que a individualidade dos parceiros também seja levada em consideração.

A partir daí, espera-se que o trabalho terapêutico apresente resultados positivos ao casal, como por exemplo, a capacidade de lidar com as diferenças e conseguir administrá-las a favor da relação.

Para alcançar todos esses objetivos é preciso encontrar as raízes dos problemas e buscar soluções de maneira assertiva, além de resolver as questões associadas à falta de afetividade e dependência emocional.

Além disso, é preciso equilibrar as diferenças individuais, compreender as necessidades um do outro e, é claro, buscar resoluções efetivas.

Portanto, na Terapia de Casal o psicólogo trabalha como uma espécie de mediador.

Ele não vai defender nenhuma das partes, mas vai procurar entender cada um enquanto indivíduo e o casal como um todo. Esse profissional ajuda a identificar os desvios que precisam ser corrigidos e as situações que devem ser expostas e discutidas.

É necessário que o casal sinta empatia pelo psicólogo para que haja envolvimento no tratamento. Se apenas um dos dois se sentir à vontade, o processo não fluirá como deve ser.

Caso o psicólogo perceba que existe problema de empatia ou confiança de uma das partes envolvidas, pode sugerir algumas sessões individuais para verificar o que está ocorrendo.

A privacidade sempre é mantida e respeitada na Terapia de Casal, ou seja, o que é falado em consultório individualmente não é comentado pelo psicólogo, a não ser que seja autorizado.

Se mesmo com todas as explicações e tentativas de convencimento, você não tiver sucesso, procure sozinho por um psicólogo para que ele possa verificar se está no caminho certo e sugerir ações mais assertivas.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Como manter a vida a dois quando chegam os filhos

    Como manter a vida a dois quando chegam os filhos com consultório do psicólogo em São Paulo
    Manter a vida a dois quando chegam os filhos costuma ser um desafio para o casal. As prioridades, preocupações, rotina e disponibilidade não são mais as mesmas.
  • 7 maneiras de demonstrar amor e fortalecer o relacionamento

    Psicólogos ensinam a demonstrar amor e fortalecer o relacionamento
    Não existe relacionamento perfeito. No entanto, há relacionamentos saudáveis e frágeis. Os psicólogos dizem que é importante perceber quando a relação não vai bem, principalmente na forma de observar as maneiras de demonstrar amor, afim de...
  • Como manter o seu relacionamento saudável

    Como manter o seu relacionamento saudável
    Como manter o seu relacionamento saudável ? Manter um relacionamento conjugal é um exercício diário e nem sempre é fácil. Prova disso são os inúmeros casamentos que terminam em divórcio.

9. Psicólogos que realizam Terapia de Casal

Marcela Paes

CRP 91490/06

Psicóloga Marcela

Atua com Terapia Cognitivo Comportamental, certificada em Thetahealing pelo ThetaHealing Institute, focada em casos de ansiedade, relacionamentos, casais, carreira e profissão…

Rosana Ferreira

CRP 111626/06

Psicóloga Rosana

Pós graduanda em Neuropsicologia, atua com Terapia Cognitivo-Comportamental, pós graduada em Gestão Empresarial, vasta experiência em liderança e gestão de pessooas…

Cristiane Zanoelo

CRP 78564/06

Psicóloga Cristiane

Pós graduada em Neurociência e Psicologia Aplicada pela Universidade Mackenzie. Possui certificação em Coach e Análise Comportamental pela SLAC…

Andrea Ferreira

CRP 113065/06

Psicóloga Andrea

A psicóloga Andréa Ferreira é pós-graduanda em Terapia Cognitivo-Comportamental pelo Instituto de Terapia Cognitiva (ITC) de São Paulo e possui formação…

Paula Slemian

CRP 68061/06

Psicóloga Paula

A Psicóloga Paula Slemian é pós graduada pela UNIB em Desenvolvimento Humano e Qualidade de Vida e atua com Terapia…

Priscilla Mendes

CRP 93223/06

Psicóloga Priscilla

Pós-graduada em Neuropsicologia pela faculdade FMU, realizou curso de extensão em Análise do Comportamento pelo Núcleo de Estudos Paradigma e é…

João Eduardo

CRP 131536/06

Psicólogo João

Especialista em Neuropsicologia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), tem MBA Executivo em Gestão de Recursos Humanos pela ESAMC Uberlândia…

Katia Brito

CRP 112126/06

Psicóloga Katia

Especialista na abordagem psicanalítica e conta com diversos cursos de extensão para a contribuição do desenvolvimento humano. Possui experiência em…

Ajuda para Escolher seu Psicólogo?

Se você quiser algumas dicas para escolher o psicólogo mais apropriado para o seu caso, confira esse guia completo

COMO ESCOLHER SEU PSICÓLOGO

Confira abaixo dezenas de artigos relacionados Terapia de Casal e Relacionamento Conjugal

10 sinais de que o relacionamento não vai bem

10 sinais de que o relacionamento não vai bem
Entrar em um relacionamento costuma ser mais difícil do que sair. Confira 10 sinais de que o relacionamento não vai bem

É discussão ou abuso verbal?

É discussão ou abuso verbal?
Entenda a diferença entre abuso verbal e discussão, pela perspectiva de um psicólogo. Saiba como identificar cada uma e como proceder.

7 maneiras de demonstrar amor e fortalecer o relacionamento

Psicólogos ensinam a demonstrar amor e fortalecer o relacionamento
Não existe relacionamento perfeito. No entanto, há relacionamentos saudáveis e frágeis. Os psicólogos dizem que é importante perceber quando a relação não vai bem, principalmente na forma de observar as maneiras de demonstrar amor, afim de...

Insegurança no Relacionamento

Insegurança no Relacionamento
Todos nós nos sentimos inseguros por diversas situações, podendo ser no relacionamento, na profissão escolhida, em um emprego novo. Veja como se ajudar.

Amor Patológico

Amor Patológico
(11) 3213-7287.Zona Sul-Brooklin-Berrini. O amor patológico caracteriza-se principalmente por ser um amor conturbado por muito ciúme. Saiba o que fazer

Terapia para Casal Homossexual

Terapia para Casal Homossexual
A busca por terapia para casal por homossexuais está crescendo exponencialmente. É cada vez mais comum atendermos essas demandas em consultórios de psicologia

Problemas familiares: como melhorar a convivência?

Problemas familiares: como melhorar a convivência?
Problemas familiares é um dos temas mais abordados nos consultórios de psicólogos. Grande parte dos adultos passa por problemas conjugais ou não consegue se dar bem com os filhos.

O amor nasce ou ele se constrói?

O amor nasce ou ele se constrói?
O amor nasce ou ele se constrói ? O casal sempre deve levar em consideração que o amor precisa de dedicação diária. Quando este fato é esquecido, a ajuda de uma terapia com psicólogo pode salvar o amor que está se partindo.

Não estou sabendo lidar com a minha separação: um psicólogo pode me ajudar?

Lidar com a minha separação: um psicólogo pode me ajudar
Não estou sabendo lidar com a minha separação. Para ajudar a entender e superar este momento tão complicado, a terapia individual ou de casal e a orientação de um psicólogo podem ser fundamentais.

Como salvar meu casamento: 6 dicas para melhorar a relação

Como salvar meu casamento: 6 dicas para melhorar a relação
Confira 6 dicas de um psicólogo para melhorar a relação e até mesmo ajudar a manter o casamento. Veja por onde começar

Como manter o seu relacionamento saudável

Como manter o seu relacionamento saudável
Como manter o seu relacionamento saudável ? Manter um relacionamento conjugal é um exercício diário e nem sempre é fácil. Prova disso são os inúmeros casamentos que terminam em divórcio.

Como lidar com a dor de uma desilusão amorosa

Como lidar com a dor de uma desilusão amorosa
Diferente dos términos de relacionamentos comuns, a decepção amorosa chega junto com um grande desconforto psicológico que pode sair da esfera emocional e atingir inclusive o nosso equilíbrio físico.

Como manter a vida a dois quando chegam os filhos

Como manter a vida a dois quando chegam os filhos com consultório do psicólogo em São Paulo
Manter a vida a dois quando chegam os filhos costuma ser um desafio para o casal. As prioridades, preocupações, rotina e disponibilidade não são mais as mesmas.

Será que você é viciado em amor?

Viciado em amor
Até que ponto lidamos com o amor de forma saudável ou é mais um caso de viciado em amor, consultório da psicóloga em São Paulo

Relações familiares

Relações familiares e Terapia
Muitas vezes as relações familiares, mesmo que fundamentadas no amor, podem passar por problemas e conflitos que desgastam todos os envolvidos.

Relacionamento familiar

Relacionamento familiar
Relacionamento familiar e como conviver em harmonia, com tanta tecnologia ao alcance das pessoas e com a rotina conturbada no trabalho ou na escola.

Relacionamento Conjugal

Relacionamento Conjugal e Psicologia
Os desafios dos relacionamentos conjugais. Quem é, ou já foi casado, sabe que viver debaixo do mesmo teto com outra pessoa não é tarefa fácil.

Quero recuperar meu casamento. O que fazer?

Quero recuperar meu casamento
Quero recuperar meu casamento. O desgaste no casamento não é algo que começa da noite para o dia. Há muitas pequenas discussões, discordâncias e decepções por trás de todo esse processo. Terapia de casal com psicólogo pode ser um recurso útil para o casal.

Principais fatores para o término de um relacionamento

Principais fatores para o término de um relacionamento
O término de um relacionamento é um momento que envolve as mais diversas emoções. Em momentos assim, a ajuda de um psicólogo pode ser fundamental para a superação

É possível evitar uma separação?

É possível evitar uma separação?
Os psicólogos afirmam que o diálogo é um instrumento poderoso para manter a relação saudável. Além da força da conversa, quais são as outras formas para evitar que a separação aconteça?

Por que dar um tempo na relação?

Por que dar um tempo na relação?
Quando e em que momento pode ser útil dar um tempo na relação ? Em algumas situações, o estresse e a irritação chegam a um ponto que fica muito difícil ter uma conversa produtiva.

Por que meus relacionamentos não dão certo?

Por que meus relacionamentos não dão certo?
Você já se perguntou o porquê de seus relacionamentos não darem certo? Veja algumas dicas e saiba o que fazer

Meu relacionamento não vai bem: insistir ou terminar

Meu relacionamento não vai bem: insistir ou terminar
Muitos casais que estão juntos há anos já tiveram dúvidas se devem insistir ou terminar o relacionamento. Terapia de Casal pode ajudar

O que fazer quando um ex reaparece em sua vida?

O que fazer quando um ex reaparece em sua vida
Quando um ex reaparece em sua vida, suas emoções e pensamentos podem ficar confusos. Veja alguns dicas de psicólogos de como lidar com essa situação.

Por que as separações são sempre tão difíceis?

Por que as separações são sempre tão difíceis?
Por que as separações são sempre tão difíceis ? Tomar a iniciativa de terminar um relacionamento é uma das coisas mais difíceis que se pode pensar em fazer.

Como melhorar a comunicação no relacionamento

Como melhorar a comunicação no relacionamento
Os psicólogos afirmam que melhorar a comunicação no relacionamento é tarefa tão importante quanto manter os laços afetivos

Como lidar com o segundo casamento e filhos

Como lidar com o segundo casamento e filhos
Quando pais separados pensam em se unir em um segundo casamento, muitas coisas devem ser levadas em conta, principalmente e primordialmente em função de como isso afetará os filhos, tenham a idade que tiverem

Aconselhamento Pré Matrimonial

Aconselhamento Pré Matrimonial
É necessário conhecer bem a pessoa com quem pensamos em nos unir e, para isto, a ajuda de um psicólogo em uma terapia de aconselhamento pré-matrimonial pode ser de grande valor.

Casamento versus Trabalho

Casamento versus Trabalho
Não conseguir separar problemas do trabalho com o que ocorre no casamento, e vice-versa, é algo que traz sofrimento para muitas pessoas.

Como cuidar do seu relacionamento

Como cuidar do seu relacionamento
Cuidar do seu relacionamento nem sempre é fácil, portanto saiba o que deve ser feito e entenda quando a Terapia de Casal e um psicólogo podem lhe ajudar.

Como enfrentar relacionamentos extraconjugais

Como enfrentar relacionamentos extraconjugais
Como enfrentar relacionamentos extraconjugais, através de terapia de casal ou terapia individual ? Cada situação terá sua terapia mais recomendada

Terapia de Casal em São Paulo

Terapia de Casal em Sao Paulo
(11) 3213-7287.Zona Sul-Brooklin-Berrini. Terapia de Casal em São Paulo com a Psicóloga Leticia. Aplicando o modelo cognitivo em terapia de casal.

Manter um Relacionamento

Manter um Relacionamento
Manter um relacionamento exige dos cônjuges flexibilidade, tolerância, cooperação e a tomada de decisões em conjunto. Quanto um casal se une são como dois mundos diferentes que passam coabitar.

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Psicóloga Responsável
Thaiana F. Brotto

CRP 06/106524 – São Paulo

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC